Terça-feira, 20 de Junho de 2006

Apenas um momento...



 

"...I’ve got no time to hear
About how much you care
Shut your mouth and come this way
....... 
So lay down on the bed
Cause now I’ve locked the door
And we don’t live out there no more
.....

Tonight’s the night I shed my wicked soul
I take it out on you and watch you lose control
Tonight’s the night I shed my
Tonight’s the night I shed my
Tonight’s the night I shed my wicked soul
My wicked soul..."
Entrei, não proferimos uma unica palavra tal como tinhamos combinado. Olhei-te e sorri, apenas porque me apeteceu.
Continuamos o planeado, encostaste-me brutalmente contra a parede fria e senti as tuas mãos agarrarem-me com toda a força do mundo. Indefesa deixei cair a mala, o blusão, e tudo o que trazia comigo...espalhou-se tudo pelo chão, como um trilho de pura e selvagem paixão.
 
As tuas mãos apertavam-me cada vez mais. Desabotoaste-me o colete, botão a botão com fúria, sem nunca desviar os teus olhos dos meus. Estavas sério e faminto de mim... nunca esquecerei a tua cara, aquele olhar intenso, a dizer-me “Dá-me, quero-te toda, aqui e agora. Dá-te e deixa-me usar e abusar!
 
Pensei: "Dou-me sim, incondicionalmente. Quero-te assim selvagem e sem regras."
 
Na penumbra do quarto tiraste-me de imediato o soutien preto.Era bonito? Não sabes, porque nem sequer olhaste para ele. As tuas mãos pareciam feitas de tempestade, apertavas-me os seios enquanto me beijavas descontrolado.
 
Pela primeira vez senti-me sem forças, a bater o queixo, mas mesmo assim agarrei-te com força pelo cabelo e devorei-te num beijo infinito. As minhas unhas escorregavam pelo teu corpo, queria marcar-te.
 
Gemi, gemi de prazer. Sabia que me gostavas de ouvir, e quanto mais o fazia, mais prazer tinha. Queria-te tanto naquele momento, mas tanto que não consigo quantificar. A luxúria tomava conta dos nossos corpos, e já ardiamos no inferno. "Não me importo" ,  pensei!
 
Num segundo empurraste–me para cima da cama com violencia, e o teu coração encostado ao meu batia descompassadamente. Os nossos corpos uniram-se num só. Sempre, sempre sem falar, tal como tinhamos fantasiado. Subitamente Ías dizer-me algo... fiz um gesto, como quem diz “shhh, não digas nada, toca-me, devora-me! Por favor devora-me e faz-me viver”
 
E assim fizeste, como se o mundo tivesse parado lá fora. Senti-te entrar em mim, senti-te em mim com sofreguidão. Continuei a gemer de prazer, de dor e prazer... uma dor tão boa, dor de paixão, dor de desejo, dor de estar a viver aquele momento tão intenso e carnal... O resto? O resto não importa! Importou aquele momento, porque a vida é feita de momentos assim.
    
 Saímos porta fora...
Adeus, até sempre!
Tridente
2/6/2006

 Comentário em Destaque:

De feiticeira a 20 de Junho de 2006 às 23:19

  Foi uma paixão e tanto, um momento que ninguém conseguiria esquecer. eu pelo menos não!só não gostei do fim, dizer adeus porque? Uma paixão assim não pode acabar com um até sempre.uma paixão intensa dificilmente se esquece, ou desaparece. como disse um comentador, fiquei arrepiada, e consegui ver-me ali naquela casa, naquele quarto. parabens. adorei o blog! vou voltar.

 

 


Impressão Digital Cereza às 14:25
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
12 comentários:
De veinha a 4 de Julho de 2006 às 00:26
um dia gostava de ter esssa capacidade de amar e conseguir não olhar para trás - não ter medo da saudade, não querer o compromisso, não exigir uma justificação, não chorar o abandono...


De Carlos a 22 de Junho de 2006 às 00:46
Já várias vim ao blog e li e reli este texto. Não que seja uma obra prima da escrita, mas está directo, tem magnetismo, e paixão. Acho que o aconteceu nesta estória foi a entrega total de duas pessoas que se desejam muito. Pode não haver amor, mas há paixão selvagem.(que por vezes é mais forte que um amor) é bom quando duas pessoas têm tal intimidade para fantasiar juntos, é saudável. Tridente para ti uma palavra, nunca deixes de ser assim: entregares-te toda sem regras. Para o desconhecido nunca deixes de ser "selvagem". O adeus pode não significar nada, porque uma paixão assim renasce a qualquer momento. Se é uma estoria veridica ou ficção, não sei, mas que desperta inveja, ai isso desperta. Para ambos, até um dia...


De Safira a 21 de Junho de 2006 às 22:55
Se, por um lado, o mistério é um condimento de luxo numa relação, por outro lado também há o prazer de redescobrir a relação em qualquer momento. Momentos bons não se esquecem... destes e de outros.


De xinxa a 21 de Junho de 2006 às 12:26
Moi chega e eis que se me deparo com altas rotações, neste abençoado cantinho!
O que se me apraz dizer...é Iúuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu


De feiticeira a 20 de Junho de 2006 às 23:19
Foi uma paixão e tanto, um momento que ninguém conseguiria esquecer. eu pelo menos não!só não gostei do fim, dizer adeus porque? Uma paixão assim não pode acabar com um até sempre.uma paixão intensa dificilmente se esquece, ou desaparece. como disse um comentador, fiquei arrepiada, e consegui ver-me ali naquela casa, naquele quarto. parabens. adorei o blog! vou voltar.


De Manefta a 20 de Junho de 2006 às 22:10
Terá sido paixão virtual ? :) que tomou contornos reais? Por mto que se tente olhar para tudo friamente, o certo é que uma boa foda, fora dos tramites normais deixa marcas, cheiros, sabores, por algum tempo. Não há mal nenhum nisso, é sinal que foi bom, se não fosse tinha sido perda de tempo né. Mais vale uma boa memória que uma má :D tenho dito. Beijocas. Gosto da musica e o visual do blog é mto interessante.


De Eu a 20 de Junho de 2006 às 17:19
Até arrepiei.
A vida é feita de momentos, momentos assim não se esquecem, são tão intensos que cada segundo que passa é uma eternidade, cada toque nos queima a pele, e cada beijo nos sacia a sede, parece que vais ao inferno e cais sem forças para o céu.
Beijos, até um dia


De Tridente a 20 de Junho de 2006 às 18:33
beijos, até um dia!


De Tex a 20 de Junho de 2006 às 16:24
Por momentos pensei que tinha sido eu a escrever isto.....


De Selvagem Anónimo a 21 de Junho de 2006 às 11:56
Tex sua inbejosa!!!! lol


De [M]orcego a 20 de Junho de 2006 às 15:34
"E assim fizeste, como se o mundo tivesse parado lá fora." :))

na globalidade gostei mt, apesar de nao me agradarem certos pormenores da minha interpretaçao

parabens


De Justin a 20 de Junho de 2006 às 15:28
Isso mesmo tridente.A vida é feita de momentos como estes. Gostei da paixão em que falas. dolorosa, mas tão boa!


Ah... Comenta-me

av_fever01.gif

.Urbanidades Recentes

. Aberto: Rui Pedro e Anoré...

. FIM

. Porque eu? porque isto? p...

. Mulher

. Hannibal - Rising

. ...

. Voltaste meu amor...

. Falling

. ...

. Uma brincadeira...

. SuGeStÕeS:

. Pedofilia ou Amor

. coragem!

. Feliz Natal

. Ainda Tango...

. Destaque no sapo: poema d...

. Sonho § Realidade

. Do Flyman

. (...)

. Parabens Lua

av_jml12.gif myarms-yourhearse.gif

.Selvas já Visitadas

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

10MM.gif

.Procura no UJ

 

.Posts Favoritos

. Falling

. Destak

. UJ no DN

. Putas, Prostitutas (os) e...

. Casos Reais: Putas, Prost...

. Maria Madalena: Prostitut...

. "Schindler português"?

. Dedicado ao meu Pai!

. Caso de Vida

. Os BrancosNegros ou Negro...