Segunda-feira, 11 de Julho de 2005

Que las hay, las hay!... II

Agora sim, comentem meninos... agora pode começar a verdadeira discussão... como explicam isto?



Marieant copy.jpg

( Fotografia de Erwin Olaf - "Maria Antonieta" ) é isto que vai acontecer a todas as loiras que se aproximarem do Flymoço )



"Quando entrei naquele mini-sotão improvisado, encontro um individuo novo, na casa dos trinta anos, se tanto, com um aspecto completamente normal. Cabelo preto, um pouco mais baixo que eu, enfim um pacato cidadão carioca. Cumprimentámo-nos e pediu-me para me sentar numa das cadeiras que ele tinha junto a uma mesa e ao sentar-me pediu-me de imediato para me levantar que estava a sentar-me na dele... “Começamos bem...”, pensei eu... Depois de perguntar se eu ia lá por alguma razão especial e ter-lhe respondido que não, passou-me um baralho de cartas de tarot que depois vim a saber serem tarot cigano. Mandou-me baralhar as cartas e dividi-las aleatoriamente numa linha de cinco montes.


Agarrando monte a monte e olhando para as cartas, começa com um “soco demolidor”: diz-me que eu estava a pensar comprar um carro novo, bom e grande... e que o iria comprar até ao fim do ano! Era isso exactamente que mais ocupava o meu pensamento nos últimos tempos. Para mim, tudo estava dependente da aprovação do Orçamento de Estado para 2001 e do voto do deputado do PP de Ponte de Lima, que querendo proteger a sua região e queijo limiano, poderia levar à passagem da proposta do governo de Guterres. Ora essa aprovação iria levar ao encarecimento dos veículos todo-o-terreno e o que eu queria comprar era exactamente desses (novo, bom e grande...). O orçamento passado menos de um mês foi aprovado e eu comprei o carro.

Depois disse-me que eu viajava muito em trabalho (aí as expectativas arrefeceram...) mas que pouco tempo antes tinha estado nos Estados Unidos de férias com a família! Eu tinha estado um mês antes em Orlando, na Disneyworld da Florida, com a Erina, a nossa filhota e os meus pais!!!

A seguir, perguntou-me se a minha mãe sofria do estômago. Aí disse-lhe que não e ele não reagiu. Pensei que tinha errado... Quando cheguei a casa fiquei desconcertado quando a minha mãe me disse que tinha uma endoscopia marcada.

Depois disse-me que tinha sido padrinho de casamento há pouco tempo (tinha-o sido há menos de três meses!...) mas que iria dentro de pouco tempo ser convidado para padrinho de baptizado. Quando contei isto à minha irmã, ela sorriu enigmaticamente e um mês depois disse-me que estava grávida, convidando-me mais tarde para padrinho do bebé.

Disse-me se o meu pai tinha problemas de saúde. Diabetes com glaucoma associado e era desleixado no tratamento. Certíssimo!

Quando estou em cidades brasileiras, tiro a aliança e o fio por causa dos assaltos: disse-me que eu era casado, que a Erina trabalhava com papéis, numa instituição governamental e que o nosso casamento tinha sido talhado no céu e estava abençoado para toda a vida. Só teria de ter cuidado com uma loura de olhos azuis que podia ser a ruína da nossa relação. Aí, eu completamente rendido, perguntei se ia ser assim... Respondeu: “ Agora que você sabe, só acontece se quiser...” Até hoje ainda não dei por nenhuma marafada... mas estou alerta!... LOL

Disse-me ainda que tinha um processo em tribunal que iria demorar muito até ficar resolvido (verdade) e que eu o iria ganhar (ainda não sei, mas tudo indica que sim...).

Falou-me de um acidente, da minha protecção divina, do meu anjo da guarda e de mais algumas coisas que não recordo já... O que é certo é que entre uma grande quantidade coisas por ele ditas, mesmo as que eu pensei ele ter errado, vieram mais tarde a confirmar-se. Aquilo que à partida para mim não passava de um ritual folclórico iniciático à cultura brasileira, e ainda para mais à espera de um discurso generalista com muitas perguntas, que tanto se poderia aplicar a mim em 50% e a mais umas centenas de colegas meus, acabou por se tornar uma revelação extraordinariamente enigmática e completamente inesperada, para além de muitíssimo precisa.

Alguns meses depois tive de lá levar a Erina...

O que ele lhe disse encaixava perfeitamente no que me tinha dito a mim, completando-se. Ah!... Dessa vez ele nem me viu...

Não creio em bruxas, pero que las hay, las hay!... E vocês já tiveram uma experiência destas tipo Twilight Zone?..."

Flyman


Impressão Digital Cereza às 23:38
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
45 comentários:
De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 00:32
aconteceu sim senhor..... fui curtinha na resposta porque este é um tema q m incomoda bastante.... n acredito em nada destas coisas...mas respeito-as pq como o moçoilo do Flyman diz " Não creio em bruxas, pero que las hay, las hay!... "......................eu estive lá , e sei disso :Xlaskinha
</a>
(mailto:xana_granja@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 00:38
Ai jazuzzzzzzz!!! Como se já não bastassem as morenas belíssimas, agora é ver quem vira loira de olhos azuis!!! LOLLLLLLLLLL Tu põe-te a pau ^Erina^!!! Por mim podes estar descansada que amanhã vou já pôr-me ruiva! lolllllllalic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 00:44
Eu Jatgo me confesso e acredito nisso pois ja me aconteceram duas cenas parecidas com essa que aqui foi narrada. A 1ª cena que se passou comigo foi a minha irmã que foi a uma tarologa e que lhe disse entre muitas coisas, que estaria na hora de me ajudar pois eu estava a passar um mau bocado. Bem a minha irmã desconfiada não acreditou em uma só palavra que a taróloga lhe tinha dito, até que tinha estado comigo no fim de semana anterior e estava tudo bem de facto. Porém naquela semana veio da UE a aprovoção da fusão de duas multinacionais e num abrir e fechar de olhos e como havia quadros duplicados quem comprou negociou com quem foi comprado e nesse mesmo dia que a minha irmã foi a tarologa eu mesmo assinei a minha rescisão do contrato bem como a indemnização correspondente. Coincidência ou nem por isso??? O 2ª caso bem mais estranho foi aqui mesmo no mirc com uma "aprendiz" do Paulo Cardoso com quem eu teclava sem contudo entrar em qualquer detalhe a meu respeito pessoal. Então e como eu ia e ainda passo muito tempo em Lisboa um belo dia convideia para jantar. Essa minha amiga aceitou de imediato e so me perguntou três coisas a saber: A data , o local e a hora do nascimento ao que lhe disse sem pensar em mais nada. No dia seguinte ao jantar ela apresentou-se com a minha carta astral que ainda continua em minha posse e que eu não entendo nada daquilo e me contou toda a minha vida passada direitinha sem qualquer falha. No decorrer do jantar convidou-me para ir a casa dela pois tinha feito a previsão para o ano seguinte. Atónito como estava e curioso como sou quis saber o que 2001 me reservava, para ficarem com uma ideia estavamos em Novembro de 2000. Bem eu peguei na tal previsão guardei-a e confesso que nunca mais me lembrei daquilo até que um dia a arrumar umas papeladas dou de caras com aquele papael e comecei a ler o que la estava escrito . Tremi , tremi tremi pois aquilo que me tinha acontecido nesse ano estava ali naquele papel. Quando chegamos ao fim de 2001 ela logo se prontificou a fazer a previsão de 2002 ao que eu aceitei e mais uma vez e feito o balanço estava ali tudinho quer de bom quer de mau que me iria acontecer mês após mês em 2002 . Depois para o ano de 2003 já não quis saber até porque começava a ficar assustado com aquilo e depois de muitas insistências e muitas rejeições la fiquei sem as previsões e pior que isso sem a amiga. Coisas da vida??? ironias do destino??? coincidências ??? não sei explicar mas que tudo estava ali para ser lido isso é verdadeJATGO
</a>
(mailto:jatgo@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 00:49
Agora a sério, não estava à espera deste desfecho... Nunca tal me aconteceu, em termos de alguém adivinhar algo sobre factos concretos da minha vida . Há muitos anos uma cigana quis ler-me a sina, mas eu fugi a sete pés... (ehehehehhe) Mas há, de facto, coisas que dão que pensar, porque batem demasiado certo. Podemos achar que a primeira é coincidência, mas a probabilidade de outras coincidências acontecerem simultaneamente é sucessivamente cada vez menor e demasiado pequena para se poderem assumir credivelmente como tal... coincidências. Por isso, embora não encontre grande sentido na tarologia, sobretudo porque entendo que pouco ou nada acrescenta à pessoa, fico-me pela pergunta: por que será que estas coisas acontecem?? beijos e abraços ;) PS: já agora, o que disse o dito senhor à ^Erina^? :PPPalic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 00:56
Eu respeito muito este tipo de coisas... (não a astrologia que vem nos jornais, nem aqueles livrinhos com as caracteristas dos signos) Respeito e assustam-me mais as ciencias ocultas! Já me aconteceu uma situação muitissimo estranha. 3 pessoas, que não se conheciam, ligadas a este tipo de "ciencias, disseram-me num curto espaço de tempo que eu tinha poderes mediunicos, mas que não desenvolvia esse poder. Ora como devem calcular fiquei assustada... bolas se há coisa que não quero é ter esses tipos de poder. O engraçado é que essas pessoas, cruzaram-se comigo por outras razões (nada de consultas, nem mais ou menos- alias nem tinha conhecimento desta faceta)... uma dela era a minha massagista...era muito mistica... e ao fazer-me massagens na coluna fazia uns sons estranhissimos com a voz... começou a incomodar-me. Um dia pediu para falar comigo, e disse que eu era medium, e nem sabia. AI jesus... ATÉ TIVE VONTADE DE FUGIR, mas aguentei-me ali... disse sim a tudo com a cabeça, mas a verdade é que nunca mais lá apareci! as outras duas pessoas foram situações semelhantes... tipo tocaram-me num braço... e disseram-me que sentiam umas vibrações estranhas.Segundo elas tinha poderes de medium! acho que ainda andei a bater mal durante uns dias... mas felizmente passou. Acreditem assustei-me mm! Por isso entendo a situação do Fly... e respeito, não consigo brincar com essas coisas!
Excelentes posts Fly* parabens!cereza
(http://bbb.blogs.sapo.pt/)
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 00:59
Ai Alic também me senti aliviada por não ser loira!!!É que gosto muito de ti Erina.:)*Agora é assim, não acredito nem deixo de acreditar nestas coisas,até sinto um certo receio,mas acho que tem muito a ver com a energia com que saiste de lá flyman.A força do acreditar...ou do que te ficou retido na memória.Gostava de saber,tudo o que te foi dito,e que não aconteceu,talvez nem te lembres,porque não te tocou tanto.Eu quero acreditar que seja assim....talvez por não entender e temer.BEIJOSSSSSSSSSSS para os dois.marta
</a>
(mailto:martax_@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 02:26
Já é muita coisa junta para ser uma mera e banal coicidência! Bolas! Mas é como já o outro diz:"ver para crer!" Não é por não acreditar na fiabilidade da história, mas apenas porque é inimaginávél passar na cabeça que um desconhecido pode adivinhar tanta coisa junta em 5, 15, 30 ou numa hora que está contigo.Suicidal_kota
</a>
(mailto:cromokamikaze@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 02:28
Enganei-me, peço desculpa!!! Acreditar, acredito! Já me troquei todo!Suicidal_kota
</a>
(mailto:cromokamikaze@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 08:55
Eu acredito e respeito esse tipo de coisas, porque já o fiz, não procurei nenhuma tarologa, mas sim uma espécie de bruxa a que todos chamavam de vidente, e depois de ela medizer que tinha de cuidar mais de uma pessoa muito próxima de mim que iria ficar doente, percebi que tinha razão...essa pessoa era o meu avô que tinha uma saúde de ferro mas que, como ela disse, iria ficar muito doente, e ficou. contou a minha vida toda, sem me conhecer e eu percebi que eram coincidências a mais. Por isso acredito nessas coisas, e respeito porque realmente elas existem.devil_girl
(http://..)
(mailto:joana_ribeiro19@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 09:29
Olá. O meu nome é Safira, tenho x anos e não recorro a ciências ocultas desde 1863. Creio estar quase curada! LOL. Brincadeirinha :) Apesar de não acreditar em nada destas coisas respeito as convicções de todos, sejam de que tipo forem. Queria só lembrar o efeito do placebo. Muitas vezes vemos e ouvimos aquilo que queremos, de modo a que nos sintamos mais equilibrados e mais felizes. Depois só temos tendência a lembrar qdo eles acertam mas já se perguntaram qtas vezes eles terão errado? Safira
</a>
(mailto:saphireonearth@hotmail.com)


Ah... Comenta-me