Segunda-feira, 18 de Abril de 2005

Uma ida aos Hospitais

O Fonz já referiu em muitos dos seus comentários aqui no blog sobre o facto de ter sido operado... hoje decidou descrever algumas das situações que viveu e aquilo que se apercebeu nos hospitais e centros de saúde nacionais... Um testemunho que acaba por ser hilariante... vai ser dividido em duas partes!


Trust_the_Professional copy.jpg



1ª parte


Lá estava eu mais uma vez numa festa da faculdade. Tal como era hábito, organizamos um jantar de amigos antes de irmos a Santos para depois ir para a Discoteca onde era a festa. O truque é quase sempre arranjar um sítio onde se coma minimamente bem e dê para enfrascar a torto e a direito grandes quantidades de álcool (normalmente sangria e cerveja) sem ter de gastar muito. Depois de umas garfadas e uns quantos copos – fui obrigado a consumir, a sério, quase que me apontaram uma arma eheheh :P – ficamos a falar um bocado e a fazer as brincadeiras do costume. Numa destas “brincadeiras”, acabei por levar uma cotovelada na barriga. Talvez por estar “anestesiado” não senti lá grandes dores e até levei aquilo na desportiva. Até disse “Epah, um pouco mais abaixo e lá se ia a hipótese de existirem Fonz´s Juniores, herdeiros de todo o meu charme!”.


As dores a sério só surgiram umas horas depois, logo na altura que estava a negociar com o namorado da minha afilhada o “dote” por me estar a roubar a minha jóia lol. A seguir a beber um shot, bem que senti uma explosão cá dentro. Parecia que tinha comido às colheres uns dois frascos de Chili … Sem querer arriscar, fui para casa, falei com os meus pais e fomos para o hospital.


No hospital, tiveram a amabilidade de injectar-me uma dose de cavalo para as dores, daquelas que um gajo nem se consegue sentar pois parece que levamos um pontapé de todo o tamanho – o que é que as mentes mais perversas já estão a pensar?!?! – Supostamente para me aliviar. E eis que surge o diagnóstico altamente técnico e que requer conhecimento na matéria para conseguir decifrar tamanha demonstração de conhecimento. “Vai mas é para casa que estás com os copos e a morrer de sono!” – confesso que fiquei maravilhado com estas palavras. O único senão era que a médica que me disse isto estava aos soluços, com a fala bastante lenta, tinha os olhos fechados (acho que nunca os abriu enquanto falou comigo) e o cotovelo em cima da mesa a apoiar-lhe a cabeça. Na altura comentei com a minha mãe: “Posso ter bebido uns copos, mas quase que consigo jurar que ela bebeu mais do que eu … “.


No dia seguinte as dores ainda cá estavam. Fui ao centro de saúde e a minha medica de família depois de examinar-me disse que parecia ser apendicite – GANDA BEBEDEIRA HÃN?? : P – e que era melhor eu voltar para o hospital. E lá fomos nós, desta vez para outro hospital …


Neste hospital, já com um documento do centro de Saúde a dizer que era uma urgência e com o diagnóstico, ainda tive de esperar umas horas para ir à triagem para ser diagnosticado – Ah ok, no centro de saúde disseram-me para ir ao hospital para fazer uma visita e deram-me o papel de Urgência Medica para meter no currículo se calhar…- para se saber para que gabinete eu devia ir.


Depois da triagem, fui encaminhado para a Cirurgia Geral nas Urgências. Lá encontravam-se 3 médicos, em que cada um dá a sua opinião sobre a situação. O pior de tudo é que alem dos 3 médicos, ainda estavam lá dois jovens estagiários. Atenção! Não tenho nada contra os estagiários. Acho muito bem que vão pondo em pratica aquilo que aprendem nos cursos! A situação é que o teste de diagnostico de apendicite consiste em pressionar no abdómen um pouco a cima da virilha e depois se ao tirar o paciente sentir dores fortes a dar com um pau, é sinal de que qualquer coisa há ali! Pois bem, com 3 médicos lá, um deles orientador de estágio dois 2 jovens, fui examinado por 3 médicos e depois ainda servi de cobaia para que o teste de diagnóstico fosse feito umas 7 ou 8 vezes para que os jovens vissem bem a reacção e cara de esforço que um paciente faz quando parece padecer de apendicite… Apesar de tudo senti-me orgulhoso por ter contribuído para a formação de 2 futuros médicos… Saí do gabinete com as seguintes palavras “Vai lá despir-te que a gente opera-te daqui a bocado.”. E lá fui eu dar mais uma voltinha de novo…


Depois de vestir a bata e guardar os meus pertences e já deitado na maca, aparece um enfermeiro para me meter o cateter para a anestesia. Era um jovem novo (talvez mais um estagiário) e então optei por reinar um bocado com ele. “Aviso-te desde já que se isso doer eu depois passo por aqui e dou-te um enxerto de porrada” – Palavras meigas não acham? Eheh … Acho que ele ficou assustado. É que uma semana depois quando lá voltei, ele ainda se lembrava da minha cara e comentou comigo “Tu por aqui? Não vais dizer que tiveste dores pois não?!?!”. Não, não tinha doído – Depois de fazer o cateter, esse mesmo jovem levou-me para a sala de operações onde uma das últimas coisas que me lembro de ter ouvido foi do estilo “Ainda tenho tempo para fumar um cigarrito?” que teve como resposta “Não!! Daqui a uma hora começa a novela e por isso temos de despachar isto”. Adormeci com a anestesia transtornado pois por minha causa 2 pessoas tiveram de alterar os seus planos …



"Continua amanhã"

Fonz


Impressão Digital Cereza às 20:45
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
51 comentários:
De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 23:20
bela história! fartei-me de rir e estou ansiosa por ver o resto!! espero que nao tenhas acordado a meio da anestesia com o apendice na mao!! morgaine
</a>
(mailto:lab_marta@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 23:23
Não posso dizer :P Estragava logo a surpresa ehehFonz
</a>
(mailto:malcato@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 01:49
Ó Fonz vou esperar pelo fim da historia. Espero que nao te tenham feito uma intervençao como há alguns anos atrás fizeram a um "ilustre" da nossa ( nossa o caracinhas) praça, que ao o operarem ao cerebro trocaram com os intestinos, confusão tal que passou a ter ideias de m**** e a cagar palpites !!

Grande odisseia a tua, já tou a ver :-) **constancinha
</a>
(mailto:ola_cusca@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 08:38
Como poderia importar-me? é uma honra, para mim, e curiosamente, acho que o que dizes do meu blogue se pode aplicar ao teu :)

volto cá, beijo*Andreia C. Faria
(http://www.icicom.up.pt/blog/muitaletra/)
(mailto:fumbler_me@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 10:27
Agradecemos teres omitido a cara de satisfação aquando do clister lolol (kidding). Dos 5 médicos, não tua, claro lol. Bem, chega de gozação. Agora a sério, Fonz, tens muito jeito para contar histórias cativando as pessoas, é um talento :). Quanto aos Hospitais, bem, calo-me, a história fala por si.WG
</a>
(mailto:a@a.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 10:37
Bolas!Lembrei-me da única operação que fiz até à data, justamente ao apêndice e as recordações não são nada divertidas...tinha 10 anos e o diagnóstico foi peritonite, se não era operada de urgência não estava aqui hoje a moer o juízo ao pessoal lololol Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 10:53
:)um relato da vida, cheio de vida. Ao ler conseguimos imaginar a cena na perfeição. parabéns acho que tens o dom da escrita...:) Em relação aos nossos hospitais..pois palavras para quê? :/momentum
</a>
(mailto:m0mentum@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 12:35
O sentido de humor deste texto, e a sua qualidade não é novidade para mim. Conheço o Fonz há tantossssss anos, e sempre me fartei de rir com ele, por vezes rir até ás lágrimas.Quando ele esteve no hospital nessa altura, liguei varias vezes para ele, e mm assim ele não conseguia estar mal disposto. é um GRANDE AMIGO, mas mm muito grande mm. Eu adoro este fedelho, como lhe costumo chamar.
Fonz tá demais o texto. adorei! Continua a ser sempre a maravilhosa pessoa que és! * Scully_BB (CEREZA)
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 13:46
Fonz a escrever ao Fonz?! hummm... Acho que já não preciso de ler a segunda parte... esta história não acabou bem... ou será que com a anestesia foi parar a um universo paralelo e deixou uma porta de comunicação?!... hummm... Afinal, não... vou voltar para conhecer a revelação! lol (e ainda dizem que não compreendem quem é viciado nas novelas...) lolflyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 19 de Abril de 2005 às 13:50
Epá! Ó Scully_BB(CEREZA) assim o meu anterior comment está descabido, desfundamentado, e eu destroçado.... buáááááá....flyman
</a>
(mailto:flyman_pegasus@msn.com)


Ah... Comenta-me