Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005

Doação de brinquedos ao IPO

Não gosto daquela "lenga lenga" que toda a gente tem pelo natal. "Para as crianças devia ser Natal todos os dias" .. pois devia, mas não é! Infelizmente só se ouvem estas palavras nesta altura do ano... É preciso chegarmos a Novembro, Dezembro para todos queremos ajudar os mais desfavorecidos... não devia ser assim, mas é! Por isso não sejamos hipocritas! Ao menos uma vez por ano, as crianças acreditam que o pai natal vai descer pela chaminé e trazer algo de mágico! Para as crianças mais desfavorcidas, e doentes essa magia é maior ainda!



A Laskinha mandou-me este mail, que tem a ver com a zona do Porto... mas todos nós que vivemos noutras zonas do país podemos fazer o mesmo. Deixo já aqui uma pequena brincadeira!


bonecos-disney.jpg


"Para quem puder ceder brinquedos porque já não precisa, ou comprar um para oferecer..."



Uma enfermeira do IPO do Porto informou um jornal online que precisa de brinquedos e cassetes com filmes para as crianças lá internadas, já que neste momento nada têm para lhes oferecer.



Podemos ajudar as crianças do IPO entregando filmes em VHS! Cassetes de vídeo que já não fazem falta em casa, porque foram substituídos pelos DVD´s, podem fazer felizes doentes que estão isolados na unidade de transplantes do Instituto Português de Oncologia.

Uma «comédia» pode ter outro significado para uma criança que precisa de um transplante de medula.



Segundo o Portugal Diário "O Instituto Português de Oncologia (IPO) está a angariar filmes VHS para os doentes da unidade de transplantes que estão em isolamento. São crianças e adultos que precisam de um transplante de medula e de estar ocupados durante o tempo de internamento», explica a enfermeira responsável pela unidade, Elsa Oliveira. «Temos sete quartos nesta unidade e todos eles estão ocupados. Estas pessoas não têm defesas e, por isso, estão num ambiente protegido», explica a enfermeira, para quem esta iniciativa vai fazer com que o tempo de espera custe menos a passar. A «falta de "stocks"» torna necessária a ajuda da população.



«Precisamos de filmes para as pessoas mais desfavorecidas que não têm possibilidade de os trazer. Algumas crianças trazem os seus próprios filmes e brinquedos mas depois quando têm alta levam-os», acrescenta a enfermeira. O IPO aceita todos os géneros de filmes, mas a preferência vai para a «comédia».



Numa altura menos feliz das suas vidas, «um sorriso vai fazer bem a quem passa dias inteiros numa cama de hospital». Rir é sempre um bom remédio.



A morada é a seguinte:

Instituto Português de Oncologia do Porto

Serviço de transplante de medula óssea Piso 11

R. Dr. Antonio Bernardino Almeida 4200 Porto

A/c da enfermeira Fernanda Soares ou A/c Enfermeira Ana Paula



Laskinha


Impressão Digital Cereza às 19:53
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
19 comentários:
De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 02:12
vou quebrar o gelo! sei que estes temas são dificeis de comentar. Por isso apenas quero dizer que temos e ler isto com um sorriso de ternura, e ajudar no que pudermos! Por mim tenho caixotes de VHS na garagem... vou escolher as comedias, e entregar no IPO de LX. Não há politicos, nem $$$ suficiente no mundo que podem ajudar estas crianças... se um filme os faz sorrir, é isso que vou tentar fazer.
cereza
(http://bbb.blogs.sapo.pt/)
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 02:24
Complicada situação! Não gostava de ser tão descrente em relação a estes pedidos de inter ajuda mas ou por mal ou por bem, lembro-me sempre e não tem comparaçºao possível, porque não se tratava de doença, os enxovais que se faziam para os bebés das famílias pobres, nos anos 60/70. Havia sempre alunas que se esmeravam e desdobravam para contribuir com a peça mais bonita ou peças, que muitas delas colaboravam com mais que uma. Depois era feita uma exposição, inaugurada com pompa e circunstância, no ginásio do liceu. Até aqui tudo bem ! Um dia, descobrimos que a GRANDE parte dos enxovais e sobretudo os que continham as peças mais bonitas e caras, era dado às professoras que estivessem á espera de bebé. Pela parte que me toca , nos anos seguintes recusei-me a contribuir e arranjei mais um motivo para me chatearem, mas isso é outra história. Tento acreditar que tudo o que é dado vai parar ás mãos de quem mais necessita , mas desculpem o meu cepticismo, não é o acontece na grande maioria dos casos. Pelo caminho alguma coisa há-de ficar ..! Contribuo e continuarei a contribuir directamente no hospital que eu conheço por dentro e por fora, olhando as pessoas, crianças e adultos, nos olhos e dando-lhes um abraço e dizer-lhes que não estão sós. Ser-se solidário não tem dias marcados. assim como não existe uma época especifica para DAR porque quem está doente quer receber nem que seja um aceno, companhia ou um perguntar: Precisa de alguma coisa?
Sei que as grandes instituições de debatem com enormes carências, mas nem sempre o panorama é tão negro como o pintam. É de elogiar quem luta ao lado destas crianças 24 horas por dia, sem baixar os braços mas são as mesmas crianças que nos dão lições de vida sem exigirem nada. Elas são os pequenos/as grandes heróis e heroínas deste mundo que nos rodeia e perente eles/as me curvo. Não existe "comédia " possível que possa ser dada a estas crianças. Mais uma vez, perdoem-me esta minha .. nem sei como lhe chamar.
Beijinhos constancinha-maria
</a>
(mailto:nao-tem@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 08:07
Desde pequena que dou as minhas coisas (roupas, brinquedos, calçado, etc...) a uma instituição do porto, os meus moveis dou a associação reto mas de facto nunca pensei que no IPO existisse essa necessidade. Conheco perfeitamente (infelizmente) o IPO e a tristeza que tenho quando lá passo é imensa, mas n vou esquecer de enviar todas as minhas cassetes de comedia... acho que são gestos pequenos como estes, que nos tornam pessoas melhores. obrigada cereza pelo texto, pois n tive conhecimento de que isso era de facto importante para o hospital.devil_girl
(http://..)
(mailto:joana.patrici@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 09:25
O primeiro parágrafo que escreveste é o que sinto em relaºão ao Natal: consumismo puro e esquecemo-nos do mais importante, que é estar com a familia. é claro que uma lembrança cai sempre bem, mas pq da-la em dias especificos? Pq n antes "olha, hj vi isto, lembrei-me de ti e acho que ias gostar". Desde que me conheço como gente que recolho coisas pela vizinhança pra levar a duas instituições de crianças perto de mim. Este ano não vou lá estar, mas sei que posso contar com o meu pai pra fazer o mesmo. No ano passado até consegui donativos de duas empresas. é esta a minha melhor prenda de Natal, ver os sorrisos das crianças.Vanessa
</a>
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 09:28
Concordo com a cereza. este é um tema dificil, mas quem conhece crianças como estas, com cancro e com outras doenças terriveis, acaba por perceber que saõ as criaturas mais lindas, mais fortes e corajosas que podem existir.
Eu convivo com uma todos os dias, a minha propria filha, e posso dizer que coitadinhos somos nós quando não conseguimos encarar estas coisas de frente, com um sorriso, com a ternura e a entrega, que este video por exemplo mostra.
Ser doente é mau, ser criança e doente é muito mau, mas garanto-vos que estes meninos se tornam criaturas quase que angelicais.
Comento muito pouco o facto da minha filha ter uma doença crónica gravissima, mas é nestas ocasiões que tenho de usar o conhecimento de causa, a força interior que ela tem para dizer,ajudem naquilo que puderem, mas nunca com o sentimento do "coitadinhos", porque nestas crianças vive a alma da vida.....
Doi, é muito dificil, os apoios são poucos ou nenhuns, mas garanto-vos que quem conhece uma criança destas....a minha por exemplo....conheço um mundo lindo....um mundo aonde um sorriso vale tudo, aonde um abraço é ouro, aonde um dia bom vale por uma vida inteira.
Estas crianças são criaturas de luz. Eu costumo dizer que a Terra só é perfeita vista do espaço....mas também é perfeita quando se abraça alguem com um metro e poukinho de altura...doente...e que nos diz...oh mãe mas não te preocupes.
Ajudem no que puderem...com ternura :)
Obrigada e beijinhos para todos m0mentum
</a>
(mailto:m0m3@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 09:31
Ola bom dia, devo informar que o IPO aceita qualquer coisa que lhes queiram dar, já há muitos anos que eu varias vezes por ano dou brinquedos do meu filho, dou roupa de todos de nós, dou filmes etc. e não é necessario esperar por esta data, porque eles necessitam durante todo o ano. Eu faço-o todo o ano!A Blocas
</a>
(mailto:blocas@blo.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 11:17
Bom dia, Cereza mais uma a dizer que é um tema difícil. Pois eu à muito que o faço, peço a colegas e amigos e eu própria, tudo que não queiram, me dêem para eu doar a uma Instituição de Deficientes a quem o Estado infelizmente retirou todos os apoios (subsidios). Esta Instituição é muito carenciada e o que tem salvo são as ajudas dos próprios familiares dos Deficientes. De qualquer das maneiras vou fazer todos os esforços juntos dos meus colegas, amigos e alguma coisa se há-de arranjar para o IPO do Porto. Beijos para todosluadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 13:37
Leio isto tudo e penso... como sou feliz. A quantidade de coisas que tenho que outros não têm... e como sou injusta: quantas vezes reclamo por não ter coisas materiais se tenho o mais importante de tudo! Quantas vezes essas coisas importantes passam ao lado... /// Porém, também quero dizer que não considero o Natal hipócrita. São as pessoas que o vivem na perspectiva do consumismo que são hipócritas, não o Natal. Independentemente da religião que professamos (e, a menos que tenhamos práticas concretas doutra religião, somos cristãos, quanto mais não seja por motivos de organização do calendário...) o Natal tem um significado desconhecido (?) para a maioria das pessoas e a sua essência enquanto símbolo do Nascimento da Esperança é aquela que deve prevalecer no dia a dia e por isso se diz que todos os dias podem ser dias de Natal. Mas a verdade é que dificilmente se passa sem aderir ao espírito do novo Natal... comprar, comprar, comprar... a sociedade actual, profundamente consumista, cativa as pessoas para esta vertente económica. Depois, o ego de cada um faz com que entrem em competições com familiares e amigos, ou mesmo com eles próprios, para se ultrapassarem as marcas dos anos anteriores, como se isto fosse uma Olimpíada: comprar mais, mais caro e maior... /// Eu sinto que devo oferecer uma lembrança no Natal a quem me acompanhou o ano todo, a quem me ajudou, a quem se lembrou de mim e a quem me disponibilizou o seu ombro para eu chorar ou me deu o seu abraço. Recordo uma ocasião triste em que quis oferecer um presente a várias pessoas e não podia: arranjei uns frascos de vidro, enchi-os de areia da praia e algodão e fico feliz, feliz, feliz por os ver quando visito essas pessoas... ou seja, sinto que é Natal cada vez que vejo os frascos pois sinto-me acompanhada por essas pessoas... (e se os frascos são feios... fogo!) /// Está na mão de cada um fazer Natal quando se quiser... mas é mais fácil aderir-se ao consumismo e depois dizer que o Natal é hipócrita. /// Cereza, mandarei vídeos com certeza, e penso mandá-los em nome do UJ. M0mentum, a partir de hoje os teus bons dias serão recebidos com muito mais admiração...Lena
</a>
(mailto:bonecarussa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 17:34
Juntar as ofertas para o IPO ou para a Instituição de que a luadourada fala, no nosso almoço de dia 10 e um conviva que seja do Porto, disponibilizar-se para as entregar?... Será que a nossa reunião de dia 10 ainda faria mais sentido?... é só uma sugestão...flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 24 de Novembro de 2005 às 17:49
eu acho uma excelente ideia flyman!
Podiamos todos levar filmes e brinquedos!cereza
(http://bbb.blogs.sapo.pt/)
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


Ah... Comenta-me