Quarta-feira, 6 de Abril de 2005

Missing

Antes de mais quero pedir desculpa á pessoa que me mandou esta história de vida há algum tempo... De facto ficou esquecido numa caixa de email que raramente uso. Hoje por mero acaso fui ver o que tinha lá, e descobri isto! A pessoa em questão pediu-me nessa altura anonimato, e irei respeitar esse pedido... Linda, será o nick fictício!
Linda peço-te mil desculpas, espero que me entendas e não leves a mal. Não te tenho visto no blog, por isso sinto-me um pouco preocupada, diz-me qualquer coisa por favor!Um beijo...e desejo-te toda a força do mundo!
Para ti Linda:



Rain006 copy.jpg



"Sempre pensei que a minha história de amor fosse ter um final feliz, eu amava-o e era correspondida, mas a vida novamente pregou uma partida permitindo que duas almas que se amavam se separassem.

O vazio deixado com a partida foi enorme, tentei fugir dos locais onde o pudesse encontrar pois a dor era e é enorme, tentei refugiar-me no álcool pensando que assim esquecia todos os problemas, a dor que estava a sentir com a partida duma pessoa que era muito especial para mim... como fui ingénua, além de não esquecer estava a arranjar um problema sério... já não conseguia sair sem beber um copo, que atrás desse vinha sempre mais uns quantos.

Foi até um dia em que acordei sem me lembrar onde estava e sem me lembrar de metade da noite passada, aí percebi o que estava realmente a acontecer, estava a tornar-me numa alcoólica e tudo porque um dia a vida lembrou-se de me pregar uma rasteira levando da minha vida a única pessoa que amei e que me amou de verdade.

Hoje evito beber e quando saio e vou beber um copo já consigo moderar a quantidade já não bebo para esquecer como antigamente bebia mas a dor da separação continua cá...
Estas últimas semanas a vontade de retornar a esse vício tem sido grande, quem eu amava voltou a aparecer na minha vida e o sentimento que existia antes e que julgava eu ter desaparecido acordou do seu sono profundo para surgir com mais força que antes.

Existem dias em que penso que ele sente o mesmo que eu devido aos avanços, mas noutros, penso o contrário, que tudo não passa duma mera ilusão que os meus olhos querem ver.

Tento ser forte para evitar que os acontecimentos recentes me façam voltar para um vício que ia dando cabo de mim, da minha vida e da minha saúde mas não tem sido fácil. Tem sido uma batalha enorme que tenho travado comigo mesma."



Linda



av_rain05.gif




Evanescence - Missing

"...Even though I’d be sacrificed,
You won’t try for me, not now.
Though I’d die to know you love me,
I’m all alone.
Isn’t someone missing me?

And if I bleed, I’ll bleed,
Knowing you don’t care.
And if I sleep just to dream of you
And wake without you there,
Isn’t something missing?
Isn’t something...




Impressão Digital Cereza às 01:02
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
29 comentários:
De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 01:30
Bem, é um testemunho forte e a meu ver são dois problemas com q ela luta, um derivado a outro q todos nos passamos por vezes... Todos nos sofremos com uma separação, a diferença esta depois em como superamos isso. Eu tb ja sofri com separações e uma delas, inclusive chegou a levar-me a tentaiva de suicidio, a "linda" foi para o alcool, tb como ela ja em tempos bebia para eskecer e via q ñ levava a nada, so fazia pior... Linda so te posso dizer, sê forte e levanta a cabeça e segue em frente... Criador_Sonhos
(http://criadorsonhos.blogspot.com)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 02:11
Embora seja fácil dizer "isso comigo nunca iria acontecer" ou "eu nunca iria fazer isso", se porventura estamos na mesma situação ou semelhante, quem sabe se não cometeríamos o mesmo erro. A bebida nao é solução. Como o Criador_Sonhos bem disse é mais uma causa, são 2 problemas.
Com tudo o que já me aconteceu nesta vida, felizmente não arranjei "soluções menos boas" para tentar esquecer ou obfuscar os problemas. Dou graças aos amigos que tenho, posso-me sempre refugiar neles.A7V
</a>
(mailto:a7v@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 02:14
.... e Cereza... essa música dava um post só por si ;)A7V
</a>
(mailto:a7v@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 02:43
Oi Cereza dsc andar 1 pc desaparecida mas já te respondi ao mail a explicar o sumiço forçado :)
Criador_Sonhos obg pela força :) tb vi k o alcool n me tava a ajudar ainda me estava a mandar + abaixo e n era isso k precisava na altura, hj posso dizer k ultrapassei esse prb sem ter k recorrer a grandes ajudas bastou o facto de ter percebido o mal k me estava a fazer.
Cereza obg :) e o teu blog tá cd x melhor...Beijos"Linda"
(http://palavrassoltas.blogs.sapo.pt)
(mailto:catarina.freire@netvisao.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 09:23
Linda, ouso afirmar, baseada naquilo que tem sido a minha experiência de vida e em tudo (muito) que tenho testemunhado, que não existe homem nenhum ao cimo da terra que mereça que uma mulher se perca dessa maneira tão absurda e tão devestida de glória em nome de um suposto pedaço de amor. Amar perdidamente sim, mas sem nunca nos perdermos. Sabendo que um momento de glória não representa a eternidade, eu digo que o verdadeiro amor eleva-nos, fazendo de nós melhores pessoas do que aquelas que éramos antes. Se é o inverso que acontece, não é amor o que sentimos e, não sendo amor, cagando e andando! É dar tempo ao tempo e trabalhar no sentido de ultrapassar - da maneira mais eficaz possível - a inevitável dor. There's too many fishes in the ocean, my dear, e todos morrendo por morrerem nas nossas mãos. Starry-Night
</a>
(mailto:martiniquex@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 09:50
São duas batalhas que tens que travar Linda. Na minha opinião penso que sozinha. Dizia um general chinês, Sun Tzu que escreveu um livro chamado "A Arte da Guerra" que se nos conhecermos e ao nosso inimigo ganhamos as batalhas todas, se só nos conhececer-mos a nós próprios temos 50% de hipóteses de sucesso e se nem a nós nos conhecer-mos não ganhamos batalha nenhuma. Não sei se te ajuda,mas para mim faz sentido.Louis_Phere
</a>
(mailto:jmcfilipe@oninet.pt)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 10:58
Nunca passei por uma situação dessas, mas se um dia, eventualmente, me acontecer sei de consciência que me iria custar muito. O amor tem destas coisas. Não vou dizer desta água não beberei, porque não sei qual seria a minha reacção, perante uma situação dessas e espero nunca o saber, mas sei que precisaria ser forte, por isso te peço o mesmo! Força!! muita força!!!^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 11:38
"Linda", amar e perder o amor próprio não é amor. Só estás verdadeiramente disposta a amar quando estás, também, disposta a preservar-te. Espero que, realmente, resolvas os teus problemas e que não feches as portas só porque um dia as coisas não correram bem. ********formasdolhar
</a>
(mailto:formasdolhar@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 11:38
Dear, dear, dear... tss! Criando em cada despedida portas ou janelas para todas as justificações é, sem prejuízo da nossa atitude mais humanista e solidária, uma rematada estupidez. Deixem-me esclarecer: é muito mais oportuno justificar um caso de amor, ou mesmo desamor, com a necessidade de deixar a bebida do que o contrário. Façam como eu, se amarem, não bebam! Ou será que não adivinharam já que devo a toda a bebida a profusão de morenas belíssimas que rodeiam esta aventura perpétua em que transformei a minha vida? Se há uma porta ou janela que se abre em cada separação, seja mais, ou menos, dolorosa, é sempre para a génese de uma próxima separação. Só por curiosidade, Linda, és morena? és belíssima? Não bebas, ama... Um beijo, deste anjo, MaslowMaslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 6 de Abril de 2005 às 11:46
Linda, "O Amor é F....." , mas mais F..... é ir pelo caminho mais facil.
Pensa no que a vida tem de bom e aprende a sorrir
Força gugas9
</a>
(mailto:xxx@hotmail.com)


Ah... Comenta-me