Sábado, 15 de Janeiro de 2005

Foda-se (ai desculpem)

quote10022003.jpg misc4.gif

Recebi este mail do [KitKat], está demais...mas aviso desde já, que o post é da inteira responsabilidade do "chocolate"



O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de "foda-se!" que ela diz.

Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"?

O "foda-se!" aumenta a minha auto-estima, torna-me uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Liberta-me.

"Não quer sair comigo?! Então, foda-se!"
"Vai querer mesmo decidir essa merda sozinho(a)?! Então, foda-se!"

O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição. Os palavrões não nasceram por acaso.

São recursos extremamente válidos e criativos para dotar o nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade os nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo a fazer a sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português Vulgar que vingará plenamente um dia.

"Comó caralho", por exemplo. Que expressão traduz melhor a ideia de muita quantidade que "comó caralho"?

"Comó caralho" tende para o infinito, é quase uma expressão matemática.
A Via Láctea tem estrelas comó caralho, o Sol é quente comó caralho, o universo é antigo comó caralho, eu gosto de cerveja comó caralho, entendes?
No género do "comó caralho", mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso "nem que te fodas!".

Nem o "Não, não e não!" e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade "Não, nem pensar!" o substituem.
O "nem que te fodas!" é irretorquível e liquida o assunto. Liberta-te, com a consciência tranquila, para outras actividades de maior interesse na tua vida.

Aquele filho pintelho de 17 anos atormenta-te pedindo o carro para ir surfar na praia? Não percas tempo nem paciência.
Solta logo um definitivo "Jorginho, presta atenção, filho querido, nem que te fodas!". O impertinente aprende logo a lição e vai para o Centro Comercial encontrar-se com os amigos, sem qualquer problema, e tu fechas os olhos e voltas a curtir o CD (...)

Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um "Puta que pariu!", ou seu correlativo "Pu-ta-que-o-pa-riu!", falado assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba.
Diante de uma notícia irritante, qualquer "puta-que-o-pariu!", dito assim, põe-te outra vez nos eixos.
Os teus neurónios têm o devido tempo e clima para se reorganizarem e encontrarem a atitude que te permitirá dar um merecido troco ou livrares-te de maiores dores de cabeça.

E o que dizer do nosso famoso "vai levar no cu!"? E a sua maravilhosa e reforçadora derivação "vai levar no olho do cu!"? Já imaginaste o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: "Chega! Vai levar no olho do teu cu!"?
Pronto, tu retomaste as rédeas da tua vida, a tua auto-estima. Desabotoas a camisa e sais à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.

E seria tremendamente injusto não registar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar:

"Fodeu-se!". E a sua derivação, mais avassaladora ainda: "Já se fodeu!".

Conheces definição mais exacta, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusivé, que uma vez proferida insere o seu autor num providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando estás a conduzir bêbedo, sem documentos do carro, sem carta de condução e ouves uma sirene de polícia atrás de ti a mandar-te parar. O que dizes? "Já me fodi!"

Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!



avatarclip7 copy.jpg




(Eu sinceramente não sei onde este blog vai chegar!!!! Lol)


Impressão Digital Cereza às 13:07
link do post | Rugir | Adicionar aos Favoritos
|
16 comentários:
De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 14:33
Não acredito!!!Até aqui??Isto é TORTURA!!Ah!!pois é!!....Qdo te peço para esperares um momento que tenho que passar o telele para o ouvido direito,pq o esquerdo já não aguenta tanto palavrão...Afinal é o stress.Ok!!Estás desculpado:)Mas não voltas a travar o carro de repente,apenas para eu me assustar e dizer..fod@-seeeeeee.Prometes??!!LLLOOOLLL.Beeeeijos---Gostei do texto,estava a fazer falta uma cena destas---marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 18:53
ahahahahahahahaaha o que eu me ri com a frase ""Comó caralho" tende para o infinito, é quase uma expressão matemática" não sabia que tendia para o infinito, não costuma ser assim :P até porque tens razão em dizer que é uma expressão matemática, que se costuma definir em centímetros LLLLLOOOOOOLLLLLL ups!!!! :P
Tá bonito tá! tá!! (eu escrevi isto?????)
Gatinho Persa fo............go!!! tá porreiro comó ca......raças!!!! :PPPPPPPPPPPP^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 18:56
ahahahahahahahaaha o que eu me ri com a frase ""Comó caralho" tende para o infinito, é quase uma expressão matemática" não sabia que tendia para o infinito, não costuma ser assim :P até porque tens razão em dizer que é uma expressão matemática, que se costuma definir em centímetros LLLLLOOOOOOLLLLLL ups!!!! :P
Tá bonito tá! tá!! (eu escrevi isto?????)
Gatinho Persa fo..................go!!! tá porreiro comó ca.........raças!!!! :PPPPPPPPPPPP^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 19:08
Já conhecia este texto, pelo que a responsabilidade não é toda do "chocolate". Mas a talho de foice, deixem-me que transcreva para aqui outro que recebi, com o qual tb me fartei de rir.
Passo a citar:
Afonso Praça escreveu um "Novo Dicionário de Calão" que merece compra, consulta e leitura. Não é obra perfeita. Existem falhas. A maior delas encontra-se na pág. 61 e respectiva definição de caralho".
Ouçamos:
"Termo chulo para designar o pénis; usa-se também como expressão de irritação ou revolta".
Certo. Parcialmente certo. Mas só parcialmente. Afonso Praça não teve cuidado com os regionalismos. Não olhou, por exemplo, para o Porto. O "caralho" do Porto não é um "caralho" qualquer. Nem sequer é expressão de "irritação" ou "revolta". O "caralho" do Porto não agride. É um "caralho" meigo, nobre, íntimo, expressão sincera de amizade. No Porto, quando ouvirem chamar pelo "caralho", convém olhar para trás. O "caralho" podemos ser nós.
O "caralho" é um tratamento entre amigos que se amam e respeitam. Como "caralho" que são. Ser um "caralho" é ser amigo de alguém. No fundo, é ser amigo de um outro "caralho". Aliás, a expressão tem um significado tão profundo, que é sempre acompanhada de um possessivo. Ninguém é, simplesmente, "caralho". Quando um portuense chama o "caralho" do amigo, trata-o sempre por "meu caralho", ou "seu caralho". Há um sentido de posse entre "caralho". Os "caralho" pertencem-se.
- Onde é que andaste, meu "caralho"?
- Por aí a pastar. E tu, seu "caralho"?
Claro que existem excepções. Nem toda a gente chega ao estatuto de "caralho". No Porto existem também os "caralhos" em potência: são os "caralhotes" (que Afonso Praça igualmente esquece). Um "caralhote" é alguém que tem todas as condições para ser "caralho" mas ainda não chegou lá. Talvez com a idade. Talvez com a experiência. Ou talvez nunca. Um "caralhote" pode transformar-se em "caralho" - ou não. Se falhar, não fica "caralho" - isso é que era doce! Se falhar na carreira da "caralhice", torna-se na mais reles espécie de "caralho" que existe sobre a Terra. Torna-se azedo. Pulha. Inimigo do seu amigo. Transforma-se num "caralhão".
- Quem é aquele "caralho"?
- Aquele "caralho"? Aquele "caralho" é um "caralhão" de primeira. Nem te conto.
O ideal, portanto, é começar por ser "caralhote" e dar o salto para o "caralho", fugindo dos "caralhões". E como é que isso se faz? Eu só conheço uma maneira: evitando "encaralhar".
Tenho dito...
E pronto, aqui fica um texto do mais "fino recorte literário"... Mas que tem graça, tem... ;)
alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 19:54
Ai,alic!!!Assim não vale...Estou a rir tanto que as lágrimas me correm pela face..ainda me para a digestão..LLLooLLL.^Erina^aparece miuda,tenho saudades tuas.****marta
</a>
(mailto:martax_30@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 20:28
Estas expressões podem ser libertadoras do stress mas... deixa alguns remorsos temporários próprios da situação e expressão algo de insatisfação! É escusado dar exemplos. Em conversa com os amigos não falham! Quem costuma fazer partidas de futebol sabe que "xuta caralho!!!", "foda-se, falhei!!!" ou "que puta de defesa" são vulgares... palavrões estam embutidas na vida quotidiana com o 'sexo e a cidade'. Este post está espectacular!!! Há... por curiosidade... o sol é quente pa caralho mas n tende para o infinito... a superfície do sol tem uma temperatura de dez mil graus e as erupcões solares chegam a atingir o módico nº um milhão de graus célcius... temperatura essa que serve para criar a fusão nuclear, energia essa tão ambicionada pelo homem.Suicidal_kota
</a>
(mailto:cromokamikaze@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 21:28
Já me tenho rido muito com este Blog, mas hoje já me ri comó c.....piiii LLLLLOOOOOLLLL Alic!!!!!!!! tá demais!!!!!!!!! Cereza, não sabes onde vai chegar??? pelo menos chega às lágrimas de tanto rir!!!!! :P Marta ************ bigado kida! :))))
Bem pelo menos já aprendi uma maneira de libertar o stress :P hihihihihihihih^Erina^
</a>
(mailto:paula_m_sousa@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 21:40
Ahhahahahaha! Digam o que disserem, quando se usam termos como, xiça, dassse, caneco..etc, o que se quer dizer mesmo é fod@sse! E não haja dúvida que dizer um fod@sse até nos alivia de vez em quando!! E já agora "alguem" me disse que no norte se utilisa uma expressão muito gira :"Gosto de ti pra caralho!"zila
</a>
(mailto:zilapbl@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 21:41
Então se choraram a rir com aquela, vejam só esta que tb recebi recentemente... (nota: desconheço a autora da proeza, mas que adorava ter assistido, ai isso adorava!! lolol)
"Há uns anos atrás tive uma chefe, numa das repartições públicas em que trabalhei, que não era... digamos... dotada de grandes conhecimentos em determinadas áreas. Ficamos assim.


Um belo dia a senhora chegou ao serviço e chamou-me à parte. Tinha ouvido uma palavra da qual desconhecia o significado e queria que eu lhe explicasse o que era.


-Ouve lá, tu sabes o que é um "minete"?


Após uma fracção de segundo em que o meu cérebro chocalhou todo cá dentro, oscilando entre a incredulidade e o mais puro gozo, posso afirmar que tive um dos momentos mais brilhantes da minha vida, modéstia à parte. Mantendo estoicamente o ar sério, sem esboçar sequer uma tentativa de sorriso,
respondi-lhe:


-Claro. É um requerimento que não exige papel selado.


De facto, não é sempre, mas há dias em que me encontro particularmente inspirada. E o resultado viu-se passados alguns dias, quando a dita senhora, com toda a propriedade, se virou para um utente ao guichet e o
informou:


-Para esse efeito o senhor vai ter que fazer um minete!


Ainda me lembro como se fosse hoje das caras das pessoas que se encontravam no átrio à espera de serem atendidas, muito particularmente de um marmanjo de bigode que exclamou:


-Ai "sigurem-me"! "Sigurem-me" senão eu caio!


E agora digam-me, caros clientes desta padaria: Será que conseguem adivinhar quais foram para mim as consequências desta façanha? Pois está claro. Nesse ano tive uma classificação de serviço que não me permitiu ser promovida, acompanhada da observação escrita "A funcionária não demonstra o necessário respeito quer pela instituição, quer pelos colegas e superiores hierárquicos". Além disso tive o director a chamar-me ao gabinete e a passar-me um raspanete, notando-se de qualquer modo que estava com uma vontade de rir do caraças.


Mas hoje, à distância de uns quinze anos, não me arrependo e acho que tomei a opção certa no momento certo. O que eram cinco miseráveis contos de aumento comparados com o privilégio único de ver a nossa chefe, ao guichet, a pedir um minete a um gajo?"

Agora, olha... corram para o WC!!! lolol ;)
alic
</a>
(mailto:mceciliabpm@hotmail.com)


De Selvagem Anónimo a 16 de Janeiro de 2005 às 03:01
aiiii lollllllllllllll Acabei de chegar de um espectaculo do pedro tochas, onde ri até mais não! alias já chorava!!! agora apanho com estes comentarios, já me deu outro ataque de riso!!!! Bem, hoje de facto tem sido o dia em cheio...RIR É TÃO BOM!!!!!!!!!!!!cereza
</a>
(mailto:lis_tv@hotmail.com)


Ah... Comenta-me