Segunda-feira, 10 de Outubro de 2005

Analogia dos Sintomas

Quantas e quantas vezes não sentimos que chegou o momento de riscarmos definitivamente certas pessoas da nossa vida... A mathinha demonstra isso bem...





moon.jpg


Um dia risquei-te com giz,
Do quadro dos meus sintomas.
No dia seguinte lá estavas,
De novo,
De braços cruzados, sem arredar pé,
Renitente com pose de quem veio para ficar.
Culpei o giz,
Que estava gasto de tanto te riscar.
E o quadro também,
Porque tinha permitido cravar o teu ‘eu’
E agora as cicatrizes formavam vincos,
Fundos como rasgões.
Na medida dos teus desejos,
Eu projectava os meus,
Mas não eram meus,
E nem sequer teus.
O teu silêncio falava mais alto,
E eu tapava os ouvidos e gritava.
Na minha sombra eu só via a tua,
Que me perseguia,
Inerte, altiva mas incapaz,
E eu fugia para o escuro.
Trocaste o meu sol por um que era só teu,
Sem brilho,
E eu não quis mais brincar.
Vestiste a minha lua de negro gélido,
E eu senti o frio da solidão.
Um dia, comprei um giz novo,
Risquei-te do quadro dos meus sintomas,
E senti a beleza de nada sentir…



Mathiot



Impressão Digital Cereza às 10:40
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
27 comentários:
De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 11:45
Mathiot! lindo!!! diz-me onde compraste o outro giz, preciso urgentemente dele :)^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 12:17
Só nos marca, quem nós deixamos, e não quem quer...
Com o suceder do tempo, a dor vai sendo substituída pela
memória doce ,a amarga saudade vai ficando cada vez
mais saudade pura .Resiste-se melhor, e vive-se outra vez.
O tempo é um grande aliado....é só preciso saber esperar....
Um beijo Mathiot, gostei !! :)*
marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 13:51
Um texto belo sim, sobre fazes que acho que todos passamos... todos temos de passar.. sob pena de não sabermos o que são sentimentos (por muito que nos doa na altura) ... claro que há outras técnicas de blindagem.. mas que tb não deixam a nossa beleza e o nosso ser transparecer.. Beijos MathiottazeloM
</a>
(mailto:rui.brito@vianw.pt)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 14:08
Mathiot, o teu texto está lindo! Penso que todos nós já sentimos a necessidade de apagar alguém do livro da nossa vida. No entanto, neste tipo de histórias, há personagens que teimam em permanecer, mesmo contra a nossa vontade, e é aí é que a coisa se complica. Perante a impossibilidade de as apagar, cabe-nos a tarefa de as remeter ao espaço que elas merecem e, a partir daí, continuar a escrevera história. um beijo para todos e uma boa semana! *Safira
</a>
(mailto:saphireonearth@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 14:11
Lindo texto :))

Riscar alguém da nossa vida é sempre doloroso...mtas vezes apaguei pessoas da minha mente mas não consegui apagá-las do meu coração....Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 14:19
Riscar ou eliminar pessoas da nossa vida não é, nunca foi e creio que nunca será algo que se escolha fazer de ânimo leve, principalmente porque se essas pessoas estão, de alguma maneira, presentes na nossa vida, só pode ser por deterem algo que nos marca, independentemente da forma como tal acontece, a qual nem sempre é positiva, infelizmente. Há pessoas com uma capacidade fantástica para "fazerem" de nós pessoas mais felizes e satisfeitas, e depois há outras que mais parecem um instrumento inventado com um único e só objectivo, o de descobrir e trazer à superfície o pior que existe em nós. São estas últimas que deveríamos ser capazes de afastar do nosso caminho, mas por vezes a tarefa é árdua, muito árdua, chegando a ser dolorosa, até, numa escolha que por vezes não queremos fazer entre aquilo que queremos e aquilo que precisamos...Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 14:27
Rectificação ao comentário anterior: - Riscar ou eliminar pessoas da nossa vida não é, nunca foi e creio que nunca será algo que se escolha fazer de ânimo leve, principalmente porque se essas pessoas estão, de alguma maneira, presentes na nossa vida, só pode ser por deterem algo que nos marca, independentemente da forma como tal acontece, a qual nem sempre é positiva, infelizmente. Há pessoas com uma capacidade fantástica para "fazerem" de nós pessoas mais felizes e satisfeitas, e depois há outras que mais parecem um instrumento inventado com um único e só objectivo, o de descobrir e trazer à superfície o pior que existe em nós. São estas últimas que deveríamos ser capazes de afastar do nosso caminho, mas por vezes a tarefa é árdua, muito árdua, chegando a ser dolorosa, até, numa escolha que nem sempre estamos preparados para fazer entre aquilo que queremos e aquilo que precisamos...

Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 14:46
É lindo o teu texto!!! Tenho pena de não conseguir deixar-te palavras tão bonitas como as que deixas no teu poema...Tal como a Tex diz "Riscar alguém da nossa vida é sempre doloroso..." vou fugir um pouco ao tema ...e como falas na "lua"...
Bem... a Lua para mim é sagrada, o seu brilho, o seu mistério, a sua beleza... ver a Lua reflectina no mar é das imagens mais bonitas que existem, principalmente se a noite é fresca e o mar está calmo... Por vezes precisamos de desabafar com a Lua... Minha confidente nas noites em que nao consigo dormir... No final acaba por passar... há tristezas que demoram mais, outras nem tanto, mas sê forte e acabas por ganhar forças... Deixa a trizteza fugir nalgum Luar perdido e voltarás a sorrir com vontade... Beijos Mathiott



luadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 14:55
A esponja é mais suave e eficaz... não deixa riscos nem cicatrizes. O problema é que por muito versáteis que possamos ser a resolver sentimentos, os sentimentos não são fáceis de resolver. flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 10 de Outubro de 2005 às 16:13
Marta querida discordo nas marcas que só existem se deixarmos....eu prefiro gavetas onde arrumo tudo, se têm chave ou não....isso é que é uma opção minha...Beijos mathinha adorei:)Majoca
</a>
(mailto:manejorge@netcabo.pt)


Ah... Comenta-me