Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2004

As recordações do Fonz!

Hoje foi a vez do Fonz escrever o texto do dia! o meu fedelho como lhe costumo chamar!
Sim fedelho, pq esta coisinha mais querida tem 21 anos, e então ironia das ironias resolveu escrever sobre a adolescencia hoje em dia! ai que saudades, né Fonzie? Fica aqui a foto da estrela: um dos meus amigos mais antigos da net! (portanto conhecendo-o há sensivelmente 6 anos, tinha esta pestinha 15 - ainda hoje me pergunto, de que falaria eu com ele nessa altura lolll)



Dude1-ani-avatar.gif





OPS enganei-me, não é esta a foto... É esta!





1.jpg


Crises da Adolescência de hoje em Dia



Realmente, acho que podia começar com conversas do estilo “Ainda sou do tempo …” mas isso ia levar todos vocês a querer fazer um texto parecido porque certamente todos têm uma opinião sobre o assunto. Azar, visto que eu tive primeiro a ideia e agora vocês podem contentar-se a comentar …



Lembro-me de quando andava na secundaria, olhava para os putos que entraram para o 10º ano e dizia “Epah, que meia leca!” ou então dizia “Eh eh que artolas!!”, quase sem aperceber-me que um dia também tinha feito aquelas figuras. Mas isto são situações que eu consigo comparar com o meu passado, ao contrário de outras.
Hoje em dia, interrogamo-nos o que aconteceu aos fabricantes de berlindes ou aos produtores de bombinhas de Carnaval, alem de muitas outras coisas que marcaram as nossas juventudes.



Por vezes, começo a olhar para o meu passado e fico a pensar se eu é que tive algo diferente da maioria dos jovens, ou se aconteceu alguma coisa e eu assim por ser um pouco aluado não captei bem o que aconteceu… Hoje passo na rua e vejo grupos de 10 ou 15 putos, todos iguais (penteados, roupas, vozes, narizes empinados, etc. …). Quando eu tinha a idade deles, não me lembro de haver situações destas, ou se havia, eu devia ser mesmo muito tapadinho … Será que eles também têm os problemas que eu tive? Analisando a preocupação que eles parecem ter em relação à estética, aposto que as primeiras borbulhas devem ter sido um drama descomunal! Nem queriam sair à rua porque a miúda de quem gostam (que deve ser quase igual a outras 50 lá da escola) vai gozar com ele e deixa de gostar dele e vai passar a gostar do amigo dele (que é igual, mas sem borbulhas). No meu caso, eu achei que até estava louco, ao menos já me estava a “transformar”, não sei se para bem ou se para mal, mas isso também dá pano para muitas mangas … Puberdade não deve constar nos seus dicionários, quanto muito, soa ao nome do boss do 3º nível do jogo …




Agora, também podemos falar das novas tecnologias. As tretas das Playstation, que digam o que disserem não substituem um belo serão de “Quem é Quem?” ou de “Monopólio”, alem das conversas da treta e os jogos em grupo do Messenger não estão à altura de um jogo de Cirumba ou das Escondidas. Até os engates, ai os engates … Antes era fixe escrever aquelas cartas anónimas e ao fim de umas quantas marcar um encontro ou então o sacana do Jogo da “Verdade ou Consequência” na Casa da Arvore, em que todos se borravam caso tivessem de beijar a gorda lá da rua ou tivessem de andar pelo bairro em cuecas, mais aquelas cenas maradas que a nossa imaginação inventava … Actualmente aos 6 anos já têm telemóvel e aos 10 já têm net. Pode-se mandar uma sms ou encontrar o mail para adicionar ao MSN e começar com tretas. Realmente deve ter alta piada escrever com x´s e k´s e dizer “Amuh-te buéx Kido” ou “Mana winda” . Nem devem saber o que é dar valor às coisas, porque a muitos nunca faltou nada, quanto mais dizer que amam. Isto com franqueza, devem dizer isso tantas vezes mas tantas vezes que o Cupido já nem se deve dar ao trabalho de ligar às suas vidas amorosas …





Como diria o meu avô, “Hoje a juventude sabe mais que o pai da Aida …” Sim, claro que sabem. Sabem o que aprendem, alem de saberem o que julgam que sabem! Ainda no outro dia, ia no Metro passei pela estação das Olaias e vinha o grupinho das meninas dum daqueles colégios de gente tão moralista e tão cheia de valores, como eu sou um cantor de opera em Part Time e faço uns biscates como Engenheiro Nuclear na NASA, em que uma delas, talvez a líder (Líder porque tem o peito maior, coisa provocada pelos hambúrgueres que se comem hoje em dia …), vinha a expor todo o seu gigantesco intelectual. Segundo aquele génio precoce incompreendido, digna sucessora do legado de Tomás Taveira, aquela estação era feita de mármore proveniente de França, pois lá é que há mármore de 50 cores diferentes … Eu não soube se havia de me rir do que ela disse, ou das amigas dela que pareceram acreditar naquela lenga lenga …



gap1.gif



Perante isto, acho melhor eu pensar em reformar-me mais cedo pois a inteligência desta gentinha com mentes brilhantes, cresce a um ritmo alucinante e o mais certo é que daqui a uns tempos, putos com 5 ou 6 anos, saibam cenas que eu só soube quando tive 18 anos, ou qualquer dia andam a vender teses de Mestrado ou Doutoramento a alunos mesmo à rasca …



Provavelmente não sabem qual é o stress de um pai ao tentar ensinar o filho a fazer o nó dos sapatos, basicamente, nem apertam os sapatos porque é muito mais cool andar com os atacadores soltos …
Não sabem o que é o Natal, nem acreditam no Pai Natal – mas já sabem cravar as últimas novidades dos brinquedos e jogos e tretas em que vão mexer umas duas ou três vezes e depois deixa-las afundar-se no esquecimento …



Cada vez mais, ser-se jovem é ser-se materialista, interesseiro, ou mimado … Mas a culpa será dos jovens ou de quem os educa? Não será isto levar demasiado ao extremo “Não quero que passem certas dificuldades que eu passei”? Sinceramente, como pessoa equilibrada, acho que “no meio está a virtude”. Para bom entendedor, meia palavra basta...</p>



2.jpg


Fonz


(#Loures e #30-50)


Impressão Digital Cereza às 11:08
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
15 comentários:
De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 12:07
Correndo o risco de generalizar direi que a responsabilidade é de quem educa, infelizmente hoje em dia assiste-se uma invasão barbárica de parvenues novos-ricos que como único valor tem a ostentação. E não importa que cada vez sejam mais áridos de sentimentos e mais ignorantes, no mundo deles ser é ter … Sem mais comentários…

P.S. A ti vão os meu parabénsBadBadLolita
</a>
(mailto:sophiavandujin@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 13:33
Pois é Fonz o teu post está de tal maneira bem escrito e tem tanto sentido, que se torna simplesmente dificil comentar. Com 21 anos demonstras uma maturidade muito dificil de encontrar, quanto a mim, só acho que mereces os meus parabens e o meu respeito.Cetus
(http://25-45.tuxsp.org)
(mailto:teixeirarui@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 14:49
Há anos que os vejo crescer... Por mim têm passado várias gerações de jovens, inclusivamente a tua. Quando os comparo com a minha não acho que sejam assim tão diferentes do que nós fomos... Os mesmos medos, as mesmas vergonhas, as mesmas paixões, a mesma ingenuidade, a mesma forma de se emocionarem com uma música ou uma letra, os mesmos sonhos, a mesma vontade mudar o mundo... Não são tão diferentes assim... Apenas os contextos são diferentes e sê-lo-ão sempre... Eu acredito muito neles... gosto muito de os ver crescer, de estar atenta, de lhes dar a mão quando ma estendem... Não são tão diferentes assim, Fonz. O que muda são os contextos, não a natureza humana... e os contextos somos nós, os adultos. Cabe-nos a nós ajudá-los a crescer em harmonia com a vida e com todas as transformações que o Mundo vai sofrendo. Eles são como nós fomos... Jovens!alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 14:51
Fonz....grande post!!! Mas falta uma coisa!!! Falas do tempo passado, das coisas que a "OLD SCHOOL" fazia, que era e que dava importância... isso é que eram tempos... A geração de 70 e dos inicios de 80 (que é a minha) está a braços com empregos ao qual compara-se com casamentos...
Não culpes estes pais com "a responsabilidade na educação"!
A culpa, na minha opinião, é desta sociedade louca, consumista e ocupada em coisas do tipo "competição" e "produtividade"... tretas!!!
As comunicação evoluiu para um patamar nunca visto, ao ponto de intervir até na educação desta juventude!
Está na altura de chamar as coisas como elas se chamam!
O "materialismo" deve-se à "publicidade exagerada" e a esta "era do consumismo"... Às tuas horas extras no trabalho a trabalhar por mais uns "cobres" chama-se "produtividade atroz"... e esse teu mau estar no trabalho por cada vez que lutas por uma posição mais satisfatória deve-se à "competividade obscena"...
Materialismos... Estas gerações que seguem já têm neles incutidos estes "instintos" que fazem deles máquinas de trabalho... e é para lá que a sociedade está a evoluir!!!Suicidal_kota
</a>
(mailto:cromokamikaze@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 15:26
ai fedelho tou tão orgulosa de tiiiiii! @@@cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 15:41
Só para ser do contra....
Mas não será essa a ordem natural das coisas e não será esse um problema que se vai perpetuar de geração para geração?
Não teremos já sido julgados da mesma maneira?
De certeza que sim. E aqueles que hoje julgamos dessa forma irão julgar a geração seguinte da mesma maneira. É a VIDA.formasdolhar
</a>
(mailto:formas_de_olhar@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 15:54
Pois... quando a Cereza me disse que ia haver um texto teu, pensei em mil e uma coisas, mas nada comparável ao que li (desculpa Fonz, mas se pensei isso foi só culpa tua... nem sei porque estaria à espera de outra coisa heheheheh). Pouco tenho falado contigo, mas depois do que li, já estou bem arrependida :P Parabéns Fonz!!!!!!!!!!! Não sou da tua idade, mas as situações de vida não mudam assim tanto, os contextos é que são diferentes. O por favor não culpem os pais !!!!!!!!!!!!! pensem que vocês também o vão ser.... (eu tb já culpei os meus :( e tal como o Fonz diz, para bom entendedor......) ********** ^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 17:14
Um post deveras curioso, e em boa parte verdade, apesar de existirem as excepções e o post prende-se com uma visão englobada numa metrópole. Se fores para o interior as coisas mudam ligeiramente de figura...No entanto não deixo de achar que os nossos país devem ter dito mais ou menos a mesma coisa quando olhavam para a nossa adolescencia.Ah pois é Fonz estás a ficar cotinha eheheheh Arcanjo
</a>
(mailto:Angelo_Brito@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Dezembro de 2004 às 23:37
Fico sempre espantado com as pessoas que se julgam no direito de criticar seja quem for ou o que for. É por isso que te vou criticar. Nunca ninguem podera dizer que isto é q esta certo e isto e q esta errado. La no fundo sente-se um toquezinho de arrogancia e um conservadorismo exacerbado. Eles podem te parecer estranhos. Tu tambem es estranho para eles. Biodiversidade? Metadiversidade! Não fales deles. E eles que nao falem de ti. Admira-os e eles que te admirem. Nâo compliques. Para complicar ja existo eu. Limitate a seguir os padroes predefinidos para o teu escalao ja q os defendes tanto. E não leves a mal as minhas palavras porque sao apenas palavras.AntimAteriA
(http://www.ersgc.blogspot.com)
(mailto:gradiz@gradiz.com)


De Selvagem Anónimo a 4 de Dezembro de 2004 às 00:01
“Não quero que passem certas dificuldades que eu passei”? é mau um pai querer ou pensar isto...penso que não...os meus pensaram e nao é por isso que eu sou diferente, só porque tive tudo aquilo que eles não puderam ter...mas tbem digo que vejo miudos agora que fazem coisas...que eu nem com a idade deles sonharia faze lo...mas os tempos mudam..
Foz um beijinho para tiInes
</a>
(mailto:menalmeida@netcabo.pt)


Ah... Comenta-me