28 comentários:
De M. a 13 de Junho de 2008 às 16:37
Permita-me corrigi-lo:
Frederico ou Friedrich Welwitsch era um botânico esloveno nascido na Áustria. Mas ele passou por Inglaterra antes de seguir para o continente africano.

O nome que deu à famosa planta foi Tomboa Angolensis e só em 1863 é que J. Dalton Hooker a apelidou de Welwitschia mirabilis, em homenagem ao botânico.


De flyman a 4 de Abril de 2006 às 19:27
lol... PARABÉNS...


De flyman a 4 de Abril de 2006 às 19:26
Bom... como acho que de forma alguma devo deixar de desejar as maiores felicidades ao Abel, atrasado, mas para isso, sempre a tempo, Abel, desejo sinceramente os maiores sucessos com uma palavra também de agradecimento pelos ensinamentos e pela partilha aqui deixados. Quanto a África, enquanto não tinha lá ido, achava engraçado os documentários e os filmes que ia vendo... nada mais. Depois, quando lá comecei a ir, entranharam-se-me as cores, os cheiros, os animais, as pessoas, as paisagens deslumbrantes a perder de vista, a noção de espaço. Parabéns, Abel... atrasados, é certo, mas PARAÉNS!


De anassu a 3 de Abril de 2006 às 17:16
Sei que já passou algum tempo, mas como não tive oportunidade aqui ficam os meus Parabéns! Gostava muito de conhecer todos estas sensações. Quem sabe um dia :)


De Abel a 1 de Abril de 2006 às 23:04
Para começar, quero agradecer à Cereza todo o trabalho desenvolvido e pela incansável preocupação de estar atenta ao meu aniversário. Pela simpatia e ternura vai um poeminha para ela:
Tenho uma florzinha
Pequena só no tamanho
Que dou à Cerezinha
Num especial dia do ano.
.
Música de terna bondade
Da Senhora da Muxima
O Bonga trás a saudade
Daquela terra que estima
.
Com o intuito de elucidar esclareço o seguinte: A primeira paisagem apresentada, diz respeito a um planalto situado horizontalmente (Leste) a Luanda (se a memória não me atraiçoa) porque a minha terra é deserto puro, com imagens iguais aos do deserto do Saara. A referida paisagem com dois morros verdejantes distam da minha terra cerca de 1000 a 1500 quilómetros a Nordeste do deserto do Namibe. De qualquer maneira, fica a boa intenção por a Cereza ter tido a preocupação de colocar imagens de Angola, como foi o caso. A outra é de facto uma imagem característica desse deserto, embora não seja típica. Esta é de dunas soltas e grandes como é mais vulgarmente visível. Nem a propósito! A última revista da “Visão” faz-se acompanhar de um livro (volume 1) com lugares interessantes para visitar e um deles é o deserto do Namibe. A capa deste livro é precisamente uma imagem típica de dunas desse deserto que amamos sem verdura. Não queremos couves nem alfaces nesse deserto porque ele tem que ser mesmo assim, tal como a natureza o dotou. Já agora, o deserto do namibe apresentado por esse volume da Visão está situado a sul do rio Cunene (tem por exemplo a Costa dos esqueletos) e a minha terra fica a Norte da margem desse Rio de grande caudal.
Aproveito para pedir desculpas à Cereza por ultimamente estar muito afastado do Blog. Não é por desinteressa mas sim por alguma preguiça e também alguma preocupação e ocupação com compromissos profissionais que assumimos.
Como normalmente a boneca Russa trás sempre um pouco da sua graça e beleza, também desta vez não quis ser desmancha-prazeres ao intervir de forma transversal com um texto descentrado, enriquecendo o seu comentário e o meu poema. Está ternurento e delicioso. Uma flor também para ela porque nunca algo lhe dei …
Para todos os outros (Pudim, PatanisKa, Morgaine, Mina, Majoca, Dríade, Elvira, Criador de sonhos, Nina, Paulinha, Marta, Vanessa, Encantos e paixões, Raio de Sol, Erina, Carlos Murat e Marco Neves), um grande abraço pelas palavras simpáticas que agradeço e pelas bonitas que não mereço. Para todos os outros que não intervieram directamente mas vieram a nós ler-nos, as minhas saudações sinceras pela vossa participação passiva e, já agora em nome deste Blog os cordiais agradecimentos.


De Marco Neves a 1 de Abril de 2006 às 12:24
Oh Sr Abell, desculpe lá ser o último e já com um dia de atraso... mas tambem nessa provecta idade mais dia menos dia e tal... ihih! Espero que tenha levado em conta a minha sugestão das cuecas amarelas (se essa história lhe for desconhecida pergunte aí a essa senhora. Sim! Essa mesmo!). Pronto... e agora... não sei.... onde anda o bolo??!? Sobrou uma fatia para mim ou contento-me com as migalhas?


De Carlos Murat a 1 de Abril de 2006 às 01:04
Abel os meus Parabêns


De ^Erina^ a 31 de Março de 2006 às 21:43
O s meus parabéns por mais um aniversário, que passe um resto de dia feliz :). É bom quando alguém escreve com paixão, diria que é fácil (pelo menos para si assim parece) quando se fala de algo que se gosta, mas o que dá para notar é que tudo o que escreve é feito com "feeling" e dá para perceber isso na sua escrita :). Sinceramente Angola não é um dos meus destinos de eleição. Embora todas as pessoas que conheço e que lá viveram falam sempre daquela terra com um certo saudosismo. è sempre um prazer ler as suas palavras :).


De Cereza a 31 de Março de 2006 às 20:08
Eu gostava de escrever um poema para dedicar ao Abel, tal como ele já fez comigo... mas.. como não tenho o dom que ele tem, nem me atrevo!
Por isso, Abel, muitos parabens, que tenhas um dia maravilhos, que a vida te dê tudo de bom, porque és uma pessoa maravilhosa!
beijos


De Raio de Sol a 31 de Março de 2006 às 17:27
Muitos Parabéns...Prof. Abel...!
Muito e longos anos cheios de alegria e felicidade!
Adorei as Flores...!
Beijinhos!


Ah... Comenta-me