Quarta-feira, 27 de Abril de 2005

Uma nova empresária! II

Pronto, pronto, acabemos com a novela da Queen, aqui fica a segunda e ultima parte!



gatoo copy.jpg


2ª parte


"As horas vão passando e, aos poucos, os feirantes que estavam ao nosso lado começam a conversar conosco e a ensinar algumas coisas, como por ex: “Os melhores dias para vendas são após o dia 20 de cada mês e no fim dos mesmos, porque num, é o dia dos ordenados da malta da função pública e o outro, o das restantes pessoas.” Ou seja, em vez de vendermos os trapos a 50 cêntimos, ou um euro, podemos pedir mais qualquer coisinha. Dica valiosa a ser utilizada brevemente, se não desatar a chover a potes.

Continuamos a dar-nos com os colegas dos lados esquerdo e direito, que são simpáticos e até nos rimos de algumas situações ocorridas entre eles e os fregueses. Uma das mais hilariantes foi a seguinte:
Do nosso lado direito estavam um rapaz e uma rapariga a vender objectos de jardinagem (regadores de aspecto antigo, ancinhos, flores secas, cestos, etc); um senhor já idoso parou para ver o que tinham. Com um sorriso maroto, apontou para um boneco em forma de catatua (muito bem feito, por sinal) e disse, sorrindo: “A minha mulher andava a chatear-me para lhe comprar uma gaiola com canários... agora levo-lhe um papagaio.” Desatámos todos a rir à gargalhada, com o ar satisfeitíssimo do senhor. Isto pode soar a algo simples, mas acreditem que teve mesmo muita piada e deu azo a algumas gracinhas trocadas entre nós e os nossos colegas.

Daí a mais um tempo, resolvemos empacotar novamente as coisas, colocar no carro, dar uma volta pela feira e estarmos atentas a locais estratégicos para estacionar o carro e montar a tenda. Já não me lembrava que a Feira fosse tão vasta. É difícil não ficarmos deslumbradas com a variedade de coisas que se encontram ali. No meio da quinquilharia, encontra-se sempre algo interessante. Basta saber procurar ou ter paciência para tal.

No entanto, no meio daquilo tudo, algo de cor berrante estava no chão e a atrair a atenção de quem lá passava: um alguidar com três gatinhos muito bébés. Deviam ter entre duas a três semanas, demasiado novos para estarem ali para serem dados. A feirante explicou-nos que a mãe deles havia morrido atropelada e que resolveram dá-los em vez de os afogar. Para que tivessem uma hipótese. Ficamos com pena e com algum temor, porque nem toda a gente sabe tratar de um gatinho que ainda não foi desmamado.

Afastamo-nos um pouco, a pensar naquilo. Duas raparigas doidas por animais, perante aquela situação... tentamos arranjar uma solução, telefonando para algumas pessoas. Uma Associação dispôs-se a recebê-los, de modo que voltamos para trás. Já só havia dois gatinhos. Um tinha sido dado antes de chegarmos. Só espero que saibam tratar dele convenientemente. Trouxemos os dois orfãos. Vamos levá-los a casa da minha amiga, que irá entregá-los no dia seguinte. Compramos seringas e leite para gatinhos. Um deles mama furiosamente o leite e o outro, é quase uma tourada para o fazer comer. É o mais pequeno, mais enjeitadito. Continuo a fazer esforços e fico cheia de leite no casaco. Mas consegui. Vitória!

Aquelas duas coisinhas fofas tentam brincar, desajeitadamente e tentam lavar-se, tão pequeninos...!

Não me irei alargar mais aqui.
A experiência na feira foi engraçada, tenciono voltar lá mais vezes. Só espero que não tenha mais desfechos como este...


Queen_Akasha


botas copy.jpg



Another Perfect Day



"...i still believe it when you say
it's another perfect day
another perfect day
i still believe it when you say
it's another perfect day
another perfect day..."




Impressão Digital Cereza às 17:54
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
23 comentários:
De Selvagem Anónimo a 27 de Abril de 2005 às 18:40
Queen, eu no teu caso, não vwndendo nada, não me sentiria desapontado, pois ajudei duas crias orfãs, isso tb é muito importante, ou seja o dia não foi em vão... tiraste uma lição e novas dikas para uma proxima vez, e praticaste uma boa acção... jokas grandesCriador-sonhos
(http://http.//criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 27 de Abril de 2005 às 23:23
Pois é !!! No meio destas histórias todas algumas conclusões se podem tirar. Vamos a elas:
1º O povinho anda teso e só ha dinheiro no fim do mês;
2º Até no meio dos feirantes há pessoas simpáticas e prestativas;
3ª O produto não é de todo o mais importante desde q seja rigorosamente baratinho;
4ª Apesar de não ser esse o propósito da ida à feira acabaram por safar duas pobres criaturas lei-se gatinhos sabe-se lá do que lhes estava reservado;
5ª Temos q ue dar razão ao Paulinho das Feiras quando dizia q é nas feiras q se ganha .
Quanto a ti Quen os meus parabéns pelo amadrinhamento dos gatitos afinal não são os aninmais q nos dedicam toda a sua estimação??? Pois srs e sras humanas comecem lá a comportar-se como os animais a ver se fazemos um mumdo mais solidário.
JATGO
</a>
(mailto:jatgo@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 00:31
Olá! Já li os comentários à primeira parte e resolvi responder aqui: Tex, entrega-me a mala, que eu vendo-a pelos 5 euros, eheheh. Consegui vender uns sapatos por 10, quanto mais vender mais qualquer coisa por 5. Ao todo, saí de lá com quase 40 euros no bolso. Nada mau, para uma primeira vez, não é?
Este sábado, estarei lá novamente e adivinhem lá a que horas... pois! Às cinco da matina já estarei lá a montar a tendinha.
Morgaine, quanto a massagens, por muito que achasse piada à ideia, não podia ser, lol! Isso irá ter lugar noutro lado. :)
E sim, meus amigos... na Feira da Ladra, há bem quem venda coisas adquiridas de modo pouco lícito... vi lá uns bons exemplos. Lata é coisa que não falta a muita gente...Queen_Akasha
</a>
(mailto:maura.machado@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 03:36
Queen, por defeito ou por feitio, nao sei, considero te mais um filho adoptivo, neste caso uma filha. Peco, assumo, por nem sempre dizer o que sinto. Pertenço ao grupo das pessoas que: podia contar num livro a historia da minha vida ! Mas, como a minha existem, sei lá , infinito zero. Logo, a minha vida nao é mais nem menos que mais uma vida. Mas, essa vida para além de tudo o que tem, tem uma coida linda : um Filho. Ao falares na tua experiência, imaginei o meu Filho no mesmo local que tu. Perdoa-me a comparaçao mas nao fui capaz de deixar de dissociar. Sem te conhecer, permite-me .. Sinto me orgulhosa de ti. Continua :-) Beijinhos constancinha
</a>
(mailto:ola_cusca@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 09:35
Este post lembrou-me uma das cenas mais surreais da minha vida. Não se passou na Feira da Ladra mas no Rastro de Madrid que é lá a Ladra dos nuestros hermanos.Um travesti vestido com uma t-shirt do Che Guevara e com umas calças de Lycra cor-de-rosa a tentar impingir-me uma colecção de latas de Coca-Cola de uma edição comemorativa do aniversário da morte da Marylin Monroe, e volta meia volta apontava para uma das latas e dizia : "Cariño, esta soy yo!" e eu só pensava para me tirarem daquele filme. É óbvio que a colecção de latas ficou lá.Louis_Phere
</a>
(mailto:jmcfilipe@oninet.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 10:13
Queenie passaste ao lado duma grande carreira!lololol!Adorei :)*

Cereza ai o que eu gosto desta música!É que para mim é mesmo "another perfect day" :)Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 10:31
Estive á espera,do fim da história.Queen fizeste-me recordar...também lá fui montar a tenda da venda,já lá vão 20anos..nos meus tempos de estudante,mas tivemos azar,fomos tão cedo e escolhemos um lugar tão bom,que quando chegaram,os vendedores que teêm lugar marcado,fomos empurradas,para um cantinho....e a venda,não deu nem para os copos que tinhamos bebido no dia anterior.Velhos tempos!!!Um enorme beijooooomarta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 11:22
Perdoem-me a forma como encarei este post mas tem tudo a ver com o facto de gostar tanto da queennie. Eu pensava que ele ia ser todo à volta da empresaria mas, mais uma vez, é à volta da pessoa, mesmo! Já me tinha contado a história dos gatinhos, e com uma ternura imensa. Todos os relatos de coisas que se passam nestas feiras são fragmentos de vida e de vidas, histórias humanas com aspectos bons e menos bons, trágicos ou cómicos, mas sempre fragmentos de vida e de vidas! Daí suscitarem em nós o interesse de quem reconhece traços comuns à nossa própria vida e, por transferência, apaixonamo-nos tantas e tantas vezes pelas vertentes dessas histórias. Neste caso eu não me apaixonei, de todo, porque já me tinha apaixonado antes pela protagonista, sempre nesta minha qualidade de Daddy-o...Um beijo, deste Anjo, Maslow Maslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 13:03
E de mim na gostas maslow? tudo a queenie, TUDO a queenie... ai que inveja LOLLL
NINGUEM GOSTA DE MIM?????? BOLAS SOU UMA MOURA DE TRABALHO COM ESTE BLOG, E NINGUEM GOSTA NEM UM CADITO?????? :pcereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 28 de Abril de 2005 às 13:40
JOKING OK?????? NAO COMECEM A PENSAR JÁ COISAS lollllcereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


Ah... Comenta-me