Quarta-feira, 31 de Maio de 2006

Ciúmes...

"...I was feeling insecure
You might not love me anymore
I was shivering inside
I was shivering inside

I didn't mean to hurt you
I'm sorry that I made you cry
Oh no, I didn't want to hurt you
I'm just a jealous guy ..."

Ciúmes.. ai os ciúmes! Quem diz não ter ciúmes mente, esconde sentimentos, porque ter ciúmes, é algo natural quando se gosta de outra pessoa.

 

Fiquem com o ponto de vista de Tex, sobre este tema, acompanhado pelo Jealous Guy interpretado pelo "maravilhoso" Bryan Ferry (ai, dele morria de ciúmes lol )

 


  
O sentimento de posse, insegurança, ou somente a noção da realidade? Insuficiência afectiva ou amor levado ao extremo? Ou apenas uma emoção complexa e universal, que visa garantir a necessidade de estabelecer relações seguras e de exclusividade?
A origem etimológica da palavra ciúme, vem do latim “zelumen” e do grego “zelos” , e esta espécie de temor, que se relaciona com o desejo de conservarmos a posse de algum bem, muitas das vezes não provém tanto das razões que levam a julgar que podemos perdê-lo, mas de ser zeloso do que é seu.
 
 
Ora como devemos empenhar-nos mais em conservar os bens que são grandes do que os que são menores, em algumas ocasiões este sentimento pode ser justo e honesto.
 
 
As relações afectivas que desenvolvemos pela vida fora são frequentemente, minadas por sentimentos de insegurança, ameaça de perda ou substituição. Quando há um investimento afectivo e emocional na relação, uma entrega, é natural que a ameaça de perda do outro dê origem a esta emoção - ciúme. No entanto é importante que a satisfação das nossas necessidades e aspirações não se encontre dependente da relação exclusiva com o objecto da nossa afeição.
Penso que só podemos estabelecer relações saudáveis quando conseguimos garantir o nosso próprio sustento emocional.
E não ter ciúmes? Nunca duvidar, nunca pôr a hipótese de abandono ou substituição? Acreditar na incondicionalidade, na devoção, encontrar sempre a razão que tudo justifica?
 
 
Não ter o mais leve sinal de insegurança perante o objecto amado poderá significar que não só não se ama como se está nas tintas, ou que se é tão narcisista que não se consegue imaginar o outro sem nós.
Para Freud, a ausência de ciúme corresponde a um recalcamento. Isto porque a ausência de uma resposta emocional, face à ameaça da perda do parceiro, é um sinal mais patológico do que o próprio ciúme, visto ser menos ajustado à realidade.
O ciúme, pode funcionar como uma espécie de chamada de atenção sobre o interesse na manutenção da relação. Pode até ser um tempero para essa mesma relação. Mas também pode miná-la, quando levado ao extremo.
 
 
O ciúme exacerbado, acontece quando o indivíduo sente uma necessidade doentia de assegurar o amor do outro, estruturando a sua vida em função de suspeitas infundadas e deixando assim de ter um compromisso com a realidade. Por não conseguir controlar o outro, procede de um modo hostil, recorrendo à perseguição implacável e muitas vezes à agressão.
A baixa auto-estima, favorece este tipo de ciúme violento. É sempre mais fácil achar que são os outros que não gostam de nós do que admitir que somos nós que não gostamos de nós próprios.
 
 
E será que o que provoca ciúme num homem é diferente do que provoca esta emoção numa mulher?
O homem, será porventura mais sensível no que diz respeito à posse física do corpo da sua parceira. Um homem dificilmente perdoa a uma mulher a consumação da sua infidelidade.
Quanto às mulheres, são talvez mais sensíveis à intimidade psicológica do envolvimento emocional. Basta que o seu parceiro se envolva afectivamente com outra mulher, dedicando-lhe atenção, para que daí sobrevenha sofrimento.
TEX
 

Comentário em Destaque

De veinha a 1 de Junho de 2006 às 09:20

as atitudes que o sentimento ciume provoca nas pessoas tambem diferem dependendo do que se quer da relaçao e das vivencias que cada um teve.. acho que é importante que ja se tenha falado sobre isso antes de se assumir compromissos, antes que surja o ciume. a cultura em que se viveu tambem influencia, o grupo de amigos, a familia... concordo que a mulher seja mais sensivel ao contacto emocional do parceiro com outra mulher e o homem seja mais sensivel ao contacto fisico da companheira com outro homem. e às vezes, não se apercebem das insinuações entrelinhas que algumas mulheres lhes fazem à nossa frente, o que nos rovoca ciumes mas não nos permite justificar os nossos ciumes. mas também há homens extremamente sensiveis às amizades das companheiras e às intimidades delas com outros homens... isso depende das pessoas e da essência das pessoas. há pessoas com uma "essência" mais sensual e outras pessoas com uma "essência" mais emocional outra coisa é o pseudo ciume: o ciume que nao existe: quando nao há motivo nenhum para haver ciume mas na cabeça do agressor desenvolvem-se ali esquemas com tudo e mais alguma coisa explicado com todas as letras como a mulher o trai e ele acredita naquio piamente... é uma vergonha... mas o que é facto é que o ciume pode levar à violência doméstica e estamos a falar de 50% das mulheres portuguesas e isto é uma vergonha. claro que nao é so o ciume a sua causa, mas é uma delas.

tags:

Impressão Digital Cereza às 21:36
link do post | Rugir | "Ouvir" Rugidos (16) | Adicionar aos Favoritos
|

av_fever01.gif

.Urbanidades Recentes

. Ciúmes...

av_jml12.gif myarms-yourhearse.gif

.Selvas já Visitadas

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

10MM.gif

.Procura no UJ

 

.Posts Favoritos

. Falling

. Destak

. UJ no DN

. Putas, Prostitutas (os) e...

. Casos Reais: Putas, Prost...

. Maria Madalena: Prostitut...

. "Schindler português"?

. Dedicado ao meu Pai!

. Caso de Vida

. Os BrancosNegros ou Negro...