De Isabel a 18 de Setembro de 2006 às 23:15
Ao ver o filme Basquiat, intrigou-me o personagem interpretado por Gary Oldman-Albert Milo.
Depois percebi que não existiu, mas que se tratava do alter-ego do realizador Julian Schnabel.
De resto foi a única personagem que me cativou, o Basquiat, não.
Para artista pioneiro em abstracionismo, que continha concentrações de opióide muito altas nos neurónios e que variava entre a euforia e disforia, não foi onde poderia ir. Basquiat, não me seduz.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.