Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Urban Jungle

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

Urban Jungle

22
Nov04

Destinos!

Cereza

Ás vezes o destino tem destas coisas. Estava eu no Irc, e subitamente começa a piscar uma janelinha de pvt. Era o Antimateria do #30-50, a dizer-me que tinha no Blog dele um texto que gostaria que eu visse. Claro fui lá logo, e li um lindo texto sobre uma Cereja, e o ciclo natural da vida... nem a proposito, como hoje faço anos, (sim, sou escorpião) pensei que seria uma maneira agradável de marcar esta data... por isso deixo aqui o texto dele, que é lindissimo, e o link para o respectivo Blog.




Cereja


Uma cereja escarlate repousa no cimo de uma pedra. Perguntou aos céus, gritando, se seria sedutora. Um melro, atraído pela esplendorosa visão, bicou-a em plena voo rasante. Foi a resposta à sua pergunta.

Uma cereja escarlate, despedaçada repousa no chão, perdida pelo bico de um melro precipitado. Perguntou aos céus, gritando, se ainda seria útil. Uma larva, atraída pela esplendorosa visão, comeu a polpa carnuda restante, deixando apenas o caroço. O caroço, não perguntou nada aos céus porque os caroços de cereja não falam, mas, germinou e deu início à formação de uma bela cerejeira.

Os anos passavam. Foi constantemente cuidada e podada por um empreiteiro florestal. Desenvolveu um fuste ímpar na grossura, elegância e verticalidade. Ao fim de 50 anos era uma árvore exímia. Nunca dera frutos porque o seu código não lhe tinha destinado essa tarefa. O engenheiro florestal recebeu uma boa proposta pelo seu abate. A árvore foi abatida. O seu cerne era avermelhado. Era nobre.

O tronco dividiu-se em toros de aproximadamente três metros de comprido. Foram transportados por um tractor até à serração mais próxima. Na serração, depois da estufa e cozedura, foram serrados em lâminas para forrar portas. Embelezou centenas de portas em centenas de casas. Milhares de pessoas olharam para ela. Quase todas olharam sem reparar nela. Uma minoria olhou atentamente os seus antigos vasos condutores. Uma cereja.



posted by Gradiz
http://ersgc.blogspot.com





008-looooooo-thumb.jpg






028-lppppp-thumb.jpg


11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2006
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2005
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2004
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D