Terça-feira, 26 de Abril de 2005

Uma nova empresária! I

Assim que leu a história do Fonz, a Queen pôs mãos á obra e escreveu esta sua experiência em menos de meia hora! (és assim rápida em tudo? lol) E assim cá temos mais um testemunho cheio de humor! Tenho a certeza que ainda vai ser uma grande empresária... mais que não seja na feira da ladra!!!! Fica aqui a primeira parte do texto... o resto virá amanhã.



Penny copy.jpg


Cinco e um quarto. O despertador toca. Tenho de me levantar para o desligar.
A estratégia é mesmo essa: colocar o despertador longe da mão destruidora, não só para proteger o desgraçado aparelho, como para me obrigar a sair da cama.
“Hunnff... parece que só me deitei há bocadito. Ainda é noite. Sou mesmo doida...”

Toca a tomar banho e a arranjar-me, porque a minha boleia está quase a chegar.
Verificar se está tudo bem empacotado, se não falta nada. Afinal, vai ser a minha estreia como vendedora na Feira da Ladra. E sem licença. A minha amiga também não a tem... vai correr tudo bem. Espero.

A minha amiga chega, ajuda-me a arrumar as coisas no carro e diz-me que, caso eu tenha roupa boa (pois, sem ser os velhos trapos que não uso há uma data de tempo, na esperança de que voltem a ser moda), a ponha de lado, porque descobriu que há uma senhora em “xis” parte que compra roupa usada e de certeza a melhores preços do que na Feira.

Chegamos à Feira da Ladra, após termos dado duas voltas e subido uma rua íngreme e estreitinha – a minha amiga diz-me que sou uma co-pilota bestial, por a ter feito enfiar o carro por tal via. No meu íntimo, estava apavorada com a hipótese de podermos ficar ali atravancadas.

São seis menos um quarto e já estão muitas pessoas a montar as tendas, a colocar mantas no chão, para vender toda a espécie de quinquilharia, trapos e sabe-se lá o que mais. Conseguimos arranjar um espaço abaixo do Panteão, tendo o cuidado de deixar passagem para as pessoas – fiquei a saber que a polícia embirra com isso, ao ponto de ordenar que se levante a tenda.

Estamos a colocar a tralha na manta – pois, é mesmo tralha; ainda me pergunto se de facto vamos vender estas coisas -, quando surge a primeira cliente. Uma senhora de idade, que se interessa por umas sandálias minhas. Experimenta-as, mostra-se interessada e a seguir, franze o nariz ao ouvir o preço: 5 euros. Vai-se embora. Ao fim de cinco minutos, aparece o neto a pedir as mesmas sandálias, com os cinco euros na mão.

Mais pessoas começam a aparecer, umas páram para ver a panóplia de coisas que tínhamos ali (roupa, maioritariamente, livros, cds, sapatos), outros seguem caminho, dando apenas uma olhadela rápida.

Acho piada que as pessoas regateiem os preços (baixíssimos) que se pedem. Estavamos a vender os livros a 50 cêntimos cada e ainda perguntavam se era o preço fixo. Ainda temos aquela variante de pessoas que agarram em 5 livros, por ex., e diz: “Se levar estes cinco, a quanto me sai? Pode ser 1, 50 euro?”
Fico a pensar na anormalidade da situação, quando me recordo dos preços praticados nas livrarias e até mesmo nos alfarrabistas. Pessoas que compram livros por 20 euros ou mais e ali, regateiam 50 cêntimos!
O mesmo se passa com a roupa. Ok, é roupa velha, usada... mas, mesmo assim, a um euro...!
Queen_Akasha


Continua....


4540 copy.jpg

( Esta é a Gwen Stefani, que canta esta música... sei de fonte segura, que comprou esta roupa á Queen Akasha)


Rich Girl:



"...If I was a rich girl na na na na na na na na na na na na na na
See, I'd have all the money in the world
If I was a wealthy girl
No man could test me
Impress me
My cash flow would never ever end
Cause I'd have all the money in the world
If I was a wealthy girl

Think what that money could bring
I'd buy everything
Clean out Vivienne Westwood
In my Galliano gown
No, wouldn't just have one hood
A Hollywood mansion if I could
Please book me first-class to my fancy house in London town..."


(Por acaso também gostava de ser uma "rich girl" e andar vestida de Galliano)


Impressão Digital Cereza às 19:10
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
30 comentários:
De Thelma a 3 de Maio de 2009 às 22:45
Olá! Foi uma boa ideia essa de venderes na Feira da Ladra, eu também tenho muita tralha caseira da qual me queria livrar (coisas de um enxoval nunca usado sequer), como vou viver e trabalhar fora (Londres) não queroi ir carregada com tachos e panelas, nem quero deixar coisas para trás (o dinheiro pode fazer falta)....
Mas....... para vender na Feira da Ladra é preciso alguma licença???? E essa licença compra-se onde???

Obrigada, Um abraço,
Thelma


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 19:56
Engraçado! Tenho a casa atafulhada de coisas que não uso! Queen, queres entrar numa joint-venture e fazeres o negócio à comissão???? Pode ser 5 cêntimos para ti por cada 100 euros de vendas de coisas minhas??? Parece-me bem :))))))))))))))flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 20:13
LOLLLL flyman!!
Ai homem, nem me deixaste editar o texto todo, nem por a música, nem a letra...chiça que és rápido!!!!! LOLLLL Também és como a Queen???????cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 20:15
Agora temos aqui novelas..lá terei que esperar pelo próximo capitulo para saber se vendeu algo ou não.anasimplesmente
</a>
(mailto:ana.pcf@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 20:46
Cereza... depende do objectivo... da situação... de... LLLOOOLLLflyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 20:47
Por acaso sempre achei curiosa essa actividade de vendedor na Feira da Ladra, bem como o nome da feira, que afinal não tem nada a ver com actividades menos lícitas. Acho que não teria lata para fazer uma coisa dessas, mas com companhia quem sabe... Quando trabalhava na loja da minha mãe odiava as mulherzinhas que pediam desconto e, pior ainda, as que me obrigavam a tirar tudo das prateleiras para no fim não levarem nada... Enfim... acho que nao tenho mesmo alma de comerciante... Queen, deu ao menos para o almoço o negócio? beijocas e abracinhos ;)alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 21:21
aiii ainda há desses tops que deixam o umbigo à vista??? também querooooo!! tá em extinção isso! E Queen, montas lá uma tenda para as massagens? :)morgaine
</a>
(mailto:lab_marta@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 22:11
Eu vou esperar pela segunda parte da história para comentar mas não consegui deixar passar nem mais um minuto sem desejar à queennie, que em boa hora me adoptou como papi, o maior sucesso para tudo o que se decida a fazer. Um bom nome para uma loja na baixa ...feira da ladra...tema ...wild freaking garments... adoro-te queennieMaslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 22:39
A feira da ladra é uma instituição!!! Muitos sábados lá passei....a vender tralha q os meus pais e eu tinhamos em casa....agora roupa?!! nãaaaaaaa não dava papel!!! e eu keria dinheiro para curtir no fds!!! Só sei q saia de lá com os sacos vazios....e estava só de manhã!!! aiiiiiii era tão fixe :)))!!!!.....mas degradante tb....qdo via gente a vender coisas boas q tinham lá em casa.....e qdo reparava nas mãos deles/as .....já quase n se viam as veias....eram só crostas.....enfim.... Tá giro o texto...esperemos pelo próximo capitulo....agora a musica?!!! BAHHHHHHHHH .......YACKKKKKKKK (até o meu pataniskinho me perguntou se estava a mudar os meus gostos musicais!!!!!) beijokas Queen....e Cereza!!!Pataniska
</a>
(mailto:sissacc@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 26 de Abril de 2005 às 22:45
Exelentissima dona pataniska maria.... a musica só tá pq tem a ver com o texto :PPPPPPcereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


Ah... Comenta-me