14 comentários:
De flyman a 16 de Setembro de 2006 às 21:50
Das dificuldades da CNB, apenas sei o que me chega pelos meios de comunicação social. Uma palavra de incentivo de crença no futuro, é o que deixo aqui para a Ana Lacerda. Mesmo as maiores tempestades desvanecem-se e não durarão para sempre. A capacidade de manter o barco a navegar adaptando-o ao estado do mar, é o que nos separa dos náufragos. Por isso, Ana acredita na bonança e na transformação. Nem sempre uma alteração, por muito radical que ela seja na nossa vida, é sinónimo de fracasso, de perda, de naufrágio. Muitas felicides. :)


De isabel a 14 de Setembro de 2006 às 00:05
http://ask-askim.blogspot.com/


De isabel a 13 de Setembro de 2006 às 23:53
Nascido em Lisboa...

n me pareçe ;)

Isabel


De Isabel a 14 de Setembro de 2006 às 09:20
Não escrevi os 2 post acima. O que se passa Cereza?


De cereza a 14 de Setembro de 2006 às 19:45
Alguem que assinou concerteza com o nick Isabel.



De Isabel a 13 de Setembro de 2006 às 22:32
Desde Noverre que o ballet evoluiu (este foi sempre fiel à dança clássica, apesar de a trazer até nós, como arte independente).
Depois das dicussões de Rousseau e Diderot, para que a dança fosse democrática (de todos, seja), eis que passamos a poder usufruir de 1 espectáculo de expressão criativa, única.
E Isadora Duncan, que nos deixou esse legado de conjugar as sinfonias de Beethoven, noturnos de Chopin e valsas de Brahms, com passes magistrais, como nunca tinha sido possível, ou visto até então.

"Dançar é sentir, sentir é sofrer, sofrer é amar... Tu amas, sofres e sentes. Dança!".

Dança Ana, dança. O público, certamente não te faltará.


De abel a 13 de Setembro de 2006 às 17:21
O mundo da Ana também é nosso.

Eu não magoaria tanto as outras formas de cultura… Em vez de a “mais bela”, que me perdoe o Justin, optaria antes por “a mais delicada de todas”.

“Parente pobre” talvez pela forma como as entidades domésticas olham para ela. As condições que proporcionam devem ser as habituais. Nunca há dinheiro para estas coisas… Não é futebol nem bailado estrangeiro… Cá para mim é sempre muito rico, mesmo dentro da nossa pobreza.

Os meus parabéns à Ana pelo ilustre curriculum que já exibe aos trinta. A preocupação e receio que manifesta na carta preocupa-nos também, certamente mais intensamente sentido pelos que carregam desgaste rápido. São ossos do ofício. Boa sorte para ela e que o futuro seja um manancial de sucessos.

À cereza, por trazer até nós esta lufada de ar fresco, um beijão.


De Cereza a 13 de Setembro de 2006 às 20:40
Abel: Quando falo em parente pobre, falo em milhentos aspectos.

Não só em termos govermentais, mas tb em relacção ás pessoas em geral.
O publico prefere em geral, ir ao cinema, ao teatro, a concertos... em vez de ir ver um ballet. Alias, penso que a maioria das pessoas nem deve saber "o que é um bailadado", nem que companhias existem em Portugal, nem tão pouco quem são os grandes nomes do bailado portugues.

Eu adoro ballet... dança em geral... e ir ver os bailados da CMB, foi algo que me inspirou profundamente... é algo de mágico.

ás vezes penso, será que cultura, é apenas ler e escrever bem? bolas, ás vezes escrevem-se aqui ( e noutros blogs) as maiores barbaridades, e a maioria das pessoas acha simplesmente fantástico.... e quando se posta sobre ballet? nada! Voces desculpem, mas isto é o meu mau feitio a vir ao de cima, e até pq contra mim falo.

Para mim é uma honra IMENSA, ter aqui no UJ a melhor bailarina portuguesa. á ana desejo a melhor sorte do mundo, e que todos, tenhamos a beleza e a sensibilidade que senti nas palavras dela.

Abel obrigada pelas tuas palavras, e sim, concordo contigo... foi uma lufada de ar fresco. :))) beijo


De lua_de_Avalon a 14 de Setembro de 2006 às 09:44
E com uma lufada de ar fresco
deixo aqui um grande abraço
e muita FORÇA à Ana, e tu MAria
Cereza toma lá uma beijoca :))
beijos


De Tex a 13 de Setembro de 2006 às 17:02
Clap clap clap :)


De dizedor a 13 de Setembro de 2006 às 16:47
Apesar de não ter sido uma coisa para a qual tenha sido educado, apreciar dança, é algo que me fascina. Admiro a força das pessoas que o fazem, quer muscular, quer psicológica. Não é facil ser bailarino/a neste país. Quero um dia fotografar um espectáculo de dança pois proporcionam imagens magnificas.


beijos e abraços


http://ideiasproprias.blogs.sapo.pt/


De Justin a 13 de Setembro de 2006 às 13:18
Concordo com a Alexandra, a dança é a arte mais bela que existe. Todos comentamos textos, e falamos de livros como se fossem a unica fonte de cultura no mundo.
Para a Ana os meus parabens, e continue a proporcionar momentos de pura beleza.


De alexandra a 13 de Setembro de 2006 às 02:20
infelizmente e, pelo menos no nosso país, não é dada à dança a sua devida importância...

força Ana Lacerda e que continues a brilhar e a encantar quando danças.

um beijinho para ti Cereza*


De Justin a 13 de Setembro de 2006 às 13:27
Já agora as FOTOS são MARAVILHOSAS!


Ah... Comenta-me