Terça-feira, 13 de Dezembro de 2005

2 Euros

E assim dou por encerrado o tema jantar!



Há uns dias recebi este texto do Formasdolhar, tema que acho bastante interessante... até porque me toca pessoalmente. Seja como fôr, gosto sempre de abordar problemas sociais aqui no blog!




20050604_PasseioJulioCouto36-lomo-pub copy.jpg

Noticia SIC



Família despejada por não pagar renda de 2 euros por mês.




Hoje vi a noticia que uma família tinha sido despejada por não pagar uma renda de 2 euros por mês. Chocante, não pela incapacidade de pagar a renda. Permitindo-me fazer juízos de valor, não creio, nem quero crer, que alguém seja incapaz de pagar tal montante por um tecto condigno.
Mais sendo uma família constituída por 4 membros. Pais e respectivos 2 filhos. Pouco para darem aos filhos… 2 euros!!!



Sou capaz de apostar que os pais não prescindem dos seus pequenos luxos diários (coisa que também não faço), leia-se o cafezinho, tabaco e talvez, quem sabe, uma cervejinha quando o calor aperta.



Para mim, é um daqueles casos típicos de que “não pago porque não quero”. “A habitação é camarária, o montante é reduzido, a justiça é lenta e burocrática. Alguém vai dar importância ao caso? Nem pensar!!!”



É o que se chama a vigência da sensação de impunidade. O comentário da mãe da família é o exemplo disso: “ É incrível como se despeja uma família por tão pouco dinheiro.” (valor que ascende a 50 euros, contando com os juros). Eu diria que isto até é indiciador de alguma premeditação na atitude que tomaram. Bem-haja a jornalista que imediatamente deu a volta ao texto e perguntou como era possível alguém deixar de pagar tal montante de renda, deixando a tal mãe de família semi-desarmada.



Na minha opinião é apenas pobreza social e não monetária. Perda de valores e de vergonha. Suponho eu que bastaria pensar nos filhos para não se deixar cair nessa situação.



Formasdolhar




Impressão Digital Cereza às 20:58
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
26 comentários:
De Selvagem Anónimo a 13 de Dezembro de 2005 às 21:08
.

AL´s DO SECUNDÁRIO vs LÉSBICAS vs PADRES

Ambos se podem AJUDAR MUTUA/e. Como? Sabendo q tudo se baseia numa TROCA, então aqui vai.

-LÉSBICAS ajudam PADRES

Divulgando a Campanha ´Criem a ASSOCIAÇÃO Nacional dos FILHOS/AS DOS PADRES´.

Ver: ´Padre Português teve DUZENTOS E 99 Filhos´ em http://eunaodesisto.blogs.sapo.pt/arquivo/2005_01.html#444232

-PADRES ajudam AL´s SEC

Divulgando a Campanha: ´O MAIOR CANCRO em Portugal está numa TABELA dos Subsídios Escolares para os AL´s SEC e q se encontra no Regulamento de Atribuição dos Subsídios Escolares num DESPACHO do Diário da República.´

E quem se LixA são as Classes Médias que Pagam IRS http://www.novaguarda.pt/021002/g_reg2.htm

-AL’s SEC ajudam as LÉSBICAS

Divulgando a Campanha ´Q um Homem possa Casar c/ 1 Casal de Lésbicas´. As q quiserem. eBidente!

Ver: http://www.fotolog.net/lesbick/?photo_id=7870483

CONCLUI-SE: se se ENTREAJUDAREM, ambos ganham e dão um GRANDE GOLPE NA HIPOCRISIA NACIONAL – o objectivo deste Doc

É q http://jn.sapo.pt/2005/12/10/politica/partidos_considerados_a_instituicao_.html
E quem se LixA são as Classes Médias que Pagam IRS http://www.novaguarda.pt/021002/g_reg2.htm
(http://eunaodesisto.blogs.sapo.pt)
(mailto:mauricio_102@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 16:08
Por vezes essas rendas de valores simbolicos é só para as pessoas se lembrarem de regras sociais e de valores morais que devem cumprim. Ao invés as pessoas ignoram e ainda têm a lata de dizerem bacoradas. Se fosse o caso de alguém que paga balurdios, tem a casa a cair e o senhorio não faz obras, aí ainda aceitava a situação, mas assim.... Faz lembrar aquela portuguesa aquando o Tsunami, que disse que assim já não ia ter ferias em condiçoes. é preciso ter-se muita lata!!vanessa
(http://triptofinland.blogspot.com)
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 17:58
Este tema deixa-me sempre "revoltado" ... Tenho pena das pessoas que são desalojadas, que têm as casas degradadas etc etc ... Mas partilho da opinião do meu avô que trabalha para uma senhoria com diversos predios por toda Lisboa. Existem casas de 10 assoalhadas no centro de Lisboa que têm rendas de 1500 escudos. Ok, os contratos são antigos e as portarias de aumentos são baixas. Contrato é contrato, agora o que eu condeno são as posturas de certas pessoas que exigem obras em casa, quando pagam rendas irrisorias. Já disse o meu avô "Só o custo de meter cá um pedreiro durante um dia, correspondia a 3 anos da sua renda". Deixo os comentarios para vós ...Fonz
</a>
(mailto:malcato@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 18:31
Partilho sem qualquer duvida da opinião do Fonz. Deste caso que o formas fala não sei, não vi a reportagem... mas imagino.
A minha familia tem alguns apartamentos no algarve, em que a renda para um apartamento de 3 assoalhadas de 3 ou 4 contos. Já é mau receber tão pouco por uma casa... ou seja uma casa em que se investiu muito dinheiro e que não dá rendimento nenhum... mais te-lo numa conta a prazo a render (mm pouquissimo). Mas confesso que o mais irritante, é exigirem (não é pedir nem propor - exigirem) ainda grandes reformas nas casas! Evidente que a maioria das vezes não as fazemos! Reparem... compensa muito mais não comprar casa propria, e continuar a viver nessas casas com aluguers irisórios! certo?cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 18:47
Como é que alguém chega ao extremo de perder o tecto por causa de 2€ mensais, não sei... Por umas horas, talvez... Pedir? Arrumar carros? Enfim... miséria humana agravada pela existência de menores... Realmente há, infelizmente, países onde o rendimento diário é bem menor... mas... 2€ são 7 cêntimos por dia?!... Em Portugal?... É preciso ser-se muito miserável... mental, claro.flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 19:15
Quando vi essa reportagem na tv só me deu vontade de rir, nem pena tive. pago exactamente 2 euros de renda, e esses 2 euros não são nada. Quanto a essa familia, não percebi, eram aparentemente pessoas normais. Os filhos e os pais, eram apresentáveis, bem vestidos. Mas pelo que percebi da noticia, foi que o proprietário da casa (não sei se mãe do homem ou da mulher) faleceu, e eles simplesmente mantiveram-se ali sem pensarem no que tinham para pagar.Acho engraçado, como ainda vêem os vizinhos do andar de cima, os vizinhos da frente e sei lá mais quem defender uma questão que é tão absurda.devil-girl
(http://..)
(mailto:joana.patrici@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 21:15
Não vou duscutir as variadíssimas situações sociais e monetárias que primam em Portugal e no Mundo...mas a toda a hora encontro exemplos da postura de muitos que se dizem em dificuldades, como é o caso de alunos que dizem não ter dinheiro para pagar alguma fotocópia ( na ausência do livro) e mantêm telemóveis topo de gama , assim como não têm dinheiro para comer e têm para fumar....eu realmente estou de acordo que muitas vezes o problema está na miséria mental...enfim, é uma tristeza.Majoca
</a>
(mailto:manejorge@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 14 de Dezembro de 2005 às 21:51
Eu desde que me passam pela mão declarações de IRS que apresentam encargos com habitação da ordem dos 5, 6, 7 mil euros e redimentos da ordem dos mil e pouco já não digo é nada! alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Dezembro de 2005 às 08:08
Majoca eu não diria melhor.
Reina um consciente de miséria e de falta de dinheiro, quando no fundo a miséria se passa na forma de agir. Por outro lado faço-me a seguinte pergunta:
Como é que podemos ter dinheiro com tantos preconceitos em relação a este???esquizo
</a>
(mailto:alexandre_alfeirao@bluewin.ch)


De Selvagem Anónimo a 15 de Dezembro de 2005 às 10:17
Cereza... arranjas-me um apartamento? Pago já a renda do ano... eheheehe

Bora pessoal... tá tudo convidado para a rave de inauguração ;)azeloM
</a>
(mailto:rui_brito@hotmail.com)


Ah... Comenta-me