Sexta-feira, 26 de Novembro de 2004

A vida num bailado



272_04_276_23_22_38-thumb.jpg

Não estou a escrever este post com pretensões de ser comentado...estou a escreve-lo porque sinto necessidade de "gritar" o que hoje sinto. É algo estranho, algo que nem eu sei bem o que é.... uma sensação de alegria sem fonteiras, e ao mesmo tempo de melancolia ansiosa, é assim um nó na garganta, no peito... É como ver um bailado, no escuro de uma sala qualquer, e sentir aqueles movimentos entrarem-nos pelo corpo dentro...sair de lá e dançar na rua! Não sou muito de exprimir emoções, não consigo, sinto-as apenas... nunca encontro aquelas palavras bonitas, conjugadas de maneira tão harmoniosa. Exprimo hoje com esta foto! A alegria de umas "pontas" com uma saia de tule, numas pernas torneadas e belas, e a nostalgia de paredes envelhecidas pelo tempo, uma torneira saída do nada, e chão espezinhado sabe-se lá por quem! confusos, também eu... mas feliz!

Uma palavra morre
Quando é dita,
Dir-se-ia.
Pois eu digo
Que ela nasce
Nesse dia



Emily Dickinson



bad-girl_02.gif

Impressão Digital Cereza às 16:46
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
14 comentários:
De Selvagem Anónimo a 26 de Novembro de 2004 às 18:23
cereza...afinal um blog para isso mesmo serve.....dizer o que te vai na alma...mesmo que muitas vezes para os outros não faça sentido...mas penso que agora não foi o caso...pois essa sensação que te invade e carecteritisca de quem vive e quem sente!! não tens que procurar palavras bonitas para dizeres o que sentes....pois sentimentos puros e verdadeiros....de tanta beleza...tornam as palavras demasiadas pobres para nos dar a sua verdadeira definição....como disse florbela espanca..."tão pobres somos que as mesmas palavras nos servem para dizer a verdade e a mentira"
beijo!heaven-hell
</a>
(mailto:heavenhell72@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Novembro de 2004 às 21:54
No es amor lo que sientes, Cereza, e una obcession!Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 27 de Novembro de 2004 às 01:04
Hoje deixo-te aqui um beijo muito especial.Um dia disse-te para não desistires do blog....e nada acontece por acaso.... :)tanksmarta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 27 de Novembro de 2004 às 15:48
Um grito liberta-nos. Um olhar prende-nos. Um som desperta-nos. Um ruído surpreende-nos.
Cada momento de nós, na vida, deveria ser aproveitado ao máximo, sem tabus, com cores e pincéis..

Tudo se transforma, tudo se liberta...

O blog é sim deveras surpreendente... porque será ?

Eu sei...

Beijos babe...FireWiz
(http://www.onde.andam.o.firewiz.e.a.Cereza.em.pt)
(mailto:FireWiz@somewhere.pt)


De Selvagem Anónimo a 27 de Novembro de 2004 às 23:17
Desembarquei, vinda do Portugal.


Cereza, que podemos nós mais fazer? Parece que, em Lisboa, só eu e a minha casa ostentamos solidários lenços brancos.titas
(http://titas.weblogger.terra.com.br/)
(mailto:aLurdesEoJoaoPedro@sabem.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Novembro de 2004 às 21:54
Não, não comento apenas o que parece mais superficial... emociono-me com muito do que aqui é escrito... mas guardei a chave dos sonhos em lugar que não encontro... Um beijo Cerezaalic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Novembro de 2004 às 11:07
Seguindo o raciocínio da Starry-Night...
Cuando el amor no dice la unica palabra...Dejame tus manos...es solo para contar tus dedos!
Aiaaaaaaaa o amor! Delicioso entretenimento:)
Muito melhor do que estar a trabalhar nos exemplos de transacções suspeitas, no branqueamento de capitais através de actividade internacional "offshore"!
Viva o amor, o iérrecê e "aquilo"! Pudesse eu ter sentido esta certeza há mais tempo e já teria cirandado à procura deste blog, já teria tido o prazer de ler, rir e amar, amar, amar...Perdão, escrever deliciosamente...Mas como nunca é tarde para assumir o que realmente queremos, ainda vou a tempo de resgatar os prazeres perdidos e os desconhecidos:)
Aiaaaaaaa, definitivamente ando apaixonada pelo iérrecê e por "aquilo":)
Voltarei com os olhos para ler e a ponta dos dedos para escrever. Agora tenho de sair porque o fumo incomoda-me...Cóf, cóf...
Considera-te trincada oh Cereza:)Emmanuelle
</a>
(mailto:longinkua@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Novembro de 2004 às 17:37
Emmanuelle, quem és tu para seguires os meus raciocinios quando tens os teus, muito teus e só teus???? Por teres ousado tocar no intocável, mando daqui um ganda tiu lei só para ti, vale?
lolllll
No es amor lo que sientes, es una obcession :) e mais num digo que ainda me descobrem a careca :)Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Novembro de 2004 às 17:48
Cereza, gostei que tivesses comparado a vida a um bailado. Sabes, o interessante deste bailado é que a música toca para todos nós e todos bailamos, uns melhor do que outros, é verdade. Tal como também é verdade que cada um baila para seu lado, na mais perfeita ausência de uma suposta harmonia, mas no fim de contas o que conta mesmo é que não somos meros espectadores dos acontecimentos e estamos cá para fazer a nossa parte para que o "show" seja aquilo que deve ser - algo de emocionante, algo de sublime e algo digno de ser vivido - hoje e sempre!Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 30 de Novembro de 2004 às 14:21
Tens um mundo dentro de ti em que guardas esses tesouros por desvendar. Mostra-te, revela-te. Por pior que seja a tempestade, o céu não cai por cima dos audazes. Numa palavra, vive!Kroboros
</a>
(mailto:megabife@hotmail.com)


Ah... Comenta-me