Quinta-feira, 4 de Novembro de 2004

Emily...

Sou mesmo uma desbocada, penso as coisas, e a quente tomo logo uma decisão... já o tinha dito aqui no meu blog. Demasiado emotiva! Só porque estava convencida que tinha esgotada as ideia para o blog, resolvi logo dizer que ía meter um ponto final! Nada disso, continuo cá!.



Ontem estava a ver um filme na televisão, e subitamente o protagonista recita um poema de Emily Dickinson. Uma das minhas poetisas preferidas. Recitou-o com tal sentimento, tal força... que não resisto em meter aqui esse poema maravilhoso e simples...



Emily Dickinson viveu reclusa por tanto tempo que são poucos os factos sobre a sua vida. Nasceu em 1830, americana de Massachussets.
Com talento e intelecto para se sobressair em seu próprio tempo e em seu próprio meio, resolveu, aos vinte e poucos, não sair mais de casa.... escrevia, e em profusão, mas publicou apenas sete poemas durante toda sua vida. Seus 1700 poemas restantes foram publicados após sua morte...



Emily viveu reclusa a vida toda, e talvez por isso se tenha apaixonado somente pela sua cunhada, para quem escrevia cartas fervorosas, que mais tarde, foram censuradas pela sobrinha...



Quando escrevia, Emily vestia-se de branco...Provavelmente simbolo de pureza a contrapor com o amor impossivel que sentia. Emily Dickinson é uma personagem fascinante! Aconselho vivamente lerem a poesia dela... simples e intensa!
Fica aqui o poema que ouvi ontem á noite, e que me fez voltar aqui... Concentrem-se e sintam as palavras, deste pequeno, simples e sublime poema.






mulheragua-thumb.jpg


Noites de Fúria! Noites de Fúria!
Estivesse contigo
Noites de Fúria seriam
A nossa luxúria





Inúteis os ventos
Para um coração atracado
Não mais bússola
Nem mapa traçado.





Remando no Éden
Ah, o mar!
Pudesse esta noite
Em ti me ancorar.


Emily Dickinson








Impressão Digital Cereza às 17:52
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
10 comentários:
De Selvagem Anónimo a 4 de Novembro de 2004 às 18:17
Confesso que este poema é extremamente profundo!! Foi uma boa escolha, Cereza! Ainda bem que existem pessoas sensíveis como tu para criar conotação destas obras literárias, ao amor, à liberdade e à compaixão! Parabens!Absurdo
</a>
(mailto:HugoMiguel21@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 4 de Novembro de 2004 às 22:56
Eh!Pá!Não sei se isto interessa mas acho que era 1 homem o grande alvo da maior parte dos seus poemas,um tal de Charles.....Emily foi uma mulher que ousou viver as noites escuras na solidão.......E deixou uma obra fantastica....Agora fiquei a pensar o porquê desta minha preocupação....será preconceito??!!Vês Cereza,pelo menos o teu blog vai servindo para alguma coisa!!Livra-te de não o ires actualizando.Beijos----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 4 de Novembro de 2004 às 23:18
marta és um amor! obrigada pela força...ás vezes ficamos sem vontade de escrever, pq o feedback não é muito grande.Mas tu tens sido um querida*******************************************************************************************************************************************Cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 4 de Novembro de 2004 às 23:25
Bom, como sempre, os teus conteudos fazem pensar. Obrigado por compartilhares a tua sensibilidade delicadeza e cultura. Beijinhoxuspeito
</a>
(mailto:xuspeito@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 5 de Novembro de 2004 às 09:37
Bonito poema... bonita foto(ehehe)... bonita escrita... obrigado pela partilha dos teus sentimentos para conosco... e tal como disse a Marta sempre ficamos mais ricos :).BeijosazeloM
</a>
(mailto:rui_brito@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 5 de Novembro de 2004 às 10:40
O estado de desejo frustrado mostra um desencontro esquizo-sentimental que a própria alimentou. É uma situação que hoje é comum mas em sentido inverso: "pudesse esta noite, de ti, me livrar".
Os tempos são outros ... alento é fundamental ... Emily não te lamento! Sorry.Prometido é devido!
</a>
(mailto:a@a.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Novembro de 2004 às 13:11
finalmenteeeeeeeeeeee. tentei deixar uma comentario o fim de semana todo e não consegui. cereza parabens por esto bonito poema da emily. alias ela tem poemas lindos. minha querida colega e amiga, o teu bom gosto na poesia é equivalente ao teu bom gosto no dia a dia :)
obrigada minha linda. beijoscoppeli
</a>
(mailto:coppelli@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Novembro de 2004 às 19:44
linda cerezita... também gosto muito da emily. ela representa o obscura, e a pureza de uma mulher, de maneira simples e sem pretensões. por isso é considerada uma das melhores poetisas de todos os tempos. gostei nina. és fantastica, e quem disser o contrario não te conhece!eu_mesmo
</a>
(mailto:eu@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 9 de Novembro de 2004 às 15:21
Parabens está lindo_JMPP
</a>
(mailto:j_pimentel@scni.pt)


De Selvagem Anónimo a 31 de Dezembro de 2005 às 01:58
E agora vou dormir com este poema na cabeça e sonhar com a minha amada. :)flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


Ah... Comenta-me