Quinta-feira, 22 de Setembro de 2005

Amar perdidamente!

Hoje é um dia muito especial para mim, para mim e para o amor da minha vida. Parece que foi ontem, que no dia 22 de Setembro juramos amor eterno! E é verdade, é um amor muito especial, cumplice, generoso, terno, e enlouquecedor. Amo-te!



Para ti meu amor este poema e "esta" música:



io-donna-0605-ny70-06 copy.jpg




Amar-te perdidamente
Ser um ser que voa pelo mar
Que te adora
Que te explora
Na imensidão azul tocante,
Emocionante
Sou a chama acesa
A beleza, que há em ti
E eu ao sentir que te perdi
É um traço, uma lágrima
Caída no chão
És tudo para mim
E eu não posso viver sem ti....



Cada vez que sofro
Tudo volta atrás
E a esperança é maior
Porque é que estás longe de mim
E eu não posso tocar em ti
Beijar-te, abraçar-te
Ser mais uma chama acesa
Que queima intensamente
Sou o grito
Sou a água
Que vai pela corrente.



Sou uma lágrima de dor
Caída na imensidão do amor
Vivida e sofrida
Por tudo o que passa por nós
E vive-se intensamente
Como água da nascente a correr
E nós vamos saber
Se nos amamos
Se nos beijamos
No mais alto do céu.



E o nosso amor
É algo de sobrenatural
Vivido intensamente
Na imensidão da dor



Ama-ma, sofre, luta por mim
Não deixes que nada
Proporcione um fim.



Florbela Espanca (como sempre....)



ml copy.jpg


Adoro-te!
Cabelo de Fogo



PS: Este fim de semana finalmente irei tentar publicar algo meu... é que com tantos textos fantásticos, não há espaço para mim :P


Impressão Digital Cereza às 18:49
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
30 comentários:
De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 19:29
Bem....é dificil comentar....esta música...esta voz.... mexe demais comigo q até me arrepia a alma!!!!! O poema é lindooooooo....Florbela sempre!!! Cereza :) muitas e muitas Felicidades para ti e para o vosso lindo amor :) Beijos em forma de asteriscos ******************PatanisKa
</a>
(mailto:sissacc@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 19:33
A Florbela Espanca é assim um amor de mulher, claro. Até quando cantam poemas dela é notória a ternurice da poetisa. De qual quer modo, regressando à vaca fria, a mim deixa-me perto de um ataque de nervos quando se desperdiçam palavras da lingua portugesa de uma forma perfeitamente descontrolada. O que é isso de amar perdidamente ? É claro que só amamos perdidamente, bolas! Quem ama está sempre perdido. Até no sentido literal do termo, sabem? É verdade, já uma vez encontrei alguém que parecia o mais perdido dos infelizes, como em bom português se pode afirmar, nem sabia se virar à esquerda se dar corda ao relógio... E o que tinha? Estava a amar perdidamente, constatei mais tarde. Claro que depois de uns minutos de terapia com o Anjo ficou completamente direccionado e mais afinado do que se tivesse implantado um dispositivo de triangulação por satélite. Por favor não desperdicem palavras, não? Se o fizerem, façam-no ao menos numa lingua estrangeira. Um beijo, o AnjoMaslow
</a>
(mailto:manuel_Azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 19:48
Cereza, o meu dia fica mais alegre sempre que vejo uma demonstração de amor, e esta que fizeste, é linda demais! Os meus parabéns aos dois e que o vosso amor seja eterno. *** Safira
</a>
(mailto:saphireonearth@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 20:00
Estes pequenos nadas,valem tanto....Felizes,felizes,felizes....que o sejam por muitos anos.Um beijo enorme para os dois.(Eu tenho saudades tuas Cereza,fiquei pendurada naquele PS :)p)marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 20:38
Parabéns a este casal lindo!! e viva o amor!!!!! "Ama-ma, sofre, luta por mim
Não deixes que nada
Proporcione um fim." Soberbo!! palavras para quê? ainda por cima não sei escrever estrangeiro :P e português muito mal lol. Que a vossa chama perdure por muitos e muitos anos ******** aos dois! :)^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 21:08

O amor é o mais poderoso e necessário componente da vida. É a origem e o alicerce de todas as interações humanas. É tanto dar como receber. Permite que alcancemos acima e além de nós mesmos; permite que sintamos a outra pessoa e que a outra pessoa nos sinta. É a ferramenta pela qual aprendemos a vivenciar a mais elevada realidade. Parabens para os dois!!! como é lindo o amor... Um beijo para os doisluadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 21:23
Sendo hoje um dia tão especial para ti Cereza, desejo-te que todos os teus dias sejam tão especiais como o de hoje e que tenhas sempre um motivo para comemorar. E há lá motivo melhor do que amar perdidamente?!? Deixo um beijo para cada um :) * *Dríade
</a>
(mailto:paulino_correia@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 21:49
ó cereza eu só comento depois de ler um comentário do guldanzinho a dizer coisas lindas de ti :ppppp LOLLLmorgaine
</a>
(mailto:lab_marta@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 22:01
"Eu procurei nos livros sagrados e tentei perceber o que fez Jesus Cristo na Terra.Escutei os testemunhos sobre a questão e interpretei romances sobre religião.Vasculhei a Teologia procurando respostas que se recusam a revelar quem és tu afinal...Sei que Deus não existe mas tenho sérias dúvidas se é mesmo assim.Quando olho para ti penso que foi por milagre que te conheci.Talvez tenhas celebrado a Última Ceia e pregado com os apóstolos pela Galileia... Pode ter sido por ti que Maria Madalena se apaixonou, embora a Igreja afirme que esta nunca se tentou.Se Judas Iscariotes te traiu e o Rei Herodes te perseguiu, então que fazes junto a mim? Se Pilatos te crucificou e o teu rosto desfigurou, porque serás tão bonito? Duvido que sejas Anjo, pois estes não têm sexo e tu fodes-me sem piedade. Se a Bíblia é uma fraude e nada disto existe,talvez a nossa paixão não o seja na verdade...Eu participei em missas e actos religiosos para tentar perceber o que me foi acontecer. Fiz orações para nos salvar e no fim das cerimónias fui rezar. Questionei a crença e pus em causa a catequese mas não obtive quaisquer certezas. Se os Céus são utópicos e o Paraíso uma fantasia, então não percebo porque me fazes sentir num Éden. Sendo expulsa Eva e excomungado Adão, é de louvar que ainda estejamos aqui.Deus demonstrou toda a sua ira no pecado original, mas a mim poupou-me que pequei de forma igual.Não acredito que tenhas sido beatificado pois estás aqui ao meu lado.O teu corpo não se encontra num altar e nunca vi a tua pintura celestial.Serão as peregrinações devotas meras tentativas de chegarem até ti?Então porque têm as mulheres tanta inveja de mim? Se quando fazemos sexo não pecamos e quando nos vimos não somos culpados?
Eu implorei para que fosses benzido e supliquei para que sejas imaculado. Pedi perdão pelo meu egoísmo, mas pediram-me redenção ao cristianismo. Seria temente ao Todo-Poderoso, mas não estou segura se o quero servir.Estou disposta a fazer uma profecia,só para que nos deitemos de noite e acordemos de dia.Para que fiques comigo, sacrifico a minha vida para estar contigo.Não cedo misericórdia para obter piedade, pois serás tu o dono e senhor da minha castidade.Nem quero ser humilhada numa crucuficação, só porque te excito e me dás tesão.Mesmo sujeita ao apedrejamento, não me revejo no Novo Testamento.Se eternamente o nosso amor durar, mergulhemos no rio Eufrates para o baptizar.Não comungo do Evangelho pois quero dar-te o prazer que nunca te nego. Eu questionei todos os versículos e duvidei também dos salmos bíblicos.Percebi então que o meu calvário chegou ao fim, pois o meu crepúsculo depende só de mim.Se Maria não engravidou e José foi pai e nem lhe tocou, também nenhum de nós pecou. Não vives em Nazaré nem nasceste em Belém, e para te amar não preciso de fé nem tão pouco de temer ninguém. Não Meu Amor, tu não és Jesus Cristo...mas és sem dúvida o homem mais belo que alguma vez tenha visto. Senhor...foi por Tua graça que tenho este homem no colo para abraçar? Será por Tua causa que no meu leito se vem deitar? Se estou feliz e apaixonada, a Deus não devo nada. Mas se preciso da Sua benção para o ter a meu lado, então peço-lhe que faça deste um amor sagrado. Se a Bíblia me proíbe de ser mulher, então não estou disposta a fazer o que Deus quer..."
Um horroroso desperdício de palavras em língua portuguesa...mas vendo bem quase parece estrangeiro :) Felicidades querida Cereza, um abraço amigo Maslow :) Estou farto de dar ao teclado...Louis_Phere
(http://bbb.blogs.sapo.pt)
(mailto:jmcfilipe@oninet.pt)


De Selvagem Anónimo a 22 de Setembro de 2005 às 22:22
Flôr bela Espanca é inconfundivelmente deliciosa. Pena que nos tenha privado tão cedo do seu saber. Não conseguiu libertar o manancial de versos que tinha na sua alma amarrada e que ficaram por contar. Às vezes apetece-me chamar-lhe um nome muito feio mas corro o risco de ser mal interpretado ou de me dizerem que já não vale a pena. Mas vale sempre perder um pequenino minuto de cada vez, com ela, através dos sentimentos que nos legou. Podemos perder muito mais com o aniversário conjugal da doce e sensível Cereza porque ainda cá está entre nós. Duas mulheres, duas ternuras, cuja articulação é possível. Uma pelo que nos deixou e a outra pelo que nos vai deixando colaborar nas suas paixões. Colocamos por isso velas e flores nas suas festas coloridas. Fazemos figas para que o enlace não se desenlace. Fazemos figas para que nos deixe estar com ambos (os pombos) no seu cantinho urbanizado. Fazemos figas para que todas as tochas que estão dentro dela não se apaguem. O pior da caminhada já passou…As várias crises existentes na relação são, no longo prazo, tendencialmente esmorecentes. Felicidades não há, nem nunca houve. Há sim uma proporção cada vez maior de momentos belos, relativamente aos outros que nunca são bem vindos mas, por vezes, não podemos evitá-los, embora esses também façam bem à relação porque nos permitem reflectir (são os fenómenos traidores que ocorrem quando menos esperamos). Fecharmo-nos na concha, pensamos e reconhecemos a sensatez (sic), nossa e de quem muito queremos. É o nosso exercício esporádico. Não quero festejar convosco os poucos anos desse aniversário conjugal curto, quero levantar a taça pelos outros, tantos longos, que eu não vi e que devem ter sido somatórios de momentos de entrega e dedicação. Tudo o que no meu jardim (virtual) cresce não me cansei de colher um ramalhete composto por rosas, begónias, gladíolos, tulipas, antúrios, estrelícias e outras tantas pétalas lindas e delicadas que agora esvoaçam deste cantinho para decorar o vosso peitinho.abel_
</a>
(mailto:barretomarques@hotmail.com)


Ah... Comenta-me