Sexta-feira, 17 de Junho de 2005

Agradecimentos.

Ainda o almoço... O Abel quis agradecer a vossa simpatia ao comentarem o poema que ele me mandou. Acho que temos mais um novo bloguista. pelas nossas bandas.


_DSC2307-26-02-05-Olhosamou copy.jpg


O coro melodioso que até mim chegou
Trouxe sinfonia que me entusiasmou.
Mau abalado coração
Resolveu dar uma explicação



Namibe, deserto onde nasci
Sol e maresia abundam por ali
Nu nadava na enseada que era grande
De seu nome, era mas já não é Alexandre.



Articulava fantasmas que se mantêm de pé
E naquele dia, estava na amena Nazaré!
Até o chocolate lembrou gente que não estava
E que agora até na Suiça habitava.



Pescadores eram meus pais
Tal como nesta Vila foram tantos
Agora são recordações banais
De vidas doridas, em poesia, encantos.



Claro que a Musa ajudou no esquema
Pelos traços da minha gente morena
Trazendo à memória coisas guardadas
Que quero tanto, agora reveladas.



Bondade a vossa pelo elogio carinhoso
E a simpática Cereza não rejeitou, na selva, a participação
Por isso meu humilde corpo flecte por tamanha ovação
Não habituado na descoberta deste desvio fabuloso.



Abel



Impressão Digital Cereza às 09:57
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
19 comentários:
De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 10:10
Bem, mais uma vez um belo texto... Abel, obgd por nos proporcionares belas palavras... Cereza, o blog ja quase q se pode associar a um programa de descoberta de talentos escondidos... LOOOOOOOOL Criador_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 10:10
Bem, mais uma vez um belo texto... Abel, obgd por nos proporcionares belas palavras... Cereza, o blog ja quase q se pode associar a um programa de descoberta de talentos escondidos... LOOOOOOOOL Criador_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 10:15
Abe, não estás habituado, mas é bom que te habitues!!! É o que a casa gasta. Já agora, ainda não encontrei o cerebro!!!! Ninguem viu por aí uma coisa em tom acinzentado e pequena numa matéria esponjosa? A quem encontrar: devolva se faz favor, tem informação que só deve ser usada por mim e não é um telemovel!!formasdolhar
</a>
(mailto:formasdolhar@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 10:37
Excelente Abel... é fantástico como as tuas palavras nos conseguem envolver numa descoberta imaginária de todas as tuas lembranças...simplesmente continua a escrever... Um Beijinho da Cabeça Vermelha...Cabeça Vermelha
</a>
(mailto:xana_2u@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 10:39
Namibe, deserto onde nasci/
Sol e maresia abundam por ali/
Nu nadava na enseada que era grande/
De seu nome, era mas já não é Alexandre.///
Pescadores eram meus pais/
Tal como nesta Vila foram tantos/
Agora são recordações banais/
De vidas doridas, em poesia, encantos.///

Abel, sabe que nem sequer trocamos mais do que um cumprimento. É uma pessoa reservada e ficamos colocados em lados opostos da mesa. Enfim, não me importam explicações. O que me importa é que, mais uma vez recebi uma lição que me diz que, para lá de um rosto fechado há um mundo que se agita e as duas estrofes que salientei são absolutamente belas. Se quer a minha opinião, a sua poesia, transmite um dom magnífico, o dom da narrativa. Talvez que se explorar esse seu dom, sejamos brindados com palavras onde a literatura acontece. Gostei mesmo muito, parabéns. Manuel Azevedo
Maslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 10:51
Pergunto-me, uma e outra vez, quantas serão afinal as pessoas bonitas e cheias de talento que andam por aí "calando" o muito que têm para dizer ao mundo e às pessoas que os rodeiam? Pelo que se tem vindo a revelar neste blog, devem ser mais que muitas e eu só posso ficar contente por verificar que a euforia de uma mão cheia de "velhos" rouxinóis deste blog seja de tal forma contagiante e convidativa. O bando de felosas (lol) e outros pássaros vai ganhando peso e tamanho! Great! Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 11:02
Abel, parabéns por mais um belo texto... escreves de uma forma muito bonita e que nos faz viajar.
Starry, é isso mesmo, é o ambiente criado pela velha guarda que atrai cada vez mais adeptos a este espaço tão aprazível. Hoje sou eu que digo: "Tenho orgulho em vocês, gente boa"! ***Xinhus***Safira
(http://www.bbb.blogs.sapo.pt)
(mailto:saphireonearth@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 11:11
Mais uma vez, surpreendeu-me pela positiva a forma exuberante pela qual se escreve neste blog. Abel, limito-me apenas a dizer: DIVINAL. Adorei como foi misturada a História ainda viva de Alexandre, o Grande, com a vida Nazarena na qual nos proporcionou um belo momento de convívio e harmonia. Deliciei-me também com o pormenor adoçicado referente aos chocolates suiços... Nada mais saboroso para criar "agua na boca" num poema de grande qualidade. Fiquem bem! :)Absurdo25
</a>
(mailto:HugoMiguel21@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 11:23
Lindo Abel!!Eu vi que nesse teu olhar calmo,havia saudade e recordação....Um beijo.marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Junho de 2005 às 11:26
Estes bloguistas deixam-me muda. Eu bem quero comentar mas não encontro palavras para exprimir o que me fazem sentir. O que vos agradeço realmente, hoje particularmente a ti Abel, é o facto de se darem a conhecer sem restrições e exigências e da forma mais bela. Obrigada. BeijossssDríade
</a>
(mailto:paulino_correia@hotmail.com)


Ah... Comenta-me