Terça-feira, 14 de Março de 2006

Cientologia Parte II

A Igreja é ainda acusada de estar ligada a acontecimentos menos claros: extorsão de dinheiro, práticas de "lavagem cerebral", burla, roubo, intimidação, "lavagem de dinheiro" e fraude fiscal.





travolta copy.jpg

(J.Travolta, seguidor da Cientologia)




A Igreja dedica-se à 'limpeza' espiritual da pessoa e tem um plano total de cura que pode custar entre 30 a 60 mil contos e... vários anos de vida. Os membros contraem frequentemente empréstimos (que por vezes levam à ruína financeira) para pagar os seus cursos. Estes cursos são em número bastante elevado (mais de 100!) e abrangem variadíssimos temas.



O procedimento usado pela Cientologia é, talvez, semelhante ao de muitos outros novos movimentos religiosos. Os seus alvos preferenciais são os marginalizados, os descontentes da sociedade, os solitários, todos aqueles que se confrontam diariamente com problemas sociais e/ou pessoais e que procuram uma solução que não encontram por outros meios. Isto abrange não só as camadas mais desfavorecidas da população, mas efectivamente estende-se a todos os extractos sociais.



As dúvidas não são bem-vindas dentro da Cientologia. Quem faz objecções é catalogado como subversivo, podendo mesmo ser considerado "Pessoa Supressiva", ou seja, excomungado da Igreja, não podendo estabelecer comunicação com qualquer cientologista.



A Cientologia e o cristianismo


Embora haja por parte dos cientólogos considerável esforço em conciliar os ensinos de Hubbbard com o cristianismo (como se vê em diversas das suas publicações, como, por exemplo, Cientologia e a Bíblia), a verdade é que existe um enorme disparate entre a Palavra de Deus e os ensinos de Hubbard. Vejamos alguns:



Deus


Devido ao seu caráter eclético, a Cientologia tem procurado, nos últimos anos, assim como a Maçonaria, designar Deus simplesmente como "Ser supremo", "Força de vida", a fim de facilitar a entrada de pessoas de qualquer segmento religioso. Adoptam, ainda, a posição politeísta: "Existem deuses que estão acima de todos os outros deuses, e deuses além dos universos". Em toda a Bíblia encontramos uma afirmação inflexível a favor do monoteísmo e da singularidade do Senhor Deus (Is 43.10,11; 44.6,8; 45.5, 21,22). O apóstolo Paulo é muito claro e enfático ao afirmar que, no que diz respeito ao mundo, "há muitos deuses e muitos senhores, todavia, para nós há um só Deus, o Pai de quem são todas as cousas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo" (1Co 8.5,6).



O lugar de Cristo


Hubbard formou o pensamento da Cientologia sobre Jesus Cristo tomando emprestado o mesmo ensino do Budismo, do Hinduísmo, do Taoismo e do Judaísmo: "teoria moral", que defende a ideia de que Jesus é apenas um exemplo de fé, de moral e de conduta. "Nem o senhor Buda e nem Jesus Cristo eram 'espíritos operativos' (do nível mais elevado), de acordo com as evidências. Eram apenas uma sombra limpa acima".
Não compactuamos com esses ensinos da Cientologia, pois a Bíblia proclama que Jesus é o Filho de Deus, sendo vero e eterno Deus, de uma só substância com o Pai e igual a Ele.



O único mediador entre Deus e os homens. Em todo o registro da vida do Senhor Jesus Cristo em suas palavras e acções, encontramos sua singularidade. No livro de Atos, Ele é chamado, muitas vezes, de o "Santo", o "justo" ( Is 9.6; Jo 1.1, 18; 8.58; 20.28; 1Jo 5.20; Fp 2.6; 2Pe 1.1; Hb 1.8-12; Tt 2.13; Rm 1.3,4; 1Tm 2.5; 1Pe 2.22; 1Jo 3.5; Hb 7.26; At 2.27; 3.14; 4.30; 7.52; 13.35).



Hubbard fez várias declarações infundadas sobre Jesus. E uma delas foi que "Jesus era membro da seita dos essênios, que cria na reencarnação". Os essênios tinham um sistema de vida profundamente ascético, alimentavam-se frugalmente e possuíam um "Manual de Disciplina" que estabelecia regras para a vida da comunidade quanto ao que se podia comer ou não. Não aceitavam o sacrifício de animais. Impunham o celibato para seus membros, entre outras crenças. Basta uma leitura imparcial das Sagradas Escrituras para vermos que Jesus não era um "essênio". Jesus não se apartava do povo, não tinha restrições quanto à comida, chegando ao ponto de ser acusado pelos judeus: "Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizem: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores!".



Os "essênios" primavam pela pureza exterior. Ao serem os discípulos acusados de comer sem lavar as mãos, Jesus os defendeu, dizendo: "Convocando ele, de novo, a multidão, disse-lhes: Ouvi-me todos, e entendei. Nada há fora do homem que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai do homem é o que o contamina" (Mc 7.14,15).



Os essênios não criam na ressurreição do corpo. Não podiam harmonizar a ideia de um espírito puro reunido a um corpo de substância material, já que esta era má. Ao contrário, Jesus ensinou claramente que lhe era necessário sofrer muitas coisas e, por fim, ressuscitar: "Ao descerem do monte, ordenou-lhes Jesus que não divulgassem as coisas que tinham visto, até o dia em que o Filho do Homem ressuscitasse dentre os mortos" (Mc 9.9).



Jesus opôs-se à reencarnação (Jo 9.1-3) e ensinou a impossibilidade de qualquer pessoa se salvar por ela (Mt 25.34, 41, 46). Em lugar de ensinar a preexistência de todas as almas, como é próprio da Cientologia, Jesus afirmou que era o único que preexistiu de facto, e não estava num estado reencarnado: "Vós sois cá debaixo, eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, eu deste mundo não sou" (Jo 8.23). O homem não veio de uma "estação de implante" de outro planeta. O homem é deste mundo, unicamente da terra. O género humano começou na terra, com a criação de Adão.





MJMP_jpg.jpg

(Michael Jackson e Lisa Marie Presley)


EM SÍNTESE


Cientologia é uma pseudo-ciência que por meio de técnicas psicoterapêuticas afirma poder despertar nos seus adeptos a consciência de sermos seres imortais dotados de poderes semelhantes àqueles dos deuses da mitologia da antiga Grécia.
Com um pesado emprego das técnicas de "vendas forçadas", os "crentes" são levados a frequentar cursos e a receber sessões de psicoterapia chamada "auditing". Para pagar estas sessões os membros encontram, com frequência, sérios problemas financeiros; enquanto a seita se apresenta como uma religião para não pagar impostos.



A finalidade destes cursos e sessões de "auditing", seria de livrar a mente dos traumas surgidos no passado e a procura destes, os quais se encontram sobretudo em "vidas passadas", algumas de até milhões de anos atrás.



Vanessa


Impressão Digital Cereza às 23:13
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
10 comentários:
De abstracto a 27 de Abril de 2006 às 19:22
axo a cientologia uma pseudo religiao, "capitalista", que nos leva a pensar sobre a vida para o alem da morte.
A questão de não podermos impor qualquer questao sobre os metodos ou fundamentos da religiao leva-nos a "ser" considerado um supressor.
a quantidade de cursos qu se tem k tirar é irrisoria


De Selvagem Anónimo a 14 de Março de 2006 às 23:45
A igreja da cientologia será apenas mais um de entre tantos e outros que virão, movimentos regioliosos espalhados pelos quatro cantos do mundo. Estas religiões só se tornam novidade para a sociedade em geral quando os media as tornam conhecidas porque elas de facto, já existem. Penso que a igreja da cientologia tem a sua raiz nos anos 70 altura em que sairam obras importantes cujo tema era a Dianética, um exemplo clássico de pseudo-ciência segundo o qual podemos controlar com a mente e blablabla (haja paciencia para comentar isto).. De tal modo que se formaram locais de culto tal como nas outras religiôes, e afirmava-se que os membros destas comunidades eram submetidos a lavagens cerebrais, perdendo a essência do seu Eu, e seguidamente, com a cientologia, tornar-se-ia um Thétan, um ser espiritual, imortal e indestrutível. A arte dos cientólogos é a da manipulação, o explorar o sofrimento de alguém, entrando no seu jogo. A pessoa é despojada.. entram somas exorbitantes nos cofres dos ditos cientistas. Como é que os "crentes" caem, não sei. Aii já chega que nao me sobra nada para os outros posts. Gostei do tema Vanessa *** Morgaine @ março 14, 2006 11:31 PM

Morgaine
</a>
(mailto:morgas@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 01:34
Hoje resolvi fazer publicidade do meu blog em blogs alheios. Ainda por cima, nem sequer tenho a gentileza de comentar este post onde acabo de debitar o meu spam. No entanto, fica desde já prometido que volto para comentar este blog de que sou visita assídua mesmo que o seu autor nunca visite o meu blog. Não sou rancoroso, apenas um pouco parvo e não estúpido como dou a entender nesta primeira impressão comentada. Obrigado.http://suinoecultura.blogs.sapo.pt
(http://suinoecultura.blogs.sapo.pt)
(mailto:suinoecultura@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 11:22
Vanessa obrigado pelo trabalho que tiveste para trazer até nós este texto :))

Por mim apenas quero acrescentar que a Cientologia não é assim tão diferente de outros movimentos religiosos em termos de procedimento.Os "alvos" preferenciais são os mesmos: marginalizados, os descontentes da sociedade, os solitários, enfim, todos aqueles que se confrontam diariamente com problemas sociais ou pessoais que procuram uma solução que não encontram por outros meios. Isto abrange não só as camadas mais desfavorecidas da população, mas estende-se a todos os extractos sociais.
Uma coisa que acho interessante na Cientologia são os chamados "códigos de conduta", pelos quais se devem reger os seus membros. Aqui vão alguns:
Código de Honra (escrito em 1954) nº03 Nunca abandones um grupo ao qual devas o teu apoio.
nº12 Não temas causar dano a outro por uma causa justa.
Código de um Administrador Bom e Esperto (1951):
nº04 Nunca vacilar em sacrificar os indivíduos pelo bem do grupo, tanto a planificar e executar como a exercer justiça.
Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 14:53
Vanessa, obrigada pelo tema que trouxeste....já andei a ver sites atrás de sites....mas desisti.Com o trabalho que tenho para fazer...não há tempo...mas a curiosidade de ir ver melhor o que se passa, ficou!!Jokitasmarta
</a>
(mailto:martalfaiate@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 15:35
Gostei do tema, não tanto desta segunda parte onde se comenta o aproveitamento da bíblia pelos cientologistas.
Passo a explicar: não sendo religioso no sentido de ter alguma religião em que deposite a minha fé, tenho as minhas
crenças, o meu lado espiritual, que muitas vezes ( e em certas alturas duma forma demasiado radical) me leva a criticas
tanto ás religiões com ás "crenças" por aí espalhadas. Daí que critico muito do que se diz na bíblia, tanto pela falta
de veracidade de muitos textos como da sua própria manipulação pela própria igreja.
Voltando á cientologia, ela faz uso de muitas crenças/escritos que ao longo dos ultimos 50 anos têm ganho mais força
por conta da evolução (ou desevolução) social - dirão uns - por força duma vontade maior de conhecimento interno - dirão
outros. Respeito todas as ideias pessoais (mesmo algumas que me custam "engolir" ;) ), critico a maior parte dos
movimentos de massas - e incluo as religiosas e outras - mas tenho de aceita-las... pois o ser humano é um ser social (que é optimo, mas)
com demasiadas carências e necessidades , devido á sua procura incessante no mundo material daquilo que tem no seu interior
, mas com demasiada pressa em viver para o procurar.azeloM
</a>
(mailto:rui_brito@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 15:57
Olas.... Gostei.... Mas tb gostei de um post sobre uns espiritos (autoria da Queen)... E Como gostei tanto desse tema (k sempre me fascinou), resolvi criar um Blog so pra contar essas historias... visitem e deixem comentarios... o site é: "www.made-in-hell1.blogspot.com

espero k gostem mais deste blog (novo) do k do antigo (mas vou continuar a "postar" no antigo) :))

**************SolDouradi
(http://www.soldourado1.blogspot.com)
(mailto:soldourado25@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 16:21
azeloM: eu não acredito numa única palavra da bíblia cristã, no entanto fiz referência a Cristo e a passagens bíblicas por ser exactamente a estes que Hubbard mais se referiu. E portanto, também mais se "enterrou", porque se contradiz bastante.
Marta: há mil e um sites e livros onde podes encontrar informações, uns a favor e outros contra e onde também poderás encontrar informação mais detalhada e casos de pessoas prejudicadas pela Dianética. A cientologia esteve presente em Portugal na época de Salazar... estranho, não? Mas depois o seu barco (com o Hubbard lá) foi expulso. Pelas informações que tenho há uma "filial" em Lisboa. Quem tiver curiosidade, que espreite ;)
Sei que esta é apenas mais uma seite entre muitas outras, mas as outras não caem em tantas contradições quanto esta!vanessa
</a>
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 16:52
Ultimamente o Uj tem sido coisas "do além", peuso-igrejas... O que é certo é que no dia em que a Cereza publicou a primeira parte do meu texto, o meu blog semi desapareceu! Isto é alguém a mandar-me uma mensagem! lol!vanessa
</a>
(mailto:mina_aeternus@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Março de 2006 às 18:10
Vanessa, é so coisas sobrenaturais.... :) "Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode supor nossa vã filosofia". by: William Shakespeare
Estejam atentos, muito atentos
HAHAHAHAHAHAHAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!SolDouradi aka SolDourado
(http://www.soldourado1.blogspot.com)
(mailto:soldourado25@gmail.com)


Ah... Comenta-me