Sexta-feira, 15 de Setembro de 2006

Pensamento para o FDS

 

Que grande verdade!

"Nem sempre as palavras que dizemos ou os gestos que praticamos

representam aquilo que sentimos."

(Autor desconhecido)


Impressão Digital Cereza às 02:10
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
9 comentários:
De is a 17 de Setembro de 2006 às 22:32
Ora nem mais.
Um desconhecido para dizer o que pensamos, mas não o dizemos,
ou se o dizemos já não é o que pensamos.


De flyman a 16 de Setembro de 2006 às 22:03
Comunicação pura. Se dizemos "branco", o outro pode pensar numa infinidade de tons de branco, desde o branco mais alvo ao pérola, ou mesmo ao sujo... Aquilo que dizemos não é recebido/entendido exactamente como o intencionariamos comunicar. Se assim é, sem jogos de cintura, e em conversas ou actos bem objectivos, então nas comunicações em que se usam uns tons mais moldáveis ou pastosos, mais ou menos honestos, com maior ou menor objectividade, querendo ou sem querer, qual será o resultado final?...


De lua_de_Avalon a 16 de Setembro de 2006 às 18:10
Para representar nunca tive lá muito jeito. As palavras são o nosso segundo produto mais fácil de agir, tendo em conta que o pensamento se antecipa. É muito fácil pensar mas, contrariamente, complexo falar. Portanto é recomendável cuidarmos dos nossos pensamentos para que as palavras não nos atraiçoem.


De maria a 15 de Setembro de 2006 às 19:24
e isso será sinonimo de quê?
Cobardia, bom senso, consciência , fraqueza , mentiras, verdades... os relacionamentos humanos são tão complexos e as sensibilidades de cada um vivem sempre tão escondidas ...
quem nos diz o q é o correcto, quem sabe os segredos das mentes q nos rodeiam.


De encantos_e_paixoes a 15 de Setembro de 2006 às 17:36
Oláááááááá

A propósito de um post anterior que gostei muito mas não comentei, fica agora a nota de um dos livros da minha vida, que tem tudo a ver com o post de hoje e que é
" A representação do eu na vida quotidiana" de Goffman.

Se o virem por ai numa prateleira, vale a pena pegarem nele e levá-lo para a mesinha de cabeceira.
Muito bom, muito..., a vida de todos nos. É incrivel quando lemos a vida.
Há obras que são escrita de um modo tal que achamos que foram escritas para nós. Que está ali escrito aquilo que se passou ontem ao jantar, o que nos aconteceu no elevador quando subiamos para o serviço, porquê que trocámos aquelas palavras quando estávamos de visita a um familiar no hospital, porquê que temos aquela vontade de desaparecer nas férias.............., só lendo mesmo, só lendo,......

A vida é mesmo uma peça de teatro Cereza, para todos nós.
De certeza, que a nossa inter acção com o outro num determinado lugar, depende exclusivamente desse outro, do espaço, do tempo que nos rodeia.

Não "posso" interagir com as minhas colegas de trabalho ou com o meu chefe, (por exemplo) da mesma , maneira como me comporto em casa com a minha familia.
Ou da maneira como me (des)comporto com os meus AMIGOS,
ou com os meus vizinhos, bem vistas as coisas e muitas vezes, são bem mais intimos que a maioria dos familiares,
pura e simplesmente "não é possível".

Por defesa.
Para me preservar.
Pela minha integridade enquanto eu própria,

Por muitas e tantas coisas,
e tal como temos necessidade de compartimentar certos acontecimentos e circunstancias da nossa vida, quer seja por segurança, por estabilidade ou por amor, também necessitamos de agir/reagir de modos diferentes em ambientes diferentes.

Não estamos a mentir a ninguém ou a dissimular nada, estamos antes de mais nada a ser como a raposa do Princepezinho, .....depois, MUITO depois, logo se vê se podemos ou não aproximar-nos e qual será a distancia que podemos de facto ir

Se fossemos sempre Nós, em qualquer lugar, ao pé de qualquer pessoa e perante qualquer situação, a sobreexposição do nosso Ego, levaria provavelmente a uma fratura da nossa mente, muito mais rápida e maior do que aquelas por que temos de passar diariamente.
Essa fratura num determinado ponto seria irreversivel( apesar de todos os cuidados que possamos tomar, as pessoas mais sensiveis ou sensitivas, sofrem, cada vez com mais frequencia, uma dissolução maior e mais acelerada das suas personalidades).

Por isso, mes amis, a arte do teatro é tão importante, aliás atrevo-me mesmo a considerá-la fundamental, pois quando se sobe a um palco, (supõe-se que existe uma rede lá por baixo, tão bom, não é???)
Quando se sobe a um palco pode-se ser tudo, fazer tudo, dizer tudo, representar, é uma das maiores catarses da vida, ajuda-nos e liberta-nos. A possibilidade de interpretar liberta.

Livra-nos de todos os cuidados e armas e facas e pistolas que pomos todos os dias na mala, e na liga e no cós das calças(saias) quando saimos de casa todos os dias pela manhã.

Pois pois, infelizmente acho que todos nós já sabemos que não podemos ser mesmo nós em todas as situações e para todas as pessoas.
Se isso faz de nós mentirosos?? Não.
Cansa-nos
mais um bocadinho,
mas precisamos necessariamente de ter essa "habilidade", ou pelo menos perceber, quando a temos de por a funcionar.

Cinica eu??? Não.

Mas claro que seria um acto de loucura expor-me perante todo o mundo, a toda a hora, exactamente como sou.
Enlouqueceria. O mundo inteiro enlouqueceria.

sei que não posso viver sem regras, tento apenas escapar e tornear as situações, tal como "quase" todos, por isso Abençoado Santo Teatro e os momentos de libertação e liminariedade que nos dás.


De abel a 16 de Setembro de 2006 às 17:57
O que sentimos!
Às vezes agimos,
Outras engolimos.
Não somos como loucos
Por temermos alguns poucos,
Mas apregoamos liberdade
Por temermos a verdade

Vai muita palma
À expressão da tua alma
Bem firme nesse cantinho
Na grandeza do teu carinho
Abriste a nós o coração
Doce encanto, com paixão


De Tex a 15 de Setembro de 2006 às 17:32
O que dizemos e o que realmente queremos dizer...
O que demonstramos e o que realmente sentimos...
Conciliar palavras e gestos…ain't life all about?


De cereza a 15 de Setembro de 2006 às 14:09
O marco tem toda a razão... esta frase dá mm pano para mangas, e gostava de saber a vossa opinião.

Pessoalmente acho que a vida parece uma peça de teatro, Passamos a vida a dizer coisas que em nada correspondem á verdade. O pior é que acreditamos e depois vemos que tudo não opassou de uma encenação. mas cést lá vie... temos de nos adaptar!



De Marco Neves a 15 de Setembro de 2006 às 10:21
Há quem represente muito, muito bem. Há outros que andam enganados... até mesmo os que escolhem o que desejam transmitir. A arte da representação no quotidiano, isso dava tanto pano para mangas.


Ah... Comenta-me

av_fever01.gif

.Urbanidades Recentes

. Aberto: Rui Pedro e Anoré...

. FIM

. Porque eu? porque isto? p...

. Mulher

. Hannibal - Rising

. ...

. Voltaste meu amor...

. Falling

. ...

. Uma brincadeira...

. SuGeStÕeS:

. Pedofilia ou Amor

. coragem!

. Feliz Natal

. Ainda Tango...

. Destaque no sapo: poema d...

. Sonho § Realidade

. Do Flyman

. (...)

. Parabens Lua

av_jml12.gif myarms-yourhearse.gif

.Selvas já Visitadas

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

10MM.gif

.Procura no UJ

 

.Posts Favoritos

. Falling

. Destak

. UJ no DN

. Putas, Prostitutas (os) e...

. Casos Reais: Putas, Prost...

. Maria Madalena: Prostitut...

. "Schindler português"?

. Dedicado ao meu Pai!

. Caso de Vida

. Os BrancosNegros ou Negro...