De xinxa a 12 de Outubro de 2006 às 20:08
A culpa dos provérbios

O amante:
O amante sabe o que deseja, mas não vê o que lhe cumpre.
Os amantes, como as moscas, desaparecem no mau tempo.

O amigo:
Amigo verdadeiro vale mais do que dinheiro.
Aquele que me tira do perigo, é meu amigo.
No aperto do perigo, conhece-se o amigo.
O amigo certo se revela na hora incerta.
Na adversidade é que se prova a amizade.

O marido:
Entre marido e mulher não metas a colher.
Ao homem de esforço a fortuna lhe põe ombro.

O barqueiro:
Quem sabe do barco é o barqueiro.
Manda quem pode, obedece quem deve.

O louco (inimputável):
De médico e de louco, todos temos um pouco.
A lei é dura, mas é para se cumprir.

A mulher:
Quem mal anda, mal acaba.
Mulher honrada não tem ouvidos.
O abandono é quase sempre a sorte dos infelizes.


A culpa?

A culpa morreu solteira.
E este mundo é uma bola; quem anda nela é que se amola. E quem bem nada não se afoga.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.