Quarta-feira, 16 de Março de 2005

Rosas...

Para MMF



MonicaBellucci_48 copy.jpg



Se eu soubesse dizer as rosas vermelhas
Com que desfraldo as breves bandeiras
Que assinalam esse tempo só de brisas
E relembro, meu amor, os dias do Verão,
Não era ainda a dor que agora nos aparta,
Na nossa consciência das impossibilidades
De tomarmos este cálice com ambas as mãos
Esgotando o sentimento feroz que nos nutre



E foi naquela tarde visitada pela perfeição
Quando as nossas mãos e os nossos olhos
Se reconheceram na timidez de um abraço
Que entendi o céu e que me contaste a verdade
Sublime da permanência feliz de uma ventura
Que agora nos enche de sombras de distância
Ou corrói por dentro o coração do coração.



Sonho o teu corpo derramado sobre a cama
Desnudos os teus olhos verdes onde a ânsia
De me acolher é como um espelho sideral
Que reflecte o triste desejo de quebrar o mar
Quando me debruço sobre ti, lágrima pendente,
E quando nos tocamos enfim na recusa insana
De pretéritas escolhas que agora já não brilham.



Sorgen



brown-rose-2-grain copy.jpg



Danny Wilson - Mary´s Pray

So if I say: Save me
save me
be the light in my eyes

And if I sayten Hail Marys
leave a lighton in heaven.
Save me
save me
be the light in my eyes



Impressão Digital Cereza às 22:51
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
24 comentários:
De Selvagem Anónimo a 16 de Março de 2005 às 23:11
Há sempre uma palavra por desvendar nesses teus lábios entreabertos acenando. Há sempre por recolher uma carícia nessas tuas mãos em movimento perene... Morgaine
</a>
(mailto:lab_marta@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 09:48
Sorgen
Já tinha saudades de te ler...
Não pares por favor
Um jinholuadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 11:10
Sublime! Parabéns, Sorgen... não concordo com o triste neste verso "Que reflecte o triste desejo de quebrar o mar" ... um abraço, Maslow (PS Não queiram conhecer este Sorgen, morenas belíssimas)Maslow
</a>
(mailto:manuel_azevedo@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 11:12
Sorjan quem me dera saber escrever poesia assim!!! Está lindo! Emuito obrigada por o partilhares conosco! Podes sempre mandar mais :)***********cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 11:30
É injusto retirar o brilho ao poema com fotos daquelas de cortar a respiração. Que morena belíssima :))) WG
</a>
(mailto:a@a.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 11:35
Sem dúvida que o autor vive no amor uma situação de desalento, um amor terminado
Ou cuja esperança de retornar uma relação alegre esta muito débil esbatida que está lá
a lágrima pendente. Está no entanto consciente de que o retorno é impossível esperando
tão somente que o não final seja dito de forma peremptória, pois sabe-se que a lágrima
pendente irá soltar-se a qualquer momento.

A nobreza do amor, da felicidade vivida está patente no vermelho e nos dias de verão que
por excelência são dias em que o sol brilha e a claridade é imensa o amor é pleno.
Essa relação perfeita em que a conjugação dos gestos era única foi invadida por um amor
momentâneo que se introduziu nos corações do amor e os atravessou de forma devorada
fazendo-os sangrar esvaindo-se até deixarem de bater terminado na separação do amor
que foi feliz, que brilhou, que enrolou os lençóis envoltos no prazer do amor e que agora
termina sem esperança de um retorno, adeus…


JM
</a>
(mailto:melvira_62@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 12:50
Adorei o poema, mas tem de ser de olhos verdes?
Outra cor não serve?
Parabéns.
Não pares de fazer poemas.
Anasimplesmente
</a>
(mailto:ana_pcf@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 12:57
Cereza, tu queres distrair os rapazes...queres, queres...
O que tem a morena haver com rosas?
Ai aiAnasimplesmente
</a>
(mailto:ana_pcf@netcabo.pt)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 13:17
Bonito serviço... Agora são rosas, Senhor, são rosas... e eu gajo ném de pau... né nãoGaloVadio
</a>
(mailto:galovadio@hotmai.com)


De Selvagem Anónimo a 17 de Março de 2005 às 14:13
Temos que fazer uma abaixo assinado para este nino não parar de escrever...
Voces ainda não viram nada eheheheheh
eu bem te avisei que te denunciava que és um gandre poeta
e esta hein :)luadourada--
</a>
(mailto:ermelinda_1955@hotmail.com)


Ah... Comenta-me