30 comentários:
De Selvagem Anónimo a 27 de Junho de 2005 às 23:56
Ao longo da vida, vamos encontrando e conhecendo pessoas. De algumas gostamos, de outras nem por isso. Existem aquelas que são autenticos buracos negros, sempre à procura de quem se ponha a jeito para as alimentar, nessa ânsia de se lhes sobreporem e de predominarem. Existem outras, que também basta olharmos, e sem abrirem a boca, reconhecemos como do nosso grupo. Usufruir da sua companhia revitaliza-nos e têm perspectivas identicas ás nossas sobre o caminho. Quando nos despedimos, desejamos sempre que a separação física seja breve. Pode até nem ser, mas sabemos que estão lá. A nossa energia sai revigorada pelo prazer do encontro e da troca de palavras. Nesse caso, saber brincar e saber interpretar (ser brinquedo), é também muito bom... Belo texto, meu caro Maslow! Um grande abraço para ti. :)flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 05:41
...Whatever the universal nature assigns to any man at any time is for the good of that man at that time...Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 08:59
Belos textos eu encontro sempre aqui, se calhar é esse o motivo pelo qual venho cá sempre que posso...
Fico a espera da continuação Maslow jinhos

luadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 10:14
Do meu ponto de vista, qualquer que seja a relação humana criada, é necessário existir uma ambivalencia e invariavelmente vai aumentando ou diminuindo consoante a celebre formula de acção-reacção. Entra em crescendo de cada vez que alguem está disposto a fazer uma accção e é correspondido com uma reacção à altura e em decrescimo quando uma das duas pára ou resume-se apenas ao essencial. For you, Stary, my darling, not always, and not all the times...formasdolhar
</a>
(mailto:formasdolhar@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 10:35
É esse o encanto nas relações, o jogo, consciente ,ou inconscientemente, sendo o primeiro a dar cartas ,ou o ultimo a baralhar ,é ai que se vai buscar motivação. Toda aquela paz, do dar e receber mútuo é utopia, leva á rotina. Há que bailar, jogar, dar, tirar, ir e voltar....Não me prendam, que eu fico...Não me puxem que eu vou...marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 11:59
Simplesmente lindo o texto (e, pegando nas primeiras frases... sou dos que convictamente "sabe"(poderei discutir isso num futuro próximo) que nada nos acontece ou ninguem aparece nas nossas vidas "por acaso"

Um grande abraço Maslow, beijo especial á Cereza, e um bem aja a todos os que lêm regularmente este blogazeloM
</a>
(mailto:rui_brito@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 12:21
Eu sou um boneco da sociedade, como muitas outras pessoas...
Kem sabe se as palavras q aki escrevo, ñ serao tb geridas por alguem q tenta me gerir ? loooool

Maslow esta excelente o texto...
Criador_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 14:30
Como se a vida não fosse um jogo por ela própria. Afinal, o que fezemos nós senão jogar e representar? Só que, como em quase tudo, existem os que jogam e perdem e os que ganham. Uma questão apenas de sorte e, por mais que se tente entramos no jogo porque sem o saber algúem nos coloca no tabuleiro e nos move como peão de xadrez. Por vezes, somos nós que o movemos mas se for possível estabelecer um termo de comparação serão mais as vezes que somos nós próprios as peças jogadas. A vida é assim um jogo constante e se nos lembrarmos logo desde pequenos uma das primeiras brincadeiras que se aprende é o jogar às escondidas. Poucas ou quase nenhumas pessoas poderão afirmar que nunca foram um joguete nas mãos de outra ou outras. É assim, há quem goste de jogar , outros... outros nem por isso.
Belo texto Maslow .NiceDay
</a>
(mailto:pisacelas@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 15:53
Niceday, antes de mais benvindo ao blog... tenho lido os teus comentarios, e tenho gostado... por isso junta-te a nós.
Também concordo com o teu comentario... pelo menos em parte... já todos nós fomos joguetos uma vez o outra na vida... mas, as coisas mudam quando nós tb sabemos jogar. a vida é de facto um jogo, e é preciso joga-la com trunfos... antecipar jogadas... e mesmo quando não conseguimos antecipar, podemos sempre dar a volta á situação. eu jogo, confesso... e gosto de jogar... e sobretudo gosto de ganhar... seja de que maneira for! talvez por isso goste tanto deste texto do maslow.
vejam o filme Closer, mostra bem como a vida é...é tudo um jogo, com muita mentira á mistura, onde existem herois e cobardes, jogadores e joguetes!

os cobardes, são felizes assim, os herois querem sempre mais! cereza
(http://bbb.blogs.sapo.pt/)
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Junho de 2005 às 16:20
Como é que alguém se torna importante na nossa vida? Como é que tudo começa?
Um olhar, um sorriso, um vislumbre de magia…
E então, deixamo-nos embalar para lá da anestesia quotidiana….


Cereza obrigado pela musica :))Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


Ah... Comenta-me