Sexta-feira, 28 de Outubro de 2005

Um mail para nós!

Esta noite, numa das minhas longas maratonas na net até ir para a cama... fui ao mail que tenho no sapo! Infelizmente por vezes esqueço-me que esses mail existe...porque incrivelmente é onde encontro os emails mais incriveis...claro, é o mail que está no blog!

Tinha mails de uma norte americana, uma brasileira, e um espanhol... fãs do UJ! Chego a perguntar-me como entendem o que está lá escrito! Se calhar vão ver as fotos, os clips, ouvir as musicas... nem sei bem.

Está lá também um texto para dedicar á Lua Dourada...era para o pôr aqui agora... mas encontrei outro mail, que mexeu comigo...e não tive alternativa (o teu texto entra amanhã Lua) Li com extrema atenção...fiquei agarrada até ao fim! Se é veridico ou não, isso não é o mais importante... o importante é o tema em si! Se é verdadeiro, acreditem que me revolta saber que ainda há pessoas que vivem assim em Portugal! "Mulher_de_armas", espero que vás conversando conosco nos comentários!
Ela pede os vossos comentários, e sei que vocês não me vão deixar mal! Ora leiam com atenção!


lilyacornli-115 copy.jpg


"Olá Cereza

Confronta os teus bloguistas com um problema sério, que pode ser de qualquer deles.

Hoje, ontem, anteontem e amanhã, é meu. Até quando, não sei. Ando desde segunda-feira a comer sandes de alface, pão com folhas de alface.
Porquê? Porque não tenho mais nada para comer, ou seja, não tenho um chavo, um centavo, um cêntimo. Ontem e hoje fui a pé apanhar os transportes, caminho que normalmente faço de carro. Motivo: o carro não tem gasolina.
Porquê? Adivinha! Pois, acertaste!

Não tenho cheta no telemóvel, não tenho gasolina no carro. O mais curioso é que tenho 6 euros no banco mas, até me dá vontade de rir, os multibancos só têm notas de 10 ou de 20 e eu não posso sacar 5 eurozitos.

De noite ao jantar, tenho comido pão com queijo, que se acabou ontem, mas ainda bem, já estava muito ranhoso, e gastei os cogumelos e as ervilhas todas. O meu filho tem comido massas com queijo derretido.
Hoje foi jantar a casa duns amigos, adivinha porquê? Nos últimos dias instituí que a hora de deitar é cedissímo. Porquê? Quanto mais cedo me deitar, menos sinto a fome. Mas no meio disto tudo, ando com boa cara e faço os possíveis e impossíveis para que ninguém note. Sei que tenho um defeito muito grande: sou incapaz de pedir ajuda, seja a quem for. A minha família punha-me 100 euros no banco, mas tinha que os ouvir durante 10 anos.

Prefiro fazer uma enorme ginástica, digna dum acrobata para tentar minimizar as coisas. Mas hoje fiquei doente com uma cabra duma gaja, puta de merda, vaca safada: na medida do possível ninguém sabe de nada, e o meu filho muito menos e eu trago-lhe todos os dias uma carteira de cromos que custa 35 cêntimos.
Ele fica feliz e nos últimos dias digo-lhe que só havia uma, que já tinham vendido as outras todas. Mas hoje, eu tinha 34 cêntimos e ela não me vendeu a carteira de cromos. Deu-me um ataque de choro enorme. Um cêntimo, um só, o que eu dava por ter alguém perto para pedir um cêntimo mas não havia ninguém e eu ainda tenho 34 cêntimos na carteira, que me pesam como chumbo, mais do que todo o dinheiro do mundo porque, acredita, não me importava de continuar a comer pão com alface, mas queria ter trazido a carteira dos cromos.

O queijo acabou-se. O pão já o comi. Amanhã é outro dia e como disse alguém nos comentários anteriores, vivemos com esperança na esperança.
Não quero que ninguém tenha pena, e não assino por vergonha, mas não queria
deixar de confrontar as pessoas com esta realidade. Espero que ninguém saiba do que falo.

O mail do qual envio esta carta é inventado.
Um beijo para ti."



mulher_de_armas



strong:
"I See The Fear In The Things We Don't Understand
I See The Fear In Another Blind Man
I Can't Hold Back This Fight That Stills Inside
I Can't Hold Back Who I Am

I Know You're Strong
I Know You Belong
I Know You Are Strong
My Beautiful One

I Can't Turn Away From What I Believe
I Can't Destroy Or Deceive Oh No Oh No
I Know A Beauty In All That I Can See
I Can't Hold On But You Can't Release..."




Impressão Digital Cereza às 01:06
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
47 comentários:
De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 02:12
Um centimo, um misero centimo.....
Um centimo que representa a felicidade duma criança. A relatividade do valor dum centimo é impressionante. FDX....formasdolhar
</a>
(mailto:formasdolhar@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 08:12
Não posso ficar indiferente a isto...tais como muitas, esta é mais uma historia de vida que me emociona bastante. lembro-me de ser pequena, tinha tudo o que queria, não a nível material, mas o amor e carinha que a minha avó sempre me deu, eram a melhor coisa que eu podia ter enquanto criança. não passava fome, mas via aquela mulher trabalhar de dia à noite para me poder trazer um pouco de chocolate para por no leite e adoçar a minha noite. Mas são historias como estas que me poem a pensar. porque que um misero centimo faz tanta diferença? e porque que a vida é tão negra? porque as dificuldades que temos que passar são cada vez maiores. Mulher_de_armas, a ti só tenho que te desejar muita sorte, muita força e coragem (apesar de já teres demonstrado ter). um beijo enormedevil_girl
(http://..)
(mailto:joana.patrici@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 09:42
mulher_de_armas a tua situação pode acontecer a qualquer um de nós, sem dúvida, e se calhar alguns já passaram por situações semelhantes. Lido todos os dias com situações dramáticas na minha Escola. Podia descrever aqui dezenas delas, de crianças que a única refeição que comem é o almoço, porque é de graça... Preocupa-nos sobretudo os fins-de-semana, porque sabemos que passam fome. Temos desencadeado movimentos de solidariedade para ajudar estas famílias, algumas das quais, para além dos problemas económicos, têm problemas sociais dramáticos que já ninguém consegue resolver... Sei do que falas quando dizes que 100 euros da tua família seriam cobrados durante 10 anos... se calhar também preferia comer pão com alface dias seguidos a pedir-lhos. Mas a solidariedade genuína e desinteressada, apesar de tudo, ainda existe... acredita... acredita pelo menos pelo teu filho, para que ele não cresça a pensar que vive num mundo desumano, para que ele aprenda também a ser solidário... Não vale a pena dizer-te que não deves sentir vergonha, tu sabes isso... mas sentes na mesma, eu sei... melhor seria poder ajudar-te a resolver a situação de fundo, a que te deixa chegar a essa situação... Tenho actualmente uma amiga que só não chegou a essa situação porque tem uma reserva de dinheiro que vai servindo para cobrir o que todos os meses falta... estamos a ajudá-la a tentar reduzir as despesas com a renda da casa e a procurar aumentar o seu rendimento para que possa viver uma vida sem tantos apertos e nada lhe falte nem ao seu filho, nada... E nada lhes irá faltar, bolas! alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:07
Estes problemas estão muito mais perto de nós do que aquilo que imaginamos. A boa disposição é capaz de esconder muita coisa porque há sorrisos que vivem nas pessoas e elas não se divorciam deles por muito que a vida lhes custe. Também eu tenho uma amiga que inexplicavelmente não vive de oxigénio e sim de boa disposição: o filho tem problemas graves de saúde, o marido está desempregado, tem a seu cargo a mãe, já velhinha, ela sustenta tudo e ninguém nunca viu um olhar triste naquela cara! Mulher do caraças! Enfrenta a vida como se enfrenta um touro em pontas, sem medo e com muita, muita coragem. Um beijo e um abraço apertado para ti, Manuela! /// Eu sei o que é a felicidade, a alegria, o contentamento que dá uma carteira de cromos. É das coisas pequenas, das maiores que o mundo tem porque os garotos vibram com elas, como vibram com o carinho da mãe. Lena
</a>
(mailto:lena@lena.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:20
A realidade aqui descrita é mais comum do k se possa imaginar :(
Mulher_de_armas, k as tuas maiores armas sejam sempre essa força e o amor pelo teu filho :)Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:23
MULHER DE ARMAS, A VIDA POR VEZES É LIXADA, E KEM SOFRE SOMOS SEMPRE NOS, OS MAIS PEQUENINOS.... MAS NUNCA DEIXES DE SORRIR E DE FAZER O TEU FILHO FELIZ, PORQUE SE FIZERES ISSO, UM DIA NO FUTURO, OLHARAS PRA TRAS E VERAS K T SENTIRAS REALIZADA... É INCRIVEL COMO SITUAÇOES DESTA AINDA ACONTECEM EM PORTUGAL, NO SEC. XXI... FDX, DA-SE RENDIMENTO MINIMO A TRAFICANTES DE DROGA, PROSTITUTAS, ETC; E É S INCAPAZ DE AJUDAR ALGUEM K REALMENTE PRECISA... NESTAS SITUAÇÕES EU PERGUNTO, PARA K K NOS DA-MOS DINHEIRO PRA SEGURANÇA SOCIAL.... MULHER_DE_ARMAS, UM BEIJINHO E TEM MUITA FORÇA, NUNCA DESISTAS....ALBJGC
</a>
(mailto:RANGERCOSTA@LYCOS.CO.UK)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:24
Passam-me um turbilhão de coisas pela cabeça neste momento... Das coisas que egoisticamente reclamamos no nosso dia a dia, como se costuma dizer "de barriga cheia". Ficamos a pensar nas nossas realidades sem sequer pensar que existem pessoas que dariam tudo para ter um décima parte daquilo que possuímos. Preocupamo-nos com mesquinhices sem jeito nenhum, quando deviamos dar graças todos os dias pelo que temos. Mas o ser humano é assim, nunca está contente com aquilo que tem, enfim! por mim falo claro! Quando somos confrontados com situações destas ficamos revoltados e impotentes, para ao gesto de um "clic" fecharmos a janela e voltarmos-nos para as nossas mesquinhices, para as quais damos tanta importância. A facilidade com que esquecemos as coisas pelas quais não passamos é impressionante. ^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:26
Fiquei sem palavras,e com uma revolta imensa....Um abraço carregado de força e esperança para ti mulher_de_armas.marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:43
Mulher_de_armas a fome, ela corrói minha alma, vejo a dor daqueles que têm fome.
É uma dor física, mas também espiritual e que as tuas maiores armas sejam a força e o amor pelo teu filho, nunca desistas ... um grande abraço Mulher-de-armas
luadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 10:59
Quero dizer que é verdade o que escrevi. Quero dizer também que não sou daquelas pessoas que têm dividas ao banco, aqui e ali. Quero dizer que a última peça de roupa que estreei foi no dia da Mãe, em Maio. Não devo nada a ninguém. Acho que há sempre imensa gente pior que eu e considero que nem ganho mal, mas as coisas são tantas, e o mês do inicio da escola é aterrador para quem tem miúdos. Já fui gastadora, mas a vida obrigou-me a deixar esse vicio. Não nego que gostava de voltar a ser... Passar de mal a bem, é muito bom, mas o contrário tem sido uma lição de vida muito grande, que me tem ensinado e mostrado os meus limites como nunca pensei que acontecesse. Continuar a viver e mostrar aos outros que continuamos na mesma, quando estamos tão diferentes, tem sido complicado e tem sido uma das provas mais difíceis por que já passei. Mas não quero penas e a vergonha de que falo relaciona-se com o facto de qualquer um de vocês achar que me deve pagar um almoço, ou algo do género. Temos que aprender a viver com as condicionantes e constrangimentos da vida. Há sempre qualquer coisa que vale a pena e eu centro-me e concentro-me em encontrá-la e ultimamente tenho tido surpresas agradáveis, com descobertas que antes pouco me diziam. Verdade que fiquei doente com a cena do cêntimo... foi a gota de água. Se aquilo não tivesse acontecido, provavelmente não estaríamos aqui a falar disto. Não tenham pena de mim: trabalhem, nas mais variadas vertentes dos relacionamentos que sustentamos diariamente, para estarem preparados para uma situação semelhante que, contudo, não lhes desejo. Abraços para todos. mulherdarmas
</a>
(mailto:mulherdarmas@hotmail.com)


De Norberto Gualdino a 25 de Agosto de 2006 às 00:34
não gostaria de te pagar um almoço , ou que quer que seja , mas bem gostaria de estar ao teu lado para poder dar o tal cêntimo que a tal cabra não teve coragem para ter facilitar , nada mais triste que é o olha triste de uma criança
Parabens por seres MÃE


Ah... Comenta-me