Domingo, 4 de Junho de 2006

Podias tu...

"...And when I feel like I'm a victim,
I will come running home to you,
and I will weep like I will change,
when I come running home to you
And all of your rosy scarred up wrist binds,
make me crucify you more
with all of your blood,
encrusted small finds,
kiss restraint & it's just cause so see the survivor in control now,
I'm the whore you knew I was, look at the changed girl good & pure, on tracy's floor I'll come running, I'll come running I'll running right back to you..."

 

Do Marco, para o Marco...
     
Podias tu ter ido um pouco mais além daquilo que te era permitido
Podias tu ter criado algo mais em ti, não apenas para os outros
Podias tu pegares em mim, carregares comigo nos teus braços, naqueles dias em que até a alma me pesava
Podias tu teres sido mais, mesmo que nunca te tenha pedido nada
Podias tu seres também homem como eu sou, eu mulher como tu eras
Podias tu não teres pensado tanta vez que eu te iria deixar, sem que me incomodasse esse teu olhar de derrota
Podias tu nunca me pedires para parar, mesmo quando querias que avançasse
Podias tu teres um passado vincado, assim como as rugas que te provoquei
Podias tu comparares-me a toda a gente, sem que me incomodasse de todo, pois sou a única pessoa que assim é
Podias tu dizer-me todos os dias que, de facto, eu exagerava na minha reserva com o mundo
Podias tu arrancar-me à força da cama, apenas porque avistavas qualquer coisa de diferente no jardim
Podias tu quebrar comigo todos os laços que nos ligassem ao que era térreo, e depois ver-te por entre as sombras a segredar o meu nome às árvores
Podias ao menos parar de fazer esse barulho irritante com a cadeira?
Eu já nem sei por onde começar, e a roupa que começa a empilhar num canto que deixaste vazio em mim
Podias tu ao menos ensinares-me a fumar decentemente, sem nunca te rires da cara feia que faço
Podias ao menos fazer um esforço e esboçares um sorriso, por mais leve que fosse, quando os meus olhos procuravam os teus
Podias tu derreter todo o gelo no meu corpo, sem nunca receares o fogo
Podias tu parar de dizer o que eu poderia ter feito, para que eu pare também
Podias tu querer mais, sem ter de pensar que tudo seria de menos
Podias tu refutar todo o meu sentir, sem que o teu ar malandro me fizesse contestar
Podias tu não me teres deixado tanta vez no silêncio na tua ausência de palavras e actos
Podias tu ao menos teres consciência quem sou eu, porque na realidade eu sou o que és
Podias tu quebrares a cara mais uma vez sem que eu fosse a muralha
Podias bater-me com força assim como as ofensas que te proferi e nunca desejares que me aleijasse
Podias ter-me oferecido menos coisas porque o que realmente me importava eras tu
Podias ter sido tu a escreveres-me as mesmas palavras que te digo
Podia eu não falar na segunda pessoa do singular, porque seria igual
Podias tudo mas não quiseste
Eu assim quis.
 
Marco Neves – 2/06/06 . 14h00m

Comentário em Destaque:

De xinxa a 5 de Junho de 2006 às 13:35

O Pretérito Imperfeito Indicativo é revelador...

Podia ter sido o Presente do Indicativo,

ou mesmo o Pretérito Perfeito do Indicativo,

ou o Pretérito Mais que Perfeito do Indicativo

 ou o FUTURO do Indicativo mas foi o...

Pretérito Imperfeito do Indicativo

 podia

 podias

 podia

podíamos

 podíeis

podiam


Impressão Digital Cereza às 23:54
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
15 comentários:
De Morgaine a 5 de Junho de 2006 às 20:08
E podias também ler no meu coração, para veres o espaço que lá ocupas..
E podias tentar agarrar o arco-iris, eu fá-lo-ia por ti para partilhar a beleza dos teus dias de melancolia...


De Marco Neves a 5 de Junho de 2006 às 16:14
E disse-me um dia, o meu tão grande amigo e poeta de vão de escadas,

- Que todo um sempre seja como o sorriso, aquele a quem dei a minha vida, naquele preciso momento em que também ela sorriu para mim. Não tenho mais palavras, também não tenho mais vinho.

Pediu-me uns trocos. Eu segui caminho rua abaixo, novamente...


De Tex a 5 de Junho de 2006 às 15:55
E falando de verbos e tempos, lembrei-me deste poema :))

"Como se os nossos corpos
rebolassem
num colchão de palavras,
nadei nos conceitos
que me sussurraste
ao ouvido,
nas frases soltas
que tomaram forma
afirmativa
do meu e do teu ser!
Gemi as exclamativas
frases que me arrancaste
do fundo do peito...
Amei-te num futuro
mais-que-perfeito!
Bani dos meus horizontes !
o modo condicional
do verbo sentir
e usei o gerundio
do gosto de sorrir...
Num complemento circunstâncial
de modo...
Amei-te!
No circunstâncial de lugar
fiquei à espera
que o circunstâncial de tempo
fosse um segundo...
do tamanho do mundo!
Antes do amo coloquei
um pronome pessoal
e a seguir um reflexo
e vi que tinha nexo
o que acabei
de te dizer!·
Muniste-te então
do campo lexical
de tempo...
Sob a forma
determinante
da interrogativa
e surgiu o quando?
logo seguido da verbalização
angustiada
do amanhã?
Apenas te respondi
no modo docemente
circunstancial
com a única temporal
que eu senti:
Sempre!"



De Marco Neves a 5 de Junho de 2006 às 15:28
Assim como poderia ter sido no Condicional

Mas a mim, o que me traz realmente um sorriso estendido à boca... é um gerúndio intenso e intemporal


De xinxa a 5 de Junho de 2006 às 13:35
O Pretérito Imperfeito Indicativo é revelador...

Podia ter sido o Presente do Indicativo,
ou mesmo o Pretérito Perfeito do Indicativo,
ou o Pretérito Mais que Perfeito do Indicativo
ou o FUTURO do Indicativo

mas foi o...

Pretérito Imperfeito do Indicativo

podia
podias
podia
podíamos
podíeis
podiam


De Marafada a 5 de Junho de 2006 às 12:42
Podias ja me ter pendurado as prateleiras...


De Tex a 5 de Junho de 2006 às 13:29
E eu ja te disse k levas kas prateleiras nas fuças! XÔ ó coisa ruim! lololol :))**


De marta a 5 de Junho de 2006 às 12:39
Vivemos como se o tempo nos pertencesse
Agora não,talvez mais tarde...
As duvidas ,os receios,nós,os outros..até os "ses"condicionam...
E vamos adiando a vida...
Como se pudéssemos repetir tudo, uma e outra vez
Como se pudéssemos alguma coisa...


De Tex a 5 de Junho de 2006 às 12:05
Não podes tu,mas posso eu!


De RS a 5 de Junho de 2006 às 11:01
"Podias tu ter ido um pouco mais além daquilo que te era permitido"... Será que podia?


De lua_de_Avalon a 5 de Junho de 2006 às 09:17
Podias ter tido tudo... mas tu nada quiseste...


Ah... Comenta-me

av_fever01.gif

.Urbanidades Recentes

. Aberto: Rui Pedro e Anoré...

. FIM

. Porque eu? porque isto? p...

. Mulher

. Hannibal - Rising

. ...

. Voltaste meu amor...

. Falling

. ...

. Uma brincadeira...

. SuGeStÕeS:

. Pedofilia ou Amor

. coragem!

. Feliz Natal

. Ainda Tango...

. Destaque no sapo: poema d...

. Sonho § Realidade

. Do Flyman

. (...)

. Parabens Lua

av_jml12.gif myarms-yourhearse.gif

.Selvas já Visitadas

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

10MM.gif

.Procura no UJ

 

.Posts Favoritos

. Falling

. Destak

. UJ no DN

. Putas, Prostitutas (os) e...

. Casos Reais: Putas, Prost...

. Maria Madalena: Prostitut...

. "Schindler português"?

. Dedicado ao meu Pai!

. Caso de Vida

. Os BrancosNegros ou Negro...