Terça-feira, 19 de Abril de 2005

Uma ida ao Hospital II

Antes de ler este texto - para quem não o fez ontem - terá de ler o post anterior, já que isto é uma continuação do post anterior! Escolhi esta musica a proposito desta aventura do Fonz, já entendem pq!



Warehouse copy.jpg




Continuação: Segunda parte



"...Acordei na unidade de recobro, com uma enfermeira a fazer-me festas na cara – sabem, é difícil ser bonito como eu :P – e a dizer “Tão meu lindo como te sentes?”. Cavalheiro como sou, eu diria mesmo que sou um galã, respondi “F*d*-se mas que P*T* de dor”. Poético não acham? Até fez eco na unidade …


Depois de ser visitado pelos meus pais e irmão nessa unidade, fui levado para a Enfermaria de Cirurgia. As duas senhoras que iam a empurrar a maca não se sentiram inibidas com a minha presença e conversavam muito à vontade. Mesmo estando completamente pedrado, consegui ouvir o resumo da novela daquela noite e ainda ficar a saber que não sem bem quem, penso que uma colega delas, tinha um marido viciado no jogo clandestino e que a filha tinha medo do pai e mais umas quantas tragédias naquela família. As coisas que uma pessoa descobre numa viagem entre a sala de operações e uma enfermaria. Ao menos vi que apesar de operado, eu podia estar pior …


E estava pior do que pensava ... Fui para o bloco a pensar que era uma apendicite mas pela conversa das duas senhoras percebi que não. Uma perguntou à outra "Que teve este jovem?" ao que a outra respondeu "Pensava-se que era apendicite, mas na verdade foi uma hemo-peritonite (tive 5 dias para aprender a dizer isto LOLOL)". Uma suposta bebedeira, transformada em apendicite, na verdade tratava-se de uma hemorragia interna no abdómen, em que perdi cerca de 2 litros de sangue ..."


Passei a primeira noite num quarto com mais 7 pessoas, todas elas recém operadas e que precisavam de cuidados redobrados. Claro é que acordava de meia em meia hora pois a minha vizinha carregava no botão de chamar as enfermeiras sempre que precisava de coçar o nariz … O que vale é que adormecia facilmente devido aos efeitos da anestesia...


Na segunda noite, já estava num quarto só com 3 senhores. Dois para serem operados à vesícula e um aos intestinos. Este ultimo, tinha ataques de sinusite por isso acho que dá para imaginarem o motor de arranque que aquele homem parecia a ressonar. Para ajudar à festa, outro senhor só tinha 25% de visão. Com isto, não conseguia ver bem as horas no telemóvel e acordava-nos de hora a hora a perguntar as horas! Às tantas eu já lhe respondia “É mais uma hora do que a ultima vez que perguntou…” ou mesmo “São quinze minutos para daqui a um quarto de hora!”. Felizmente, ainda se sentiam os efeitos da anestesia e eu conseguia voltar a dormir …


No dia seguinte, foi o pânico! O hospital tinha estado em obras. Ia lá o Primeiro-Ministro fazer a inauguração do edifício – que já tava em funcionamento há 4 meses – então estavam a transferir doentes de um lado para o outro. A mudar de piso, enfermaria, etc … As visitas, andavam todas trocadas. Iam aos quartos onde as pessoas estavam no dia anterior e já não estava lá ninguém … A anestesia já não resultava. Os 44 agrafos que tinha na barriga já se faziam sentir. Para animar a festa, não podia dormir de lado como estou habituado que aquilo doía à parva. Como se isto não chegasse, apercebi-me que as camas tinham perto de 1,85m enquanto eu tenho 1,90m. E já como se diz, um azar nunca vem só. Quando eu felizmente conseguia adormecer ou acordava com as empregadas do hospital a falarem de receitas ou da novela (ARGH!!!!) ou era o meu companheiro de quarto com o “motor de arranque” a bombar a toda a velocidade!!


Grande senhor Zé, o meu colega de quarto.. Um senhor nos seus 60 ou 70 anos. Fanático pelo Benfica. Imaginem o que era quando eu, sócio do Sporting desde que nasci, e o Sr. Zé começávamos a discutir quando estávamos a ouvir um relato de futebol. Vinham logo as enfermeiras acalmar-nos … A melhor foi quando ele adormeceu durante o jogo do Sporting e o Sporting marcou um golo no final do jogo quando ele já tinha adormecido. Assim que a enfermeira pergunta o resultado, foi logo a divergência. Sr. Zé “Empatou 0-0” enfermeiras “Ai que bom!!! EHEH!” Eu “Nada disso, ganhou 1-0” E pronto foi logo a discussão …


Outra situação desagradável verificava-se quando precisava de verter águas. Elas insistiam que nos levantássemos e nos habituássemos a ir ao WC. Acontece que debilitado fisicamente é um bocado difícil uma pessoa levantar-se. Nesta situação, o bacio torna-se um utensílio extremamente útil. Mas como não há bela sem senão, numa das noites a empregada deixou-me o bacio num local inacessível para mim que não conseguia mexer-me devido aos agrafos na barriga. Fiquei numa posição mesmo desconfortável. Eram 4 da manhã, não queria acordar toda a gente com a buzina irritante. Que iria eu fazer? Lá ganhei coragem, acabei uma garrafa de água que lá linha e lá me desenrasquei! Curioso foi quando a minha mãe chegou na manhã seguinte. “Oh Hugo, quem é que te trouxe chá?”…


Já estava a desesperar … Só tinha alta quando me funcionassem os intestinos. O que era uma desilusão já que eu tinha o meu momento All Bran às 17h30 e há 4/5 dias que ele estava a falhar … Estava há 5 dias no hospital. Já tinha lido revistas de trás para a frente e frente para trás. Acordava às 6 da manhã e metia-me a mandar mensagens aos meus amigos a dizer que aquilo estava cheio de enfermeiras novas e com calças brancas – Ahh as calças brancas … Cheguei ao degredo de ter passado o dia a contar o número de vezes que a RFM passava a “My Immortall” dos Evanescence – 7 num só dia entre as 7h e as 23h :x


Ironia dos destinos, logo quando já estava a ganhar a atenção de uma das enfermeiras que tinha os seus 22/23 aninhos, até já tinha pedido ao meu pai para me levar a Gilette uma vez que a barba de 6 dias fazia-me perder a minha visibilidade e mesmo as hipóteses com a enfermeira :P, acontece que os intestinos funcionaram após 5 dias no hospital!! Foi uma sensação de alívio enorme, de tal forma que até gritei “TOMA LÁ! ”. Tinha ganho a minha saída do hospital, mas lá se foram as hipóteses com a enfermeira …"



Fonz




Impressão Digital Cereza às 22:58
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
30 comentários:
De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 23:53
ai Fonz eu tou farta de me rir!! Sabes, aposto na altura não achaste piada nenhuma, passaste um mau bocado e sofreste. Mas agora o teres contado a história com humor é sinal que tens um espírito bom! continua assim *** ò cereza a foto é um cadito mórbida possasssssss...morgaine
</a>
(mailto:lab_marta@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 00:05
Morgaine!!! Tá quieta!!! lol
Fonz, a tua aventura era digna de um filme ao estilo Almodôvar. Quem sabe juntamos a tua com algumas das minhas e escevemos juntos um guião? Não pode é ser realizado pelo Manoel de Oliveira, senão perde a acção toda. Sabes o que é bom no final? É termos a capacidade de ainda nos rirmos de nós mesmos e de alguns dos males que nos acontecem.Chamo eu a isso de 'exorcisar os nossos fantasmas'. Revi-me na irreverência com que enfrentaste a situação.Fizeste-me lembrar no passado dia 11/03 quando a enfª me veio buscar e perguntou-me: Tem relógio, anéis ou brincos? E eu disse: Já tirei tudo, só não tirei as calças porque não queria chocar as pessoas que aqui estão na sala...
mathiott
</a>
(mailto:cecilia_mathiotte@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 00:08
É isso mesmo! Conseguiste olhar para o que passaste de uma maneira positiva e descreve-lo de uma forma bem engraçada :) Felizmente que desta vez as consequências não foram graves, mas, de facto, é rara a pessoa q nao tem uma história de atendimento deficiente no SNS para contar... Pena q a enfermeira não tenha aparecido mais cedo, pk certamente que teria enriquecido ainda mais esta narração com umas cenazitas mais picantes... Sim, que reparei que tens um sentido de observação bastante apurado e ainda mais refinado pelo tédio de estar numa cama de hospital! Por isso, imagino o que não serias capaz de nos contar acerca da dita cuja ;) Continua a encarar a vida c esse optimismo e esse positivismo, pk é a melhor maneira de darmos importância ao que de facto é importante e rirmo-nos do resto. Beijo ;)alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 09:22
:) a segunda parte ainda está melhor do que a primeira. Fizeste-me sorrir logo de manhã o que é sempre muito agradável. Tens uma maneira de encarar as coisas menos boas da vida de uma forma muito parecida com a minha :) É, quase de certeza, a melhor forma, embora nem sempre se consiga.
Parabéns fonz. Os meus parabéns ao blog, Cereza é tão bom e diferente quanto a math (beijos math) me tinha dito :) Um bom dia p tds.momentum
</a>
(mailto:m0mentum@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 09:41
momentum ainda bem que gostas do blog ... e da Mathinha também :) Benvindo ao grupo!
cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 10:04
Obrigada pelas boas vindas :) gosto muito do blog sim cereza, é diferente, cuidado, vê-se que é feito com carinho :) Da math nem se fale, se fosse homem era o amor da minha vida :) lol....bom agora não comecem a pensar coisas :)momentum
</a>
(mailto:m0mentum@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 10:44
Ah e é "benvinda" eheheheh :) ...sim eu sei que o nick é meio estranho, mas olhem foi o que me ocorreu na altura :)momentum
</a>
(mailto:m0mentum@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 10:49
Bem Fonz, estava à espera da segunda parte para comentar. Foi demais quando li... estou com umas dores de cabeça de uma gripinha, mas tal foi o rir que até parece passou a dita cuja :), tal como diz a morgaine na altura não devias ter achado graça nenhuma, mas agora ao contar faço ideia o que te ris... continua assim com esse humor. Parabens ao blog e jinhos ao Fonz e Cereza.luadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 10:54
Realmente é absolutamente surrealista o que se pode fazer a partir de um internamento numa unidade hospitalar em função de uma hemo-peritonite (nem sei se escrevi bem mas também nem sequer vou lá ver - 2 litros de sangue perdido chegaram-me e sobraram-me)! Acho que tu não fechas lá muito bem a porta daí estar a simpatizar imenso contigo. Na próxima vez que decidires passar 5 dias no hospital dá-me um toque e pode ser que eu vá contigo para confirmarmos esse ambiente em conjunto. Enfermeiras, calças brancas, 22 ou 23 aninhos, acho tudo muito bem, claro, mas eram morenas? Eram belíssimas? Nunca mais te esqueças de esclarecer, Fonz, é da máxima importância. Já agora, disseram-me que uma anestesia bem dada chega a ser alucinogénica? Pelo teu relato não cheguei a entender se é! Deo Gratias que já passou e desejo-te felicidades para a imensa vida que tens à tua frente. Parabéns. Um abraço, MaslowMaslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 20 de Abril de 2005 às 12:31
Ó Fonz, pá, é só rir lolololololololTex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


Ah... Comenta-me