8 comentários:
De Cristina a 3 de Abril de 2011 às 21:18
E nao acho que seja pedofilia, talvez aos olhos da sociedade sim.
Para mim, trata-se dum amor intenso e incontrolável, mesmo que no inicio ele passe por um homem preverso e repulsivo, quando se chega a meio da história há que sentir pelo menos uma pontinha de pena pelo pobre coitado, ele estava loucamente apaixonado, até no inicio ele tentou conservar a inocencia de Lolita, mas ela provocou-o até demais e já era corrupta antes de o ter conhecido, eu como rapariga de 15 anos senti mais repulsa por ela do que por ele, que miúda mais irritante!


De Cristina a 3 de Abril de 2011 às 21:05
A história está mal contada, a Mrs.Haze nao se mata, ela descobre o diário de Humbert e é atropelada acidentalmente depois de uma forte discussão com ele. E falta contar a parte inicial da história: como tudo aconteceu e a origem do gosto de Humbert por ninfitas.


De Peidofilo a 9 de Setembro de 2007 às 13:07
como se chama esse filme, deve ser fiche o prefessor a comer a aluna, ainda menor, fiche é carne fresca.


De Just a point of view a 16 de Janeiro de 2007 às 23:57
Quem leu o livro e pode ver o filme há-de chegar à conclusão que é amor . Só nao o será aos olhos dos prconceituosos que pensam que apenas por serem mais velhos nunca se poderão apaixonar por alguém muito mais novo. Quanto a mim existe uma linha bem marcada entre o Amor e a pedófilia que é pretendida extrair da obra por alguns "sábios". Há muitos anos vi um filme que não me recordo dos protogonistas mas retive o título "Ensina-me a viver". Uma mulher bastante velha e pela qual um jovem se apaixonava . Numa sociedade em que tudo e todos são criticados , em que existe um enorme número de pessoas sempre prontas para atirar a primeira pedra é natural que pensem que a Lolita não passava de uma criança ingénua, que não tinha consciência do que provocava e que o Professor era um depravado, sem escrúpulos, um pedófilo porque recusam a idéia que o mesmo lhes poderá acontecer.
=)


De marta a 16 de Janeiro de 2007 às 13:08
Cada caso é um caso....
E tem tudo a ver com a forma com que somos “moldados”
Não houvesse maldade no mundo e tudo seria mais belo....
Agora pondo os pés em terra, se há culpa, essa será dos adultos...
Não creio que as “crianças” em idade mas não em mentalidade, não saibam o que estão a fazer, talvez brinquem ok!!
Aí a sensatez de que os adultos são já dotados tem de prevalecer!
E os adultos que se recusam a crescer, e aqueles que amam sem condições?
O perigo mesmo está nos que jogam, mas será esse jogo consciente?
Não consigo julgar, no filme tudo é diferente....transpondo para uma/um filho meu...uiiiiii nem quero pensar!
Mas lá está, tem tudo a ver com culturas, e aqui lembrei-ma da raça cigana,e tantas outras...
Tudo é relativo....


De PatanisKa a 15 de Janeiro de 2007 às 17:48
Olá, Boa tarde, Feliz 2007 para todos.
A pedofilia, ou o amor por "lolitas" não é de hoje... ou será q n nos lembramos de antigamente haverem casamentos com meninas até de 13 anos??!! Agora é q há mediatismo do caso, até digo mais... agora até deve haver menos casos desses....talvez mesmo pelo mediatismo...
Beijos asteriscados :)))


De Isabel a 16 de Janeiro de 2007 às 14:44
1 d(l)ó li ta, quem está livre...livre está!
1 pedófilo, 1 “jogo” sexual, 1 perverso mundo... Nabokov, o escritor lepidopterologista, deixa-nos a reflectir nas nuances de quanto os extremos, como o amor, a crueldade e a perversidade se cruzam.
Omne animal post coitum triste est.


De WG a 15 de Janeiro de 2007 às 11:50
Nunca li o livro, mas já vi um dos filmes, apesar de não me recordar muito bem nem da história nem de qual das versões seria (penso que seria a mais recentes).

Começo por responder à tua pergunta com uma pergunta:
E não pode ser ambas as coisas?

Pedofilia: Sim, é factual e como tal não oferece dúvidas.

Amor: É mais subjectivo, até porque do pouco que me lembro o aproveitamento da situação por parte da Lolita coloca a relação mais numa de interesses do que propriamente de amor. No entanto, apenas com base no resumo quase que se poderia estar tentado também a dizer que sim.


Pergunta final: Nos dias que correm, em que a informação e a própria visualização de sexo está cada vez mais disponível para as crianças desde muito jovens, e em que elas cada vez mais cedo se iniciam na actividade sexual, qual será daqui a não muito tempo o limite no qual se considera pedofilia?


Ah... Comenta-me