Terça-feira, 7 de Março de 2006

Um lapso de tempo

Ai como o amor é lindo!!! ops... Tex eu sei que é apenas um conto! muahhhh





ysl-01-08 copy.jpg


"You said when you were with me that nothing made you high.
We drank all night together and you began to cry so recklessly.
Baby, please, don't take my hope away from me.
...
Every night on sep'rate stars, before we go to sleep, we pray so breathlessly.
Baby, please, don't take my hope away from me."





smoking_cigarette copy.jpg


A tarde estava morna e silenciosa.
Parei por um momento e enquanto olhava em redor vi-o. Estava muito perto de mim.
Com imensa tranquilidade, fitou-me. Os olhos dele tinham um brilho que eu nunca
tinha visto.
Quis aconchegar-me naquele olhar que me incendiava. Ele percebeu e sorriu.
Aproximou-se. Sacou de um cigarro e pediu-me lume. Quase soltei uma gargalhada.
Eu, só tinha uma pequena caixa de fósforos. Estendi-lha. Ele aceitou.
Tirou um fósforo com vagar, transformando o gesto numa espécie de ritual.
Quando o fósforo se incendiou, aproximou-o do cigarro e ficou ali, quieto, a
olhar para a chama.
Olhei-o, deslumbrada. E em momento nenhum esquecerei aquele olhar. Profundo, que
permanecia…
Após alguns segundos, acendeu finalmente o cigarro.
Eu, apenas desejei dissecar a sua existência.
Bastava uma palavra. Um gesto. Um lapso de tempo.



Tex 10.02.06



Impressão Digital Cereza às 21:27
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
18 comentários:
De Selvagem Anónimo a 7 de Março de 2006 às 22:46
Sabes quando tudo é tao rápido?
Sabes quando se torna tudo numa espécie de câmara lenta e percebes que o tempo é também consequência do que estás?
O segundo transforma-se.
As emoçoes perdem o filtro e ganham o tamanho dos sítios Maiores.
A dôr das coisas. O Amor das coisas.
O que se ri e o que se grita.
A parte humana de todos. A parte humana do tempo.
Sabes que nunca se pára...
Sabes quando nunca se pára?
Sim... Ás vezes apetece descansar os olhos.
Mas pode-se perder tanto num segundo...
Por ser tao humano...vanessa
</a>
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 7 de Março de 2006 às 22:52
Como um doido escreveu um dia num corrimão que vem do peito: "Do cimo daquelas escadas descansei uma tremenda insatisfação por não mais me conseguir controlar. Do cimo daquelas escadas gelava-me o vento um lado da face, a outra derretia ao Sol. Do cimo daquelas escadas, por entre pastilhas coladas e beatas abandonadas, havia luz que se via ao longe, meus olhos que morriam de desespero.
Do cimo de qualquer topo, de qualquer lugar que fosse ou sentisse…
Foi no topo daquela escadaria que por entre as árvores surge a causa de tanto pânico.
Foi ali, como noutro lugar qualquer que se torna especial, que me senti como as próprias escadas. Do cimo daquelas escadas em que te sentaste ao meu lado, vimos acima de qualquer topo… bem acima de nós. E por muito que pudesse dizer ou por mais que pudesse cantar, nada me encantou mais que a alma do teu olhar. Tão mais simples é olhar-te.. e que eles falem por mim. Pois mais não sou que um amante desta errante dor de não conseguir falar sem ser com as mãos, sentindo-me tão pequeno quando olho para ti... mesmo que seja no cimo das escadas." Autor (Des)conhecido

Marco Neves
</a>
(mailto:megabife@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 7 de Março de 2006 às 23:15
Olha, querem ver que a Tex tem queda para pirómanos incendiários fumadores? LOL Cá para mim, com aqueles olhos, era certamente o nosso querido Diabo que a galava! lolololWG
</a>
(mailto:a@a.com)


De Selvagem Anónimo a 7 de Março de 2006 às 23:38
"Não sou como a abelha saqueadora que vai sugar o mel de uma flor, e depois de outra flor. Sou como o negro escaravelho que se enclausura no seio de uma única rosa e vive nela até que ela feche as pétalas sobre ele; e, abafado nesse aperto supremo, morre entre os braços da flor que elegeu."
(Roger Martin du Gard)

Queen_Akasha
</a>
(mailto:eueueueueeeeu@eu.pt)


De Selvagem Anónimo a 8 de Março de 2006 às 08:52
O Homem dos meus sonhos, o que tanto procuro.... Eu o encontro, todos os dias, enquanto durmo....
E o procuro, todos os dias, enquanto estou acordada... Gostei Text :)RS
(http://rgtr/çljhgg)
(mailto:nelia@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Março de 2006 às 09:32

Tex mais uma vez parabens :))) jokas p'ra ti...
"Assim como o primeiro olhar entre os que se amarão é como uma semente lançada no coração humano, e o primeiro beijo de seus lábios uma flor nos ramos da árvore da vida, também a união de dois amantes pelo casamento é como o primeiro fruto da primeira flor daquela semeadura."Gibran Kahlil

lua_de_Avalon
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Março de 2006 às 09:39
"O amor romântico, e a descoberta do amor nas pessoas, tem sempre um aspecto de revelação, de ampliação do quadro da vida, o amor entre marido e mulher , entre pais e filhos, até mesmo o amor entre dois amantes apaixonados" William ShakespeareMina
(http://ehehe/hgfd)
(mailto:Mina@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Março de 2006 às 10:39
Bons Diasssssssssssssssssssssss...

Como é bom voltar, pena que não seja já definitivo o meu regresso. Aos poucos estou a regressar e admito que já tinha saudades vossas, deste espaço, dos textos e dos coments... Voltei tb devagarinho ao meu blog... Tex, esta bom o texto ;) jokas e abraçossssssssCriador_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:criadorsonhos@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Março de 2006 às 11:24
Nao sei se vcs tiveram a mesma sensação que eu, mas acho que até vi o tal olhar, xiii que arrepio.
O texto esta o maximo, a descriçao revela promenores que nos faz ver o filme, Parabens blocas
</a>
(mailto:blocas@blo.com)


De Selvagem Anónimo a 8 de Março de 2006 às 12:16
Lindo,lindo,lindo!!!A musica,o texto...AIIII!!!Que bem nos sentimos aqui...marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


Ah... Comenta-me