Sábado, 29 de Janeiro de 2005

O 'Anjo da Morte' e a família judia com sete anões

Na sequência do ultimo post, deixo aqui um artigo que achei interessantíssimo que encontrei no Jornal de Noticias, escrito pelo jornalista Leonídio paulo Ferreira.
Sempre achei fascinantes estas personagens bizarras como Josef Mengel. São psicopatas sem dúvida, mas daí o fascinio! O nome Anjo da Morte assenta-lhe que nem uma luva, apesar de anjo não ter nada!



mengel43 copy.jpguntitled1111 copy.jpg

(Mengel - Unidos. Os sete anões Ovitz em 1949 num campo de imigrantes em Israel)



Antes de morrer, a mãe dos sete anões Ovitz deu-lhes um sério conselho «Aconteça o que acontecer, mantenham-se juntos.» E foi o que fez essa família de judeus da Transilvânia, viajando por meia Europa, que pagava para ver, divertida, a maior família de anões do mundo. Quando chegaram a Auschwitz em Maio de 1944 os irmãos continuavam juntos - os sete anões e dois outros de estatura normal.



Alvo da risota dos soldados nazis, isso não impediu que os Ovitz fossem de imediato forçados a despir-se e enviados para um pavilhão que julgaram destinar-se a banhos. Quando o gás começou a ser sentido, começaram todos a gritar, contou por várias vezes Perla, a mais jovem da família e que morreu em Setembro de 2001 em Israel. De repente ouviram uma voz irritada perguntar «Onde está a minha família de anões?» Era Josef Mengel, o médico nazi que se celebrizou pelas suas terríveis experiências científicas com prisioneiros dos campos de concentração. A partir desse momento, os Ovitz ficaram sob protecção pessoal daquele a que os sobreviventes de Auschwitz chamaram "Anjo da Morte". E estavam todos vivos, e juntos, quando as tropas soviéticas libertaram o campo em finais de Janeiro de 1945.



mengess copy.jpg



A incrível história da família Ovitz foi contada em livro em 1994 pelos jornalistas israelitas Yehuda Koren e Eilat Negev, graças ao testemunho de Perla, a última sobrevivente. Editado este mês em francês, sob o título de Nous étions des géants. L'incroyable survie d'une famille juive de lilliputiens (Payot), o livro teve honras de destaque na última edição da revista Le Nouvel Observateur, com os jornalistas Alain Chouffan e Catherine David a repetirem a eterna pergunta Porque salvou Mengel a família Ovitz?



As teses são várias e sempre relacionadas com a bizarra personalidade de Josef Mengel, que gostava de crianças e um dia terá confessado adorar a história de A Branca de Neve e os Sete Anões. Doutorado em Antropologia, com uma tese sobre as diferenças raciais, o médico nazi notabilizou-se em Auschwitz com experiências com gémeos. Depois de escapar por várias vezes aos Aliados, aquando da derrota alemã na Segunda Guerra Mundial, fugiu para a América Latina, tendo aberto uma loja de brinquedos na Argentina. Viveu nesse país longos anos, depois no Paraguai e no Brasil, escapando à perseguição da Mossad israelita. Morreu afogado em 1979 quando uma crise cardíaca o surpreendeu enquanto nadava. Só 13 anos depois as suspeitas sobre a sua identidade foram finalmente confirmadas, graças aos testes ao ADN.



mengele copy.jpg



No seu laboratório em Ausch- witz, Josef Mengel examinou ao pormenor, durante meses, os sete anões judeus. Interessava-lhe especialmente a sua sexualidade. Ao mesmo tempo garantia que as suas condições de vida no campo eram suportáveis. Quando o Exército Vermelho se aproximou, o médico fugiu levando a documentação sobre os Ovitz. Estes, após uma breve passagem pela União Soviética, emigraram todos para Israel.



Impressão Digital Cereza às 02:03
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
10 comentários:
De sheila araujo a 19 de Maio de 2009 às 19:36
parabéns pelo blog
o assunto e realmente muito interessante
nós faz refletir sobre a nossa origem e ate onde podemos ir ...
2° guerra
adolf hitler um cara aparentemente
normal... q com suas ideias e conficções conseguiu
fazer com que toda uma nação
concorda-se e ate contribui-se
para o tão cruel e horrendo HOLOCAUSTO


De jose carlos maia a 20 de Setembro de 2007 às 21:18
Estou lendo esse livro sobre a vida dos ovts e cada pagina e um terror mas vejo que o mundo ainda continua pior do antes porem temos que ter a audacia de sermos forte como essa familia que sempre foram unidos e jamais desistiram....


De Selvagem Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 03:16
N foi o único "anjo da morte" k existiu a percorrer ou a enviar pessoas ou a assinar papéis cognitados de "acções de limpeza" na máquina nazi. Que dizer de Adolf Eichmman ou Himmler, dois homens frios e calmos? Que dizer do homem propangadista da máquina, o Goebels, ou o gordo chefe da Luftwaff, Goering? Cientes ou não do que levou os germânicos a condicionarem tais pessoas em "campos de repouso" e a alastrar uma guerra por toda a Europa, desvastando paises inteiros com a sua Blitzkrieg por essa causa... ESTES CAMPOS DE TORTURA E DE MORTE LEMBRAM AO HOMEM O ÓDIO QUE PODE ARMAZENAR SOBRE SI PARA SI PRÓPRIO! NÓS SOMOS SÁDO-MASOQUISTAS E A REALIDADE É ESSA! Gostamos de torturar, punir, vandalizar, manipular, extraviar, matar, roubar, desmembrar e de rir à custa disto... tudo isto a nós próprios e mais até! Qual é a surpresa? Nenhuma porque grande parte da história da humanidade está escrita com o seu próprio sangue. ISSO!!! SOMOS SANGUINÁRIOS ESTÚPIDOS!!! E Auschwitz nem é metade do que nós, enquanto HOMEM, podemos fazer a nós próprios! Se fosse alien evitava a todo custo ser visto por este animal que nós somos!Suicidal_kota
</a>
(mailto:cromokamikaze@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 03:29
AH!!!! Já me esquecia... não sendo nós vingativos e como não bastasse uma guerra que jorrou sangue para criar um rio maior que o rio Tejo, criámos justiça levando soldados apanhados na guerra a um campo de tiro para a frente de um pelotão de fuzilamento, criámos uma tal de "Operação Condor" para apanhar fugitivos de guerra para serem julgados numa cadeira eléctrica e lançámos uma cortina de ferro que ia durar quase trinta anos, levando-nos para mais angústiante tortura de durante duas décadas... a espera de uma Guerra Mundial nº3(ou Guerra Nuclear) iminente sobre as nossas obtusas cabeças!Suicidal_kota
</a>
(mailto:cromokamikaze@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 10:04
É assustador olhar e pensar nos horrores que este povo sofreu durante o Holocausto, mas é igualmente assustador saber que por esse mundo fora existem sementinhas desta ideologia hedionda que algum dia poderão encontrar alguma mente igualmente brilhante que seja capaz de liderar uma tamanha monstruosidade. Por isso, revoltarmo-nos com estas imagens e memórias não basta. É importante que as gerações mais novas também se revoltem, mas sobretudo compreendam a singularidade deste acontecimento. É verdade que antes e depois do Holocausto muitos actos bárbaros contra seres humanos foram e continuam a ser cometidos por outros homens. Mas nunca tais barbáries foram cometidas em nome de uma ideologia que considerava aquele povo, não uma raça inferior, como vários outras raças e grupos humanos eram considerados, mas o “mal” da humanidade. Por isso, não lhes bastou o extermínio dos judeus na Alemanha, perseguiram-nos e mataram-nos à medida que ocupavam novas nações. A guerra nazi contra os judeus era uma guerra universal. Não podemos ficar indiferentes apenas pela revolta contra estas imagens e estas memórias de horrores. Não podemos ficar indiferentes porque as sementes desta ideologia encontram-se por aí espalhadas, enquistadas na nossa sociedade, esperando que o mundo se esqueça para que de novo possam ressurgir e germinar à custa do sangue humano. alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 10:32
Não deixa de ser interessante este artigo e curioso ao mesmo tempo, saber q um "louko" medico, axo q sim, lhe poderemos chamar louko, e a situaçao de serem anões os ter salvo de um destino kuase certo como a morte, apenas a adiou, pois nos ja sabemos q um dia partiremos... mas o facto de serem anos, safou-os de uma morte sofrida e injusta... Mas li e reli o post e fikei com a mesma perginta, pq os tera salvo ??? Sera q dentro dakela cabeça dura e nakele coraçao frio, haveria um pouko de amor escondido q se tera libertado ao ve-los ? e lembrado qd era criança e se lembrou da historia da branca de neve ? tera sido pq ele kis ser a branca de neve e fazer deles os seus proprios anoes ? mas como disse a Alic, ainda hoje, existem muitos, pekenos e kuase incognitos, holocuastos... Não podemos ficar indiferentes... Criador_Sonhos
(http://apenasmaisumblog.blogs.sapo.pt)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 11:14
não criador, josef megele era mm do mais cruel, psicopata, sádico, que poderá alguma vez existir... na minha opinão achava-o "freeks" e eram mais um objecto de estudo, deste animal!cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 29 de Janeiro de 2005 às 12:35
Mas cereza, mesmo assim, ñ sei se sorte ou azar, mas eles sobreviveram... Sera q sorte por terem sobrevivido ? ou azar pq ñ morreram sen sofrer mais ? é um tema muito delicado e pouko ou nada sei, a ñ ser akilo q leio, um pouko aki e um pouko ali, mas é sempre marcante ler estes artigos
Criador_Sonhos
(http://apenasmaisumblog.blogs.sapo.pt)
(mailto:miguel24lx@sapo.pt)


De Selvagem Anónimo a 30 de Janeiro de 2005 às 02:12
adorei o blog e também me cativou pelos artigos relativos ao holocausto. Realmente foi uma época vergonhosa e ainda hoje doi em ver e ouvir àcerca de. Passarei mais vezes pelo seu blog, os meus parabén. Gostei muito. Bjos*Duarte Borges
(http://1001palavrasescritas.blogs.sapo.pt)
(mailto:duarte_borges@msn.com)


De Selvagem Anónimo a 3 de Janeiro de 2006 às 16:41
assista esses filmes:o pacto de varsovia,a lista de Schindler,e a outra historia americana seu blog e muito interessante e reflexivorogers
</a>
(mailto:roestmes@hotmail.com)


Ah... Comenta-me