Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2006

Divagações



gillian-anderson_0013.copy.jpg1gillian-anderson_0013.jpg


As pessoas perdem tanto tempo a pensar se devem escolher esta ou aquela pessoa,(seja a nivel de amizade, familiar ou amorosa) mas nunca se lembram de escolher a elas próprias.

Qualquer escolha implica uma renúncia. Ao escolher uma pessoa e desistir de outra, corremos sempre o risco de nos arrependermos. É um facto.

Não devemos nunca comparar, mas sim separar... Não existe uma escolha certa, uma escolha ideal.

Uma vez feita a opção corremos sempre o risco de no futuro, num momento de crise, questionarmo-nos: "Ah... e se eu tivesse escolhido o outra/a"





3gillian-anderson_0013copy.jpg4gillian-anderson_0013.jpg




Come up to meet you, tell you I’m sorry
You don’t know how lovely you are
I had to find you, tell you I need you
Tell you I set you apart
Tell me your secrets, and ask me your questions
Oh lets go back to the start
Running in circles, coming up tails
Heads on a silence apart



Nobody said it was easy
Oh it’s such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said that it would be this hard
Oh take me back to the start
I was just guessing at numbers and figures
Pulling your puzzles apart
Questions of science, science and progress
Do not speak as loud as my heart
Tell me you love me, come back and haunt me
Oh and I rush to the start



Impressão Digital Cereza às 00:10
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
34 comentários:
De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 00:55
nao sei bem o que escrever... mais tarde digo qq coisaPauloTiago aka [M]orcego
(http://caderno-de-apontamentos.blogspot.com/)
(mailto:paulo_tiago_s@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 01:33
Ao ler o q eu acabei de ler mais me convenço que um Harém sabia bem a quase todos !!!! Não me parece que se faça escolhas. As pessoas encontram-se. Mas , está bem, que se escolha e quando o fazemos nao pensamos que no nosso caminho vamos encontrar/escolher ou somos escolhidos. Nada é eterno nem a relação que se tem ou se possa vir a ter. Não há que arrepender de nada porque como costumo dizer: Se é ou foi bom é meu , ninguém me tira. Se foi menos bom ou até mau aprendi alguma coisa de certeza o que nao me vai evitar de cometer a mesma escolha !!
Escolher ou encontrar deveriam estar inter ligadas mas é impossível porque quem encontramos não nos escolhe e quem nos escolhe nao somos capazde de encontrar !. Confusão ?? Espero que não mas entendo perfeitamente as palavras do post.
beijinhos constancinha-maria
</a>
(mailto:nao-tem@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 09:33
Escolher ou nao pessoas, é muito relativo, eu acho que não se escolhe. Considero que acompanho alguem, estou ao lado de alguem, parei no espaço de alguem, mas não o escolhi. Em relação a propria pessoa poderei parecer egoista, mas sem duvida que primeiro "eu", se eu nao gostar de mim, quem gostará?!blocas
</a>
(mailto:blocas@blo.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 10:47
Eu não escolho,deixo acontecer....ou será que deixo que me escolham?!marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 11:19
"...escolhi-te no universo inteiro pela cor da música que tens no olhar..."Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 11:35
Mais uma vez peço desculpa pela minha ausência forçada. E mais desculpas peço por saber que só vos poderei acompanhar num almoço ou jantar no Verão, que é quando volto à minha invicta...... Penso que quando temos de fazer escolhas pomos em xeque a razão e a emoção. Mesmo as pessoas que se dizem racionais muitas vezes agem com o coração na esperança que algo de fantástico aconteça. Eu faço as minhas escolhas mas não consigo renunciar às outras que supostamente coloquei de parte. E quando consigo eles aparecem-me sem eu as ter "chamado"..... Fiodor Dostoievski escreveu: "Realmente, se um dia de facto se descobrisse uma fórmula para todos os nossos desejos e caprichos - isto é, uma explicação do que é que eles dependem, por que leis se regem, como se desenvolvem, a que é que eles ambicionam num caso e noutro e por aí fora, isto é uma fórmula matemática exacta - então, muito provavelmente, o homem deixaria imediatamente de sentir desejo.
Pois quem aceitaria escolher por regras? Além disso, o ser humano seria imediatamente transformado numa peça de um orgão ou algo do género; o que é um homem sem desejos, sem liberdade de desejo e de escolha, senão uma peça num orgão?"Vanessa
(http://triptofinland.blogspot.com)
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 11:45
Colori o meu olhar // Era amargo e já doce se saboreia // Engasga-te com o arco-íris // Não, não tão depressa, devagar, devagar // Olha-me de soslaio // Não me olhes nos olhos // Deixa-me antes, apreender-te, tomar-te como meu // Eu sou de quem me conseguir apanhar // O meu olhar colorido é do mundo.bonecarussa
</a>
(mailto:bonecarussa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 14:09
Não se escolhem pessoas, assim como não se escolhem afectos emoções e sentimentos. Até parece q a vida é uma montra e estamos a escolher um par de botas ou um livro para ler. Passamos pela vida e colhemos os frutos q ela nos dá...ou então, estamos tão distraídos ou de costas voltadas q a vida passa por nós e qdo damos por isso perdemos oportunidades. Recuso-me a pensar q a vida é um mero e banal super-mercado onde escolhemos pessoas para nosso "bel-prazer".PatanisKa
</a>
(mailto:sissacc@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 14:18
Escolho-te porque te quero viver, sentir, amar, sofrer...
Escolho-te porque todo o meu mundo necessita de um compasso
Escolho-te por mil e uma razões, menos por simplesmente te escolher
Escolho-te porque ao olhar-te também me vejo... diferente
Escolho-te porque uni céu e terra, fogo e mar..
Escolho-te porque quero!
Marco Neves
</a>
(mailto:megabife@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2006 às 14:28
De que é feito das escolhas? De pedras, de corpos, de asas, de sonhos perdidos na ânsia de tocar o longe, da beleza das ondas no alto da montanha, de espera, de renúncia...Escolher ou ser escolhido sem tempo... sem exigências... sem medos??? Querer sem pensar. Sonhar sem recear. Deixar o barco partir. E o barco balança, mas a âncora não sobe, as velas enrolam-se, o vento não sopra e muito pouco muda...saber escolher??? será... lua_de_avalon
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


Ah... Comenta-me