Quinta-feira, 1 de Setembro de 2005

Serenata de Satã

Palavras do Suicial sobre este poema de Eça de Queiroz:
Este poema andava perdido há muito, mas é um belo poema! Pode parecer um poema triste e algo morbido mas é de um poeta português bastante bom e dado a lutas: Eça de Queirós! Nem mais!


Talvez exista uma mensagem de revolta sentimental pela vida ou talvez uma mensagem mais animadora do que parece! Eu acredito nisso!


crimsoncloake copy.jpg


SERENATA DE SATÃ ÀS ESTRELAS:


Nas noites triviais e desoladas,
Como vos quero, místicas estrelas!...
Lúcidas, antigas camaradas...
Gotas de luz no frio ar nevadas,
Pudesse a minha boca inda bebê-las!


Não vos conheço já. Por onde eu ando!...
Sois vós místicos pregos duma cruz,
Que Cristo estais no Céu crucificando?
Quem triste pelo ar vos foi soltando
Profundos, soluçantes ais de luz!


Ó viagem nas nuvens desmanchadas!
Doces serões do Céu entre as estrelas!
Hoje só ais, ou lágrimas caladas...
Ai! sementes de luz mal semeadas,
Ave do Céu, pudesse eu ir comê-las!


Triste, triste loucura, ó flor's da cruz,
Quando vos eu dizia soluçando:
-Afastai-vos de mim cardos de luz!-
Pudesse eu ter agora os pés bem nus
Inda por entre vós i-los rasgando.


Hoje estou velho, e só, e corcovado;
Causa-me espanto a sombra duma estola;
Enche-me o peito um tédio desolado;
E corro o mundo todo, esfomeado,
Aos abutres do céu pedindo esmola.


Eu sou Satã o triste, o derrubado!
Mas vós estrelas sois o musgo velho
Das paredes do Céu desabitado,
E a poeira que se ergue ao ar calado,
Quando eu bato com o pé no Evangelho!


O Céu é cemitério trivial;
Vós sois o pó dos deuses sepultados;
Deuses, magros esboços do ideal!
Só com rasgar-se a folha de um missal,
Vós caís mortos, hirtos, gangrenados.


Eu sou expulso, roto, escarnecido;
Mas vós já ninguém vos quer as leis
Oh! velho Deus, oh! Cristo colorido!
Lembrai-vos que sois pó enegrecido
E cedo em negro pó vos tornareis.


face-hot-02 copy.jpg


Eça de Queirós, 29 de Agosto de 1869 - Pub. em Revolução de Setembro


Suicidal Kota


Confesso que não conhecia esta faceta de Eça de Queiroz. Quando o Suicidal me enviou este poema fiquei fascinada...é sublime!


Impressão Digital Cereza às 23:58
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
9 comentários:
De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 08:19
Tb não conhecia estes versos do Eça de Queirós, mas fiquyei fascinada , está muito bom... pelo menos o nosso Eça conseguiu surpreender-nos :))devil_girl
(http://..)
(mailto:joana_ribeiro19@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 12:42
Aproveito este espaço, para desejar os aprabens a uma menina, que adoro!
Muitos beijos e muita felicidade para ti Alexandra! :-)Corto Maltese
</a>
(mailto:corto.nemo@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 13:19
Eça rula :P eheh
Mas não conhecia esse poema dele.
Bjokas *** *** *** *Bárbara (Narag)
(http://naragturg.blogspot.com/)
(mailto:barbara10sofia@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 15:25
Estou irritada!!!...Com a imagens que vi de Nova Orleãs,imagino(ou não consigo)a miséria e fome por esse mundo fora...Serão os senhores que governam o mundo os Satãs?!Serão os inocentes(todos os que sofrem) as estrelas de musgos do céu desabitado?!!Grrrrr...Um beijo pa ti Suicidal(Kota):PPmarta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 15:38
De Pessoa eu sabia das ligações ao Aleister Crowley e às correntes mais "obscuras". Agora ler um poema destes vindo do Eça, apenas demonstra que o lado negro está presente em todos! O q fazemos com ele é q determina a nossa vida :) Filosofias à parte, este poema é liiiindo no seu desespero! Boa escolha!Leowf
</a>
(mailto:mordred@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 15:56
Estrelas, como a vida que se consome na certeza da morte, o brilho intenso é apenas uma fracção da existência que pretendem eterna mas que se esvai no espaço que percorre a sua luz. Um beijo, o AnjoMaslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 20:21
Tal como a Cereza diz ... "Pode parecer um poema triste e algo morbido"... E na última quintilha renega pura e simplesmente o mistério de reincarnação no juízo final... Mas que também pode ser uma alusão aos reis de antanto... Já agora desejo também os parabens à Alexandra e muitas felicidades ****** para tiluadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 2 de Setembro de 2005 às 20:23
Acabei agora mesmo de ouvir na notícias da TVI " .. A super potência americana foi derrotada pelo Katrina .." Ou seja que apenas existe uma super potência acima de tudo e de todos : a NATUREZA. Quanto ao Eça é bem verdade que todos nós temos um lado negro. Com boa vontade alguns têm um lado assim cinzento escuro .. Gostei de ler o poema Suicidal e a musica Cereza .. ;-)
Beijinhos constancinha
</a>
(mailto:ola_cusca@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Setembro de 2005 às 10:02
Culto a Satã? Este poema está cheio de gritos, parece-me antes que o Eça se encontrava numa fase de desespero e pessimismo, e o seu modo de reagir foi a escrita deste poema que demonstra o deu lado noctuno e inconformista. Como todos os humnaos o têm. morgaine
</a>
(mailto:lab_marta@hotmail.com)


Ah... Comenta-me