Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2006

Tempo para Meditar...

Há algum tempo que dou por mim a dizer a algumas pessoas como me sinto cansada de blogar incessantemente aqui no UJ. Pode ser uma daquelas fases (vocês lembram-se, né) mas não é. Este blog sempre viveu dos comentários, e sem eles... deixa de ter o seu encanto.



Muita gente diz que anda desinspirada, acredito... mas... não entendo. Como é possivel termos chegado aos 8 mil visitantes/mês, e continuarem a ser os mesmos resistentes a comentarem.



Mas dou por mim a vê-lo crescer, e o entusiasmo de todos a decrescer (eu e vocês)...



Muitas vezes publico quase automáticamente, tão habituada e rotinada que estou. Não quer que pensem que vou acabar... não vou, além disso espera-nos um novo alojamento, apenas sinto que hoje preciso de desabafar sobre o assunto. Sinto-me cansada, doentita e desmotivada. Não só com o UJ, mas com outros aspectos da minha vida. Alias acho que isso se tem notado um pouco. Eu sinto muitissimo o que se vai passando por aqui... partilho as vossas alegrias, tristezas, euforias, gargalhadas e lágrimas, e acreditem que essas emoções muitas vezes mexem comigo. Torna-se dificil por vezes manter um certo equilibrio.



Para já nunca darei o prazer a algumas pessoas de acabar com o UJ... Nem sequer aos cretinos que por aqui passam para ofender... esses tratam-se bem... ip, logs, datas e toca a andar.



Não vou parar, mas "acho" que vou publicar os últimos textos que aqui tenho guardados, e partir para algo novo. Até porque ideias há... vamos ver se há mais alguma coisa.



Quanto ao almoço não será para já no dia 5 de Março... mas irá ser marcada uma nova data.



Hoje resolvi passar os olhos pelo blog todo... Tirei alguns textos ao acaso, que a mim me marcaram particular-me (isto sem falar dos nossos conhecidos "Casos de Vida". Estão neste post, e no abaixo. Hoje há muito para ler e meditar.





texto1.jpg


Os sinais que por nós passam...


E que na ânsia de percorrer o que nós pensamos que é o nosso caminho, o correcto, acabamos por vezes por nos perder em pequenos detalhes. Já nem sequer ousamos levantar os olhos do chão, na esperança vã de que nada nem ninguém nos faça tropeçar, o que iria dificultar o nosso percurso.



Tentamos seguir em frente contra tudo e todos, uma direcção tantas vezes errada, que nos curva o corpo, mais parecendo que carregamos o Mundo.
Mas teimamos em continuar. Lutamos contra moinhos de vento, cavaleiros fantasmas e demónios fervilhando em fúrias de raiva, no entanto, e apesar de confrontados com sinais tão minúsculos , continuamos.



Sim, continuamos numa teimosia obstinada. Pensamos inconscientemente ao vê-los. Recusamo-nos a admitir que algo acontece porque é um sinal. Afinal, nada na vida acontece por um acaso...alguém surge no nosso caminho e ali fica, por tempo indeterminado, ao nosso lado, vive em nós (mas nunca fisicamente para sempre). Pequenos gestos, uma palavra aqui...outra ali, um sorriso, um sonho...
Tropeçamos...



Caímos... e uma vez de pé retomamos o nosso rumo , mas sem deixar de praguejar: Raios! Está tudo contra mim! Ninguém me entende! Mas que coisa ....começo a cansar-me! Depois, sem dúvida as interrogações: Mas porquê ? Sim porquê a mim? Que mal fiz eu? Será karma? Devo estar a pagar por algo que fiz no passado...



Como nos vamos tornando tão insensíveis ? Como somos capazes de ignorar quem e o que nos rodeia?
E os sinais, esses que nos passam à frente durante o dia, que surgem do nada, mais parecendo estrelas cadentes ... mas teimamos em continuar um caminho que nos magoa, que nos torna infelizes e no qual tentamos sobreviver.



Há que parar.
Porque havemos de persistir nesta estrada se o que, no fundo, andamos a fazer é percorrer atalhos tentando a todo o custo voltar à estrada principal que é a nossa Vida?
Onde temos o direito de ser felizes?



Constancinha





texto2.jpg


"Como se mede uma pessoa"

Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento.



Ela é enorme para si, quando fala do que leu e viveu, quando a trata com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado.



É pequena para você quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas:
A amizade, o respeito, o carinho,o zelo e até mesmo o amor.



Uma pessoa é gigante para si quando se interessa pela sua vida, quando busca alternativas para o seu crescimento, quando sonha junto com conosco.



É pequena quando desvia do assunto.



Uma pessoa é grande quando perdoa,quando compreende, quando se coloca no lugar do outro, quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.



Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês.



Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas.



Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande.
Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.



É difícil conviver com esta elasticidade, as pessoas agigantam-se e encolhem-se aos nossos olhos.
Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de Ações e Reações, de expectativas e frustrações.



Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, torna-se apenas mais uma.
O egoísmo unifica os insignificantes.



Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande...
É a sua sensibilidade sem tamanho..."



Já se arrependeu de,
em determinadas circunstâncias,
não ter tomado atitudes que viessem,
de alguma forma, melhorar a sua vida?



(William Shakespeare)






texto5.jpg


Este poema foi-me "oferecido"em tempos, gosto muito dele...pelas cerejas!

Cerejas, meu amor,

mas no teu corpo.

Que elas te percorram

por redondas.

E rolem para onde

possa eu buscá-las

lá onde a vida começa</br>
e onde acaba</br>
e onde todas as fomes</br>
se concentram</br>
no vermelho da carne</br>
das cerejas...

(autor desconhecido)




Impressão Digital Cereza às 00:24
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
45 comentários:
De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 09:21
De tudo só ficam três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando.
A certeza de que é preciso continuar.
A certeza de que seremos
interrompidos antes de terminar.
Portanto devemos fazer:
Da interrupção um novo caminho.
Da queda, um passo de dança.
Do medo, uma escada.
Do sonho, uma ponte.
Da procura, um encontro.“
(Fernando PessoaCarlos
(http://vagueando.blogs.sapo.pt/)
(mailto:c_m_a_n_u_e_l@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 11:08
Cerezita,eu tenho-te admirado por essa força/paciência que tens tido...Todos nós temos dias,alturas da vida em que nos sentimos mais em baixo...eu própria ando a tentar fingir que não ando numa dessas(e o que mais irrita,é que olho á volta e tenho quase tudo pa ser/estar feliz),mas adiante....O que me dói quando aqui chego,o que mais me custa,é ver o numero de visitas sempre e somar e os comentários sem aparecer....Era bom que todos interiorizassem isto :Vimos cá pelos textos,e pela troca de palavras nos comentários,se todos os que deixam comentários,o deixassem de fazer, não havia esta troca entre nós...É ISTO QUE NOS MANTEM!!!ESTA TROCA,ESTE DAR E RECEBER....Mais sérios,mais brincalhões,mais baboseira menos baboseira ..mas digam o que vos passa pela cabeça...PARTILHEM.Tentem imaginar,o fim do blog,como sendo hoje...e vejam como se sentem....(eu andava com vontade de dizer isto há imenso tempo...e agora não deixo beijos porque namapatece :PP)É a tal coisa.....Só sentimos a imensidão da importância das coisas,quando elas nos faltam...Ainda bem que colocaste este textos Cereza...O blog realmente tem textos fantásticos.....já merecia o livro...Não sou de ´´lamechices``e este carinho que tenho por ti Cereza,eu sei que não o mostro.... mas, por muitos anos que viva,não vou esquecer os momentos que me proporcionaste aqui.Para ti Cereza,um abraço bem apertado....;)*marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 11:55
Cereza querida....grande pontaria tu tens!!!
Imagina que dei comigo esta noite a sonhar com vocês...com nosso futuro encontro...
Lembro-me que esse "almoço" do sonho foi uma confusão...e minha aflição era terrível.
Daí estar de acordo contigo. Todos passamos por fases...e poderemos até parecer ausentes. Mas confesso que estou viciada neste blog e nesta gente doida que conheço e que já fazem parte da minha vida.
Daí a minha tristeza de não estarmos mais presentes, até no nosso canal.
Mas de certeza que continuo aqui bem ou mal!!!!! beijos que aquecem o coração .Majoca/SaloiaLoira
</a>
(mailto:manejorge@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 12:32
Que bom que hoje há tanta coisa para ler weeeeeeeeeeeeeee!

Ó ruiva :))tu não te abespinhes que isto é só mais uma fase entre tantas...às vezes é só a preguiça que se instala (falo por mim,)não significa afastamento ou desinteresse.
E a Marta falou em algo que eu já ando a pensar há que tempos: para quando o livro?
Ai até parece que já estou a
ve-lo, cheinho de textos e fotos lindas, que tinham piada se tiradas pelos autores dos textos. E a sessão de autógrafos?!Isso é que ia ser! lol
Bora lá pensar nisso :))
Beijufinhas mil**********
Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 14:57
Cereza pois é, há dias em que nem sequer podemos ou devemos pensar e muito menos sair de casa, estamos mergulhados numa escoridao tão profunda que nem a luz ao cimo do túnel conseguimos ver. Este é o estado da depressão continuada mas olha uma coisa: repara no sol olha bem para ele fixa - o intensamente fecha os olhos e lembra-te da forma como se esconde num final de tarde. Por vezes triste por deixar que a sua luz de vida a tudo que existe triste por se ter escondido atrás de tantas nuvens que lhe aparecem no seu percurso. Agora abre os olhos e vê como ele reaparece no dia seguinte cheio de esplendor com força e energia para fazer mais um percurso e enfrentar de novo todos os obstáculos como se as agruras do dia anterior não tivessem existido. Lembra-te em transforma a tua vida todos os dias no nascer do sol... Pois também vou tentar fazer o mesmo, e fica aqui um grande beijo e um abraço bem apertado.lua_de_avalon
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 15:19
Mega post! :) Ai.. Eu não posso (não tenho como) ouvir a musica mas gosto muito dela.
Parece que é assim mesmo que as coisas são às vezes, acontecem, não se entendem e mudam. Por isso é que mudam. E melhoram :) Eu admito não ser nada assidua aqui, mas é porque ainda estou sem net. Mas isso vai mudar!
Os textos de Shakespear.. Como são verdadeiros.. Bem. Beijinho * Sukkub
(http:/sukkub.blogspot.com)
(mailto:merylin.ruth@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 15:21
O Poema "Cerejas, meu amor" o autor é Renata Pallottinilua
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 15:34
"Tenha sempre presente que a pele se enruga, o cabelo embranquece, os dias convertem-se em ano... mas o que é importante não muda.

A tua força e convicção não tem idade.

O teu espírito é como qualquer teia de aranha.

Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida.

Atrás de cada conquista, vem um novo desafio.

Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo.

Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo.

Não viva de fotografias amareladas...

Continue, quando todos esperam que desista.

Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você...

Quando não conseguir correr através dos anos, trote.

Quando não conseguir trotar, caminhe.

Quando não conseguir caminhar, use bengala, mas nunca, nunca se detenha!!!"

( Madre Teresa de Calcutá )

RS
(http://dhet/ljyt)
(mailto:Nelia@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 18:33
Cerezola....Eu pecadora me confesso, andei cheia de trabalho, como alguns sabem, andei a trabalhar em média 10/12 horas "non stop", foi desgastante, mas gratificante tb. Ter visto e sentido o resultado final foi excelente. Nesses dias à volta de 2 3 semanas, vim cá só mesmo "espreitar"...raramente saia comentário. Agora q pensava q estava mais "livre" tou de atestado até sábado!!! Mas imaginem q mesmo assim tive q gramar com uma reunião das 14.30 ás 18h (com febre e dores de cabeça....qdo morrer levo um louvor colado na testa!!!!) Mas nem quero imaginar q o Blog acabe!! Aqui venho rir....me enfurecer, aqui venho conhecer pela escrita, nickos e nickas, até dou aqui por mim de lagriminha no olho.... Cerezola, é o desgaste do Inverno, do frio da chuva, qdo as Andorinhas começarem a chegar...e as papoilas a florir (vi hoje papoilas!!!!! :))) ) Vais ver q começamos todos com outra vontade, ou com mais vontade :)) Mil beijões Cerezola....e quem é q já não teve dias assim??? Eu pracase gostava hoje de me deitar e só acordar linda e sem rugas como a Lili Caneças!!!!!
PatanisKa
</a>
(mailto:sissacc@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 22 de Fevereiro de 2006 às 19:10
EHEHEHE Paty!!!Bora todas mazé deitar,para amanhã acordarmos ´´Lilis cabaças`` LLooLL Sabem que mais...o tempo tem influencia sim!!!Isto é só esperar que passe....Beijões,abrações e outros q tais :)PPPPPPmarta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


Ah... Comenta-me