Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2005

Eles andam aí!

A4143~Casino-Royale-2 copy.jpg


Dia 28.11.2005, pelas 18h30.


No aeroporto de Lisboa, pórtico de deteção de metais voos Schegen.
Um pouco à minha frente, na fila, um Deputado da Nação. Com um grupo de 3 outros cavalheiros. Para ajudar a passar o tempo iam-se dizendo coisas sobre o pórtico que apitava frequentemente.



O dito Deputado a certa altura comentou: "se tiver tomates de aço tá lixado".
Não sei a quem se referia mas a sua passagem pelo irrequieto pórtico não o fez tocar.
Um dos seus companheiros fez apitar a máquina. O que será?



[Error: Irreparable invalid markup ('<p<o>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p><img alt="A4143~Casino-Royale-2 copy.jpg" src="http://bbb.blogs.sapo.pt/arquivo/A4143~Casino-Royale-2 copy.jpg" width="400" height="138" border="0" /></p>
<p><strong>Dia 28.11.2005, pelas 18h30.</strong></p>
<p>No aeroporto de Lisboa, pórtico de deteção de metais voos Schegen.
Um pouco à minha frente, na fila, um Deputado da Nação. Com um grupo de 3 outros cavalheiros. Para ajudar a passar o tempo iam-se dizendo coisas sobre o pórtico que apitava frequentemente.</p>

<p>O dito Deputado a certa altura comentou: "se tiver tomates de aço tá lixado".
Não sei a quem se referia mas a sua passagem pelo irrequieto pórtico não o fez tocar.
Um dos seus companheiros fez apitar a máquina. O que será?</p>

<p<O dito Deputado alvitrou com bom humor "é uma pistola". Não me parece, o senhor em causa tirou as botas e passou sem mais alarido.</p>

<p>O tal senhor Deputado não estava ali com uma etiqueta na testa a dizer que era Deputado. A maioria das pessoas não sabiam quem ele era, ou por serem estrangeiros ou porque o não reconheceram.</p>

<p>Reconheci-o eu, que achei que era um comportamento de "viagem de finalistas", no mau sentido do termo.</p>

<p>Reconheci-o eu, como Deputado que fiquei a pensar que mereceriamos ter na Assembleia da República gente menos brincalhona. É que certos comportamentos não ajudam nada a melhorar a imagem da classe política.</p>

<p>Lembrei-me eu, que ele só chegou a Deputado em resultado de uma negociata entre um partido e a sua organização (que também é um partido político).
Fiquei a pensar que se no lugar dele houvesse outra pessoa a ocupar a função de Deputado, a Nação poderia estar melhor servida. Se calhar sou optimista...</p>

<p>Enfim, o senhor Deputado encontra-se hoje em Bruxelas com um grupo de pessoas.
Eu penso que se calhar não há qualquer tipo de problema em Portugal. Tudo é talvez uma questão do nosso FADO.</p>

<p><strong>Emotive</strong></p>


Impressão Digital Cereza às 01:08
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
29 comentários:
De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 10:10
Não tem nada a ver!!Sejam deputados,Doutores,disto ou daquilo,maquinistas,taxistas...A educação vem do berço,e da quantidade de chá que nos foi dada.Na intimidade,junto dos amigos somos todos iguais...Não sei de quem se trata,mas não é por aí que se mede,a competência das pessoas...e depois falhas,todos temos...ou não fossemos humanos...marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 10:15
Uma coisa é educação e outra é formação... neste caso também tenha a ver um pouco com "cunhas". Há quem nasça em berço de ouro e só por isso pense que tem direito a tudo. A política irrita-me, principalmente desde o dia em que não me deixaram votar. Tenho uma amiga que está a terminar o curso de Politica e relações internacionais, por isso em breve, se tiver sorte, pode ser uma deputada. E pelo que vejo das pessoas que estão a estudar com ela, pode ser que um ponto de viragem aconteça... se bem que tb acredito que o porblema é da "cadeira", que quem lá se senta muda completamente. A ver vamos...Vanessa
(http://triptofinland.blogspot.com)
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 11:02
Quando se fala de politica, costumo não comentar ou quando é algo mais especifico, falo no assunto se souber, se não, tento aprender sobre o assunto e depoisai, ou comento ou não... Neste caso especifico, permitam-me que diga de minha justiça... Lá porque uma pessoa é brincalhona, não quer dizer que não desempenhe bem as suas funções, e mesmo as pessoas que são sérias, nem sempre são trabalhadores exemplares... Falo no geral e não só para os deputados. Mas, sim claro, há sempre um mas... No caso de um deputado, visto ser ele que mal ou bem, ajuda a orientar o pais, deve sim, ter cuidado quando brinca, como brinca e onde brinca, não que seja proibido, mas sim pela imagem dele e do pais mesmo. É sempre bom estas situações de "figuras publicas, ou menos publicas", para sabermos em que mãos temos o pais. Eu já em tempos neste blog e num outro em que tambem a nossa patroa deu uma mãozinha, falei mal e continuarei a falar dos gastos exorbitantes dos politicos, neste caso nomeadamente, do Sr. Santana Lopes aquando este estava na Câmara Municipal de Lisboa... Bem, já me alonguei com isto, mas também porque hoje é Feriado no Work... A boss não põe cá as patas... WeeeeeeeeeeeeeeeeeeCriador_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:criadorsonhos@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 13:07
Uma figura publica tem sempre uma imagem a defender...seja de que quadrante for!(ainda mais sendo um governante) A imagem que transmitimos é importante para a nossa credibilidade... reparem até pode ser um execelente politico (lolll), mas com este tipo de comportamento, é um alvo a "abater" pelo publico... porque nos transmite desconfiança e deixamos de acreditar ou confiar nele. Cada vez mais a imagem que transmitimos tem um papel essencial na nossa sociedade. /// Vou dar um exemplo que nada tem a ver com a politica. Reparem nos pivots que apresentam os telejornais nos Estados unidos e Inglaterra... geralemte são pessoas de um certa idade, e porque? Porque transmitem confiança, credibilidade, e respeito... situação que não acontece em Portugal por exemplo... reparem que os pivots são cada vez mais jovens.. (tirando os mais consagrados) e são escolhidos como? Pela beleza! Isto é um tema muito discutido nas redacções das televisões... Será que um jovem a apresentar um jornal transmite confiança e sabedoria? Duvido!
Escolhi este video (sátira) do Eminem de proposito... quando as pessoas se transformam em figuras publicas, surge o "deslumbramento" e a tendencia é cairem no ridiculo.
cereza
(http://bbb.blogs.sapo.pt/)
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 14:23
Por acaso se há coisa que abomino é este tipo de "palavrinhas", não gosto de asneiras, a brincar ou não todas elas me soam mal e não gosto.
Em relação a ser uma figura pública, é-me indiferente, saindo ela de uma boca famosa ou de um simples comum, so lhe fica é mal e como já aqui foi dito é tudo uma questão de berço e chá bebido.
blocas
</a>
(mailto:blocas@blo.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 14:40
Digo sempre, que primeiro somos todos pessoas, com todos os nossos defeitos e virtudes. O facto de se ter um "canudo" ou uma posição social mais favorável, nunca deu educação a ninguém ou faz dela boa ou má pessoa. O que é um facto é que o poder corrompe e no nosso País quando alguém consegue arranjar um "lugar ao sol", parece que este lugar acaba por lhes queimar os miolos (não digo que sejam todos, mas a maioria são de certeza). Também estou convicta que não se conseguem posições dessas, pelas aptidões, mas sim pela capacidade com que sabem "lamber as botas", o que não é para todos!.... Claro que quando estes dois factores (canudo e culambista) se juntam dão os tarecos e os bobbys, sobretudo da nossa classe política. Eles andam aí! LOL^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 14:45
Concordo com a blocas quando diz que as asneiras ficam mal a qualquer um. Contudo, tal como a Cereza referiu, as figuras públicas devem ter cuidados redobrados, principalmente se se tratarem de pessoas com cargos representativos de um povo e de uma nação. Se esta situação tivesse como protagonista um quelquer ilustre desconhecido, dificilmente daria um post... É lamentável que a nossa classe política seja cada vez menos referenciada por coisas dignificantes. Ao invés disso, cada vez são mais frequentes histórias deste tipo, que contribuem para que todos nos sintamos tristes e embaraçados...Safira
</a>
(mailto:ana.f.ferreira@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 17:57
Só uma questão: Eu sou gozão e brincalhão, logo não sou competente ? Isto parece-me o caso do Clinton. Lá pq ele era o presidente daquela coisa chamada EUA, não podia brincar com a Monica ? Certamente outras pessoas tb o fazem ... Realmente, parece que às vezes n queremos ser humanosFonz
</a>
(mailto:malcato@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 20:09
Emotive, tu tens toda a razão quando condenas este tipo de comportamento... Afinal são as pessoas que decidem o nosso futuro, e que representam a nossa nação.. Mas deixa me que te diga que no meu trabalho lido com muitos deles, e a maior parte da me impressão que se esquecem de quem são e do que representam.. Enfim estamos em Portugal, infelizmente temos que viver e ser governados por um grupo de pessoas que nem sabem estar na sociedade; quanto mais governar o nosso pais... P-U-D-I-M
</a>
(mailto:luistefe@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Dezembro de 2005 às 20:36
O comentário que fiz foi no geral. Claro que são seres humanos e como tal têm as suas falhas, têm as suas brincadeiras. Mas concordo quando dizem que figuras públicas devem ter cuidado a redobrar, quanto mais não seja, numa próxima vez, que faça o mesmo comentário mas num tom mais baixo. O facto de fazer brincadeiras e dizer piadas não quer dizer que seja mau deputado. Mas também pelo conteúdo ou tom com que as coisas são ditas podemos avaliar determinadas competencias da pessoa. Ou pelo menos se são crediveis. Mas também faço agora uma pergunta: o que é melhor: ser "humano" como o deputado português, ou ser baço, frio como os deputados daqui?Vanessa
(http://triptofinland.blogspot.com)
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


Ah... Comenta-me