De flyman a 7 de Março de 2007 às 19:52
Mulheres...
Mulheres da minha vida... a Mulher, a Filha, a Mãe... e as avós, porque não?... moldam-me e quero ser merecedor de usufruir da sua presença, daquilo que me dão, ensinam, perdoam. A sua dádiva está para além da vida que geram no seu ventre. Muito além...

Aqui há uns dois anos tive o prazer de ver em S.Paulo a peça "As Mulheres da Minha Vida", com o António Fagundes no papel principal, por sinal a um preço bem mais simpático do que quando ele veio cá a Portugal algum tempo depois. No ano passado, no Rio, vi outra, "Os Homens São de Marte e é Para Lá Que Eu Quero Ir". Tanto uma como a outra, tratam da relação complicada entre homens e mulheres. A primeira na perspectiva masculina, a segunda na feminina, embora de um modo mais aligeirado. Mas o engraçado é que dei por mim a pensar que sendo de géneros um pouco diferentes, elas completam-se. O eterno conflito em compreenderem-se um ao outro. Sensibilidades diferentes, mundos diferentes que se tocam e que quando se entendem, quando se aproximam podem desvendar o Paraíso.

Por mim, e se os homens estão em Marte, não quero ir para lá. Fico mesmo por aqui pela Terra, e daqui não quero sair enquanto por cá estiverem as da minha vida...


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.