Domingo, 17 de Abril de 2005

Bem ali ao Lado...

Quando pedi à Mathiot para escrever um texto para o Urban Jungle, ela não se mostrou muito receptiva, porque achava que o blog tinha textos muito bons, e não se sentia á vontade. Mas insisti, porque já vi poemas dela lindos. E não me enganei, a Math teve uma ideia muito original... Eu que faço a IC19 todos os dias, revi-me nesta divagação da Mathinha!



subvid02 copy.jpg



IC19 em hora de ponta. Sempre que posso, evito, mas nesse dia não foi possível e, sempre que me acontece, não resisto a observar os ocupantes das viaturas que vão passando…um casal de meia-idade discute, e eu tento adivinhar: talvez ela o esteja a acusar de infidelidade e ele desculpa-se alegando que o jantar com a secretária era meramente de trabalho. Talvez ele a acuse de lhe dar demasiado uso ao cartão de crédito, ou talvez seja apenas uma crise de meia-idade e eu concluo que as pessoas deviam casar com outras de faixa etária diferente; ao menos não teriam as crises de meia-idade ao mesmo tempo. O carro avança e um camionista olha; ‘não, não estou de saias, estás com azar’, penso enquanto lhe deito um olhar fulminante.



Olho pelo espelho retrovisor e no carro de trás, um senhor bem posto enfia o dedo pelo nariz dentro e retira “algo” das entranhas…Aumento o volume do rádio para me distrair. Olho de novo para o lado e é agradável à vista, bonito atraente e bem penteado. Sorri e retribuo com um sorriso irónico; sempre estereotipei os homens demasiado bonitos e atraentes - são apenas isso, bonitos e atraentes. Agora até usam uns dispositivos para falar ao telemóvel que mais parece que vão a pilotar um avião (ou telefonistas, como diz um amigo meu que também usa), ou pelo ,menos fá-los sentirem-se poderosos dominadores das máquinas que conduzem.



O senhor bem posto entrou na bomba de abastecimento. Enquanto sai em direcção ao depósito, o macaco que retirou do nariz e que tinha ficado agarrado ao volante apodera-se dos comandos e foge-lhe com o carro, rumo à liberdade, perante o olhar estupefacto do senhor, que já não parece assim tão bem posto. De volta à realidade penso: …e a Cereza pediu-me um texto para o blog dela e eu para aqui a divagar…bolas, não me ocorre tema nenhum!!



Olho de novo para o lado. Um casalinho novo, ele fala com entusiasmo ao telemóvel, ela folheia com displicência uma revista, provavelmente de vestidos de noiva.
Tantos rostos diferentes, gente que comunga das mesmas crenças, talvez, mas interesses diferentes. O que será que nos move realmente? De uma vista aérea somos pequeninos, insignificantes, formigas atarefadas, algumas cigarras aqui e acoli.
Ando a ler um livro que me emprestaram sobre reencarnação. Por mais que o autor me tente convencer que todas as almas são objecto de vidas passadas e futuras, com o intuito de aprender, melhorar, atingir o clímax do altruísmo e da prática do bem, eu estou convencida que só poderão reencarnar as almas plenas, as sublimes, porque há por aí algumas que são mais vazias que ovos da Páscoa. Ainda pergunto ao autor: mas se não nos lembramos dos erros cometidos nas vidas anteriores, como iremos aprender com eles na presente vida?? Não obtenho resposta e eu nunca lidei bem com dúvidas sem respostas.


Chego finalmente a Lisboa e, aqui, as formigas também se deslocam a pé, novas, elas sempre na moda e andar bamboleante, eles, agora, disfarçam as barriguinhas proeminentes com camisas de marca por fora dos jeans e usam pente 1 para disfarçar a calvice precoce. Velhas, elas cabisbaixas carregando nos ombros o peso da velhice mal paga pelas reformas da segurança social, eles nas esquinas em pequenos grupos lêm jornais e conversam sobre a actualidade.



Estaciono, e entro no edifício. Já no piso 2 cruzo-me com o meu médico que me dá os bons dias e pergunta: ‘Então, preparada para tirar os pontos?’ Tenho vontade de lhe responder: ‘Então, preparado para levar um pontapé nos queixos se me fizer doer??’ Mas só me sai um ‘Desde que não me dê uma má notícia…’



av_dwsfl01.gif


Richard Ashcroft - Check the meaning
Too much blood, too much hate, turn off the set
There's got to be something more
When Mohammed, Allah, Buddah, Jesus Christ
Are knocking down my door
I'm agnostic getting God, but man
She takes a female form
There's no time, no space, no law
We're out here on our own
..........
.And when the city sleeps we go walking
We find a hole in the sky and then we start talking
And then we say "Jesus Christ, Jesus Christ, Jesus Christ
Buy us some time, buy us some time"



Impressão Digital Cereza às 20:57
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
35 comentários:
De Selvagem Anónimo a 17 de Abril de 2005 às 22:45
Agora que o macaco fugiu com o carro, vou aproveitar e compro um camiao. Por isso, todas a colaborarem, a primavera está em força e toca a tirar as saias dos armários lol. Olha, math se um dia me cruzar ctg no IC19, encosto logo, livra, que má-língua! lolWG
</a>
(mailto:a@a.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 00:28
Eu não tenho problemas nas filas de trânsito porque a minha atenção não se dispersa de todo por casais de meia idade enfrentando qualquer tipo de crise, muito menos por homens mexendo com os dedos nas fossas nasais, nem por outra coisa qualquer! Apenas detenho e passeio o meu olhar, enquanto curto a minha musica, amplificada pela mais fantástica imaginação dos dias que me escorrem por entre a alma, pelas morenas belíssimas que se cruzam comigo, no caos do aleatório e do acaso, para gáudio e contentamento dos nossos universos pessoais. É uma zona de sedução pura. Perigosa e apelativa. E o que podemos aprender dessas mulheres. Pela forma como agarram o volante, pela forma como se concentram e desconcentram da condução, durante o pára e arranca de um trânsito demasiado compacto, demasiado revelador. Tenho pena de não guiar camiões, sim, confesso... a minha vida seria, se fosse assim, povoada pelas imagens das mais belas pernas que mulheres, morenas e belíssimas, orêiades do volante, ostentam nessa sua saga motorizada! Um beijo do V/ anjo, Maslow Maslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 01:05
O texto está giro, realmente são cenas do quotidiano de quase todos nós !!E deixo um aviso ás meninas, nunca se metam pela A1 num descapotável com uma mini-saia vestida ,é que só conseguem deixar de ouvir buzinadelas quando estacionarem. Os camionistas são piores que os trolhas!!!Estes homens....enfim!!!!!marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 10:00
Bonito texto, diferente, gostei...Criador_sem_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 10:15
É o texto que aqui li, que mais se identifica com o blog em si.Até rima.Urban Chronicles.Urban Jungle...Louis_Phere
</a>
(mailto:jmcfilipe@oninet.pt)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 10:30
louis é o teu estilo de texto, sim!
bem, eu disse logo á mathiott que o adorei, alias eu gosto imenso deste tipo de estórias. Ainda por cima, consigo imaginar bem a cena, pq faço a maldita ic19 todos os dias... mas no meu caso nem consigo fazer este exercicio que a mah faz... ou de manhã estou com tamanho sono que vou em piloto automatico para o trabalho... tipo zombie. á tarde venho de tal maneira stressada que só penso em chegar a casa... não vejo nada! acho que até podia passar o Brad pitt ali mm ao lado que não dava por ele. Muitas vezes vou absorvida nos meus pensamentos, a curtir a musica que toca na radio. math não me canso de dizer que tá demais este post! adorei amiga do coração! és uma mulher fantástica! outra coisa mathinha vais ficar fina num instante!beijo do tamanho do mundo!cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 12:23
Nada como "horas de ponta" para exercitar a kuskisse e imaginação das mulheres :x
(kidding)
jokas
ps: quando disse "horas de ponta" era mesmo isso que queria dizer, não era uma referencia subliminar a sexo...Shikote
(http://shikote.blogspot.com/)
(mailto:arturcb@gmail.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 13:41
Gostei do texto...
Xiiiii a Ic19, nem me falem que stressssssssssssssssluadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 13:46
Eu não conduzo...mas gostei do texto :))Tex
</a>
(mailto:texazinha@iol.pt)


De Selvagem Anónimo a 18 de Abril de 2005 às 13:50
Parabéns math :) Este texto é a tua cara mesmo! Gostei imenso, até porque te conheço o bastante para conseguir ler nas entrelinhas e sorrir. És do caraças mulher, lol. É um retrato a cores do IC 19 e da vida em geral, escrito subtilmente. Já agora aproveito para dizer que achei o Blog muito interessante, com texto lindissimos..outros nem tanto, mas é isso mesmo que faz a diferença, foi a math que me indicou o Blog, claro:) Beijos grandes amiga:) momentum
</a>
(mailto:m0mentum@hotmail.com)


Ah... Comenta-me