Segunda-feira, 5 de Setembro de 2005

Teatro de marionetas

Não estou a ser pressionada, nem a ter uma "over reaction", nem tão pouco estou acho que estou a ser monotona! Só eu sei, o que se passa neste blog. Vai fazer 1 ano, no dia 1 de Outubro que acompanho aqui várias "vidas" vários "sentimentos"...muitas magoas, alegrias, odios e também muitos momentos de felicidade! ( Não sei se me faço entender ) Mas o UJ tornou-se nisso mesmo... um lugar onde as emoções, os sentimentos, o virtual e a realidade se confundem. Por isso digo muitas vezes: criei um monstro! Mas nunca num sentido pejorativo, apenas como desabafo!

Acreditem que já pouco me interessa se comentam ou não, se gostam ou deixam de gostar do UJ... Já lá vai o tempo em que isso era uma dor de cabeça.

Agora que fique bem claro, que esta "convulsão" no blog nada teve a ver com a Starry. Ela é maior e vacinada, e sabe concerteza o que deve fazer da vida dela. Apenas dei a minha opinião. Desaparecer da net, nunca foi remédio para nada. Se alguém foi menos correcto conosco, a solução mais eficaz é ignorar essa pessoa, fazer de contas que ela não existe! Acreditem que é o melhor que fazemos.

Não disse que o blog tinha acabado... já fiz isso por duas vezes, e prometi a mim mesmo que não voltarei a faze-lo... Quando acabar, apaga-se e ponto final. Não há mais conversa.

Não sou fantoche, nem marrioneta de ninguem. Estou agressiva? Pois estou! E depois? O blog também serve para isso! Nunca em tempo algum escondi que sou uma pessoa temperamental, obstinada, e com atitudes repentinas!

Talvez por isso este texto da nita_ não poderia ter chegado a melhor hora. Uma “menina” de 19 anos, que escreve maravilhodamente e tem mais maturidade que a maioria das pessoas que conheço. Não foi escrito para esta ocasião.... mas dá para perceber que por vezes não passamos de simples marrionetas nesta vida....


dedicate-01-04 copy.jpg


Teatro de marionetas (Ou a história do pinóquio do século XXI)


Lembro-me perfeitamente. Alias todas as manhãs acordo com a sensação que ainda lá estou. De cabeça baixa, seguro por uns fios muito finos.
Lembro-me dos dias em que sorria forçado, em que mexia muito os braços quando só me apetecia estar parado.
Lembro-me das histórias inventadas, das frases ensaiadas, dos intervalos corridos, da pressa toda de agradar a gente que eu nem conhecia.

Andava assim… Sempre com a cabeça baixa, como um menino triste. E quando as cortinas abriam e o publico aplaudia eu fazia de conta que sorria. E inventava mais uma história qualquer, previamente ensaiada e fazia de conta que era feliz.
Quando o publico era preenchido por crianças contava histórias de encantar, outras vezes de rir. E eles acreditavam que eu vivia assim e que era feliz.
Quando a plateia estava cheia de adultos inventava uma tragédia e fazia-os chorar (sim… é esquisito, mas as pessoas grandes gostam de chorar).
Como se qualquer coisa superior tivesse total poder sobre mim e eu obedecia.
Quando no final do dia se fechavam as cortinas, apagavam-se as luzes, a minha cabeça ficava caída, seguravam-me uns quantos fios finos, umas amarras da vida de quem finge sempre que é feliz.

Hoje sei que não adianta ensaiar sorrisos. Nem inventar histórias com finais felizes. Sei que não adianta arranjar uma maneira de me mexer muito.
Hoje sei que não adianta sorrir quando só me apetece chorar. Sei que ninguém quer saber das minhas verdadeiras histórias. Porque não são de encantar. Sei que a vida é bem menos bonita quando não é inventada, mas mesmo assim é bem mais sincera, bem mais justa e isso compensa todas as lágrimas.

Hoje larguei os palcos. Desatei amarras. Chorei sozinho num canto de luzes apagadas.

Há alturas em que ate as marionetas se cansam de mentir…

Nita_


burmese-maiden copy.jpg


David Bowie - Thursday's Child
"All of my life I've tried so hard
Doing my best with what I had
Nothing much happened all the same



Something about me stood apart
A whisper of hope that seemed to fail
Maybe I'm born right out of my time
Breaking my life in two



(Throw me tomorrow..oh,oh)
Now that I've really got a chance
(Throw me tomorrow..oh,oh)
Everything's falling into place
(Throw me tomorrow..oh,oh)
Seeing my past to let it go
(Throw me tomorrow..oh,oh)
Only for you I don't regret
That I was Thursday's Child
Monday, Tuesday, Wednesday born I was..."





Impressão Digital Cereza às 23:44
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
25 comentários:
De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 00:47
Perdi o espectáculo, ontem à noite

Sei que bisaste, és um génio,
Lamento, não pude ficar.
O pano subiu três vezes?
E o público aplaudiu-te de pé?
Imagino-te, nas tuas vestes negras
E os olhos cintilando de victória.
Perdi o teu espectáculo!

A noite estava fria
A geada sentia-se nos ossos
Ma tu ardias em fogo sereno
De quem representa pela última vez
Vai em frente, não olhes para trás
Tudo se desmorona à tua volta
Vai! Não páres! Corre.

Perdi o teu último espectáculo!

Nita beijinhos para ti e para todos que são capazes de representar neste imenso palco que é a vidaconstancinha
</a>
(mailto:ola_cusca@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 02:04
Aqui?!!Muitas mágoas e odios..Se assim é desisto....Mas fiquem com a certeza de que estão todos no meu coração,não tenho razão de queixa de ninguém...somos humanos!!Não esqueçam isso...Um beijo para ti nita.marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 02:06
E a ti Cereza, não tenho como agradecer.....tu sabes!!!Um abraço bem apertado :)*marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 08:59
Somos o que queremos ser (não confundir com o que desejamos ter, e como gostariamos que os outros nos vissem/olhassem) culpamos os outros ou a vida pelo que nos acontece e que não estava planeado (ou talvez estivessemos distraídos), quando olhamos para dentro sentimos dor? sentimos tristeza? Será que estamos mesmo a olhar para dentro.. ou apenas a roçar o que queriamos que nós fossemos? Aceitar não tem a ver com perdoar, ignorar, ter de tomar partido... é apenas Crescer...perceber...Ser... "As atitudes são de quem as pratica"... Olhemos bem fundo para nós... conheçamo-nos... aceitemo-nos...não nos castiguemos... e o mundo terá cores bem mais vivas...azeloM
</a>
(mailto:rui.brito@vianw.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 09:08
wellll... não posso deixar de fazer um comentario ao texto das marionetas. Cereza este teu espaço, que obviamente podes fazer dele o que quiseres, é um espaço de liberdade de expressão. Cada um deve fazer uso dele dentro dos principios que lhe são possiveis. Porém, "verter" o que nos vai an alma não é de certeza razão para polémicas exageradas. Pelos vistos só tu sabes o que se passa no blog, e disso fazes questão de afirmar. Ainda me consigo distanciar o suficiente para te dizer que não foste simpatica com quem esteve aqui contigo, com quem te ajudou, com quem, só tu sabes, "verteu" as suas emoções para este blog. Em virtude disso, expressões do estilo "ja la vai o tempo que era uma dor de cabeça" ou ainda "quando acabar acaba e ponto final. Não ha mais conversa" só pode ter sido um momento de menor inspiração. Que sejas livre de o pensar aceito. Que sejas livre de o fazer aceito.. mas que o comentes custa a aceitar.

Não posso deixar de felicitar o teu excelente trabalho assim como da qualidade dos bloguistas e respectivo coments. Espero que continues e que este momento seja uma oportunidade de melhoria e de mudança. Momentos menos bons todos temos.
Sigá marinha!IdeiasAvulso
(http://2)
(mailto:IdeiasAvulso@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 10:34
Sabes o que escreveste é tudo o que a nós nos passa pela cabeça, quantos de nós já não tivemos blogs, que demos tudo para levar ao topo, para ter comentários, para fazer amizades? quantos de nós não desistimos ou dissemos que iamos desistir a dada altura? Quantos de nós não apagamos projectos que nos diziam tanto, mas que num acto de disturbio psicologico apagamos sem sequer pensar que ali estavam horas ( más ou boas ) da nossa vida?
Para mim que por x me escondo noutra identidade, com a qual não me identifico tantio como a primeira que criei, aquela que fez montes de amizades, esteve no topo e de um momento para o outro quando a vida virtual, se mistura com a real... tudo desaba e ficamos num misto de sentimentos, pois temos de fazer escolhas... nem sempre as melhores, mas quase sempre a que nos mantem no caminho da sanidade! ( desculpa o desabafo )Abduzida
(http://abduzida.blogs.sapo.pt)
(mailto:xana.abduzida@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 10:39
....muitas magoas, alegrias, ódios ....???Livra k até já parece o IRC!lol

K a vida seja um palco e nós na ribalta...e nunca por nunca meros espectadores...

:)* Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 11:21
Nita, extraordinário, o teu texto! Concordo que foi escrito por alguém que ultrapassou uma barreira qualquer de maturidade, apesar de, para mim, existirem apenas por mero exercício de simplificação esse tipo de rótulos. É bem verdade que todos nós vivemos mais ou menos agarrados aos fios ou linhas que nos perturbam os movimentos, nos desviam a vontade e condicionam comportamentos. Mas não será também por isso que somos seres humanos? Eu gosto das pessoas que conseguem accionar os meus botões, que consegume, de alguma forma, puxar os fios que me conduzem, talvez porque no amor, como no ódio, ninguém consegue fazer tudo sozinho. Parabéns, menina, adorei ler-te...muito mais do que esperaria neste momento. Um beijo, do Anjo (tinha comentado no local errado, I'm sorry)

Maslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 11:45
É PÁ, vou ter de dizer isto de maneira mais bruta? EU NÃO DISSE QUE FECHAVA O BLOG!!!!! IRRA!!! AQUELE QUADRADINHO DIZIA APENAS.... DESACTIVADO... VOLTO QUANDO ME DER VONTADE! BOLAS, PAREM LÁ COM ISSO!
agora depois deste momento onde já aliviei o stress, quero dizer á Abduzida, que não desculpo o desabafo... pq gostei, volta mais vezes.:)
QUANTO Á NITA, SE GOSTARAM DESTE TEXTO, VÃO AO BLOG DELA! É FANTASTICO.... ESTÁ AQUI DESTACADA HÁ MUITO NO URBAN JUNGLE.... CHAMA-SE: gaivota não sabe voar... basta clicar!CEREZA
(http://bbb.blogs.sapo.pt/)
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Setembro de 2005 às 12:19
A este texto apetece-me apenas dar a conhecer uma citaçao q uma amiga costuma fazer:
"A vida é uma peça de teatro que nao permite ensaios por isso canta, chora, dança, ri, ama e vive intensamente antes que as cortinas se fechem e a peça termine sem aplausos"
Fiquem bemAnónima 17
</a>
(mailto:anonima@ano.com)


Ah... Comenta-me