Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Urban Jungle

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

Urban Jungle

14
Jan07

Pedofilia ou Amor

Cereza

"Lolita, luz da minha vida, fogo da minha virilidade. Meu pecado, minha alma. Lo-li-ta: a ponta da lingua faz uma viagem de três passos pelo céu da boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo. Li. Ta. Pela manhã, um metro e trinta e dois a espichar dos soquetes; era Lo, apenas Lo. De calças práticas era Lola. Na escola era Dolly. Era Dolores na linha pontilhada onde assinava o nome. Mas nos meus braços era sempre Lolita." -Lolita, Vladimir Nabokov-

É assim que começa o romance escrito por Vladimir Nabokov, lançado em 1955. Muito arrojado para a moral vigente na época, o romance de Nabokov (1899-1977) foi inicialmente recusado por várias editoras. Ao ser finalmente lançado, por uma editora parisiense, gerou opiniões antagônicas: houve quem definisse o livro como um dos melhores do ano; houve quem o considerasse pornografia pura. Hoje pretendo deixar aqui um desafio a todos... para quem não leu esta obra, ou não teve a oportunidade de ver os filmes: lolita - de Stanley Kubrick (1962) com James Mason, Shelley Winters Sue Lyon e Peter Sellers.

Lolita - 1962 A segunda versão surgiu em 1997, relizado por : Adrian Lyne com: Jeremy Irons, Melanie Griffith e Dominique Swain. Vi ambos, e sinceramente gostei muito mais da versão de Kubrick.

 

Lolita - 1997 Deixo aqui um resumo... e no fim farei uma pergunta, que nem eu sei bem o que responder. O professor Humbert acaba de chegar à cidade e decide alugar um quarto para passar alguns meses. Após visitar muitos locais, opta pela casa da viúva Charlotte Hazen que fica entusiasmada em ter um hóspede tão charmoso e belo.

Porém o objecto de desejo do professor é a jovem e bela ninfeta Dolores filha da Sra. Harzen. Lolita, como é chamada, é um demônio com cara de anjo que atormenta as noites de sono de Humbert. A cada dia que passa, Humbert encontra-se numa situação cada vez mais embaraçosa: a mãe está apaixonada por ele e tem certeza de que este sentimento é recíproco; Humbert, entretanto, não consegue desligar-se dos encantos de Lolita. Chega ao ponto de não conseguir trabalhar, e o interesse vira obsessão. A rapatiga apercebe-se das intenções de Humbert e o provoca-o constantemente. A relação entre mãe e filha torna-se insustentável,pois Lolita aproveita a situação para desafiá-la descaradamente. Charlotte, acaba por cansar-se das afrontas da filha e manda-a para um acampamento de férias; está mesmo disposta a enviá-la para um colégio interno, assim que ela regressar. Enquanto estão apenas os dois na casa, a Sr. Harzen declara-se a Humbert que, caso o amor não seja recíproco pede-lhe que se vá embora e nunca mais volte. Ele, com medo de nunca mais rever a sua ninfeta, aceita casar-se com ela. Num certo dia, a então Sra. Humbert lê o diário do marido e descobre a paixão dele pela filha Lolita. Para ela, nada mais vale a pena na vida e resolve acabar com o sofrimento matando-se. Humbert fica extremamente feliz, afinal livrou-se do "empecilho" que o impedia de declarar o seu amor à jovem. Quando vai buscá-la no acampamento, opta por não dizer nada de imediato. Os dois começam a relacionar-se antes mesmo da menina saber que a mãe está morta. Com medo de ser acusado de pedofilia, o casal viaja para diferentes locais, ficando apenas uma ou duas noites em cada hotel e sempre como pai e filha.

Num desses hotéis encontram o roteirista de televisão Clare Quilty, pelo qual Charlotte tem grande admiração; este faz-se passar por policial e intriga Humbert com perguntas para a qual ele não tem respostas. Finalmente estabelecem-se numa cidade. Lolita, a cada dia que passa, explora mais Humbert. Ele faz tudo o que a amada lhe pede. Porém, tudo o que recebe não é suficiente para Lolita que acaba por fugir com um professor. Anos mais tarde, Humbert recebe uma carta da "filha" e vai visitá-la. Ele está prestes a ouvir grandes revelações sobre sua ingênua Lolita, vindas da boca da própria.... e o resto não conto... leiam o livro... hihihih

Este livro já valeu várias discussões... alguns dizem que é uma bela história de amor, outros dizem que é pura pedofilia! Eu, sinceramente não consigo tomar uma decisão! E vocês?

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2006
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2005
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2004
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D