Domingo, 12 de Março de 2006

Dor

Encontrei esta frase no blog de uma amiga "Of Dream and Drama"... chamou-me a atenção... porque nada é mais verdadeiro...





"...E a dor, afinal, é o mais individual poema de amor."






520347 copy.jpg


I'm so tired, of playing
Playing with this bow and arrow
Gonna give my heart away
Leave it to the other girls to play
For I've been a temptress too long

Just. .

Give me a reason to love you
Give me a reason to be ee, a woman
I just wanna be a woman





Vale a pena visitar o blog da Sukkub... Of Dream and Drama



Impressão Digital Cereza às 01:50
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
22 comentários:
De Selvagem Anónimo a 12 de Março de 2006 às 12:13
Ora aqui está mais uma música que são das minhas diárias :) Eu ouço e leio tanta coisa sobre o amor e todas tão contrárias que nem sei o que pensar. Acho que as pessoas se concentram demasiado em dar-lhe significados em vez de o sentirem. É um assunto sempre um pouco complicado de se falar. Ainda ontme uma amiga me disse "o segredo para amar é amar menos. e faz tanto sentido.por amor as pessoas matam se,destroem-se,afastam-se,ou nem seker se aproximam,...amor mata amor!vida estranha esta!"vanessa
</a>
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Março de 2006 às 14:08
"Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como, e dói não sei porquê."

Luís de Camões

Elvira
(http://rgt/jhui)
(mailto:Elvira_62@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Março de 2006 às 15:38
Faço esforço para não amar!!Aliás amor só faz sentido,partilhado com os do nosso sangue...tudo o resto...são restos,ou mais-valias....sentimentos de momento...quere bem,sentir carinho,respeitar,estimar,rir,partilhar,mas sem dor...evito-a.Não amo??!!Talvez!!...Este escudo que não me larga...e o mais estranho é q acho que nunca tive nenhuma desilusão(mais forte do que as ´´normais``)de amor.Toda a minha vida foi´´normal`` os acontecimentos entendidos e aceitáveis...A realidade é que passamos a vida a empurrar um pedregulho por uma montanha a cima,deixamo-la descair 1mt,2,3,e lá retomamos, o rumo e a força novamente.Que estranha forma de vida.....Posso dizer uma asneira??!!!.....DASSSSSSSS!!!!marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Março de 2006 às 19:47
Quem ama sempre alcança....q mais n seja uma dor.... e se for dor de corno ainda pior....!!!! Deixo-vos estas palavras q descobri : Depois// Para quê amar??//Depois de nós//nem mesmo nós//vamos ficar...Fernando Tavares RodriguesPatanisKa
</a>
(mailto:sissacc@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Março de 2006 às 22:38
Consigo comentar consigo!!! mas não sei o que vou escfrever:) bejosssssssssssMajoca
</a>
(mailto:manejorge@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 12 de Março de 2006 às 22:38
bem eu axo k a dor é um komeço de um felecidade que se perdeu. é algo que se encontrou um dia mas que desapareceu no tempo de um infinito de um pensamento. dor é o drama de uma vida que se quer maior. dor é kerer atingir algo que nos é retirado. a dor é o drama da vida que se tem kando esta nao tem sentimento. drama é a dor de sentir que s perdeu. ai axo k é melhor nao filosofar na poesia .P snao ainda adormecem :)
fikem benneMe S4gi
</a>
(mailto:s4gitt4rius@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 13 de Março de 2006 às 09:30
Vim despedir-me e deixar aquele abraço de amizade. Um beijinho grande e que a vossa vida não seja um rascunho, pois pode não dar tempo de passar a limpo. Digam sempre a quem gostam, que os amam, não deixem para amanhã o que podem fazer hoje. Deixo um sorriso, porque foi assim tambem, que aqui entrei pela primeira vez. Ai que dor eu sinto!!!!!!!! Eu
(http://egty/jhgf)
(mailto:Eu-123@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 13 de Março de 2006 às 12:45
Começo a esquecer// Mas ainda ouço o barulho da dor a doer// Ainda arde ardentemente// O sabor do sangue quente// Vinhos, tisanas sobre mim derramem// Vozes silenciosas não clamem!// Acabo de acabar o corte// Pareço-me com a morte// Não, não e não, quero a vida// A por viver, não a vivida// Vou saltar penhascos, todos// Em tempo algum seguirei engodos// Mesmo com a alma quebrada// A cabeça estará levantada// O tempo terá que fluir// O espaço vai fugir// Viver, será o meu cais// Voltar a ti, jamais// E quando tiver terminado// Sim, dormirei descansadobonecarussa
</a>
(mailto:bonecarussa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 13 de Março de 2006 às 14:15
Sempre que tenho medo da intensidade daquilo que nos une e penso que me devia manter longe, fora do alcance da dor, ainda assim, perco-me em ti…e amo-te mais…
Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 13 de Março de 2006 às 15:32
E como prometi aqui estou...sem video mas com musica.
Se cada vez que penso em amor ou em amar...pensasse que ia ter dor, deixava de ter a emoção, a paixão que de certeza ia sentir.
Melhor amar sem reservas....se tal momento vier. Bejo
Majoca
</a>
(mailto:manejorge@netcabo.pt)


Ah... Comenta-me