Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Urban Jungle

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

Urban Jungle

03
Fev06

Nada

Cereza

Hoje faltam-me as palavras.


width=100%>align=center>

extremis18 copy.jpg


Mandem-me os vossos textos!


If you want the fruit to fall
You have to give the tree a shake
But if you shake the tree too hard,
The bough is gonna break


And if I can't reach the top of the tree
Mary you can hold me up there
What I wouldn't give to be
When I was Mary's prayer



Save me, save me
Be the light in my eyes
What I wouldn't give to be
When I was Mary's prayer



02
Fev06

Quanto mais simples menos ignorante….

Cereza

Antes demais, aviso que hoje há dois posts! Sei lá porquê!

Eu acho incriveis estas divagações do Esquizo! Para ele há sempre algo para decifrar.

Quando ontem recebi este texto, estava eu a meio de uma pvt com uma amiga... em que mais parecia uma conversa de surdos mudos. Fazia tudo por tudo para fazer passar a minha "mensagem" de maneira correcta. Pensei: Desisto... um dia qualquer voltamos a falar!


width=100%>align=center>

girl_heidi_klum034 copy.jpg

O primeiro paragrafo do texto do Esquizo é o exemplo acabado do que senti. O resto do post diz muito mais...




Quanto mais falo, mais corro o risco de me contradizer. Não por crescimento, mas por falta de ideias que surgem do mesmo rio, mas provêm de afluentes diferentes....

A simplicidade (ou ignorância) das minhas “fontes de inspiração”, isso mesmo “fontes de inspiração” foram a maior consequência deste tumor convertido em escrita.

Na música, por exemplo, sempre que tentava penetrar na filosofia do autor para saber o que ligava uma frase a outra, aparentemente distante, via-me obrigado a tecer uma malha indirigivel de ideias, na tentativa de estabelecer um sentido entre estas.

Claro que mais tarde o meu ego procurava a confirmação. E lá estava a grande desilusão, o desconcerto mental, no site de internet mais próximo.

....”estavamos todos animados, (tinham fumado erva claro!!!!) e o nosso baterista matou uma mosca por acidente. Começamos todos a tocar e eu ia dizendo o que me vinha à cabeça...”

Bem, por muito que me esforçasse para decifrar o código atrás da letra desta canção, a realidade ultrapassava a própria ficção. Este é um de muitos exemplos onde eu me empenhei no mais desafiador enigma, fazendo o meu cérebro florescer de teorias e conspirações, para depois encarar a triste realidade: TINHA SIDO PICADO POR UMA MOSCA MORTA.

Em suma, o meu maior desejo é ser simples e apreciar em vez de avaliar... Até lá cresco ao ritmo de sons que não posso entender, nado em ondas de imaginação que fulminam à mínima falta de compreensão.

A constante é que não desisto de procurar,
de porcurar essa mensagem escondida para mim,
de procurar esse segredo que me é revelado.
Permito-me a existir assim
aqui e ali, nas entrelinhas...

Esquizo


width=100%>align=center>

girl_adriana_sklenarikova012 copy.jpg


Talk Talk:

"Well did I tell you before
When I was up
Anxiety was bringing me down
I'm tired of listening to you
Talking in rhymes
Twisting round to make me think
You're straight down the line

All you do to me is talk talk
talk talk, talk talk
All you do to me is talk talk..."

01
Fev06

Sinto-me... Despenteada

Cereza
width=100%>align=center>

face-hot-04 copy.jpg


HOJE SINTO-ME... agitada, alienada, assanhada, assustada, atarefada, atordoada, acabada, abandonada, adoentada, atormentada, atrapalhada, azarada,chateada, censurada, contrariada, controlada, chocada, complicada, decepcionada, comportada, concentrada, conformada, congelada, desenfreada, depravada, desorientada, desajeitada, desprezada, desanimada, desapontada, despenteada, desconfiada, descontrolada, desejada, desesperada, desgraçada, desligada, deslocada, desmotivada, desolada, desorganizada, desorientada, despreocupada, desvairada, determinada, disfarçada, dissimulada, destroçda, emocionada, empolgada, encantada, enganada, envergonhada, engraçada, enjoada, entediada, entusiasmada, envergonhada, equilibrada, errada, esforçada, esgotada, espantada, estupefata, excitada, fechada, frustrada, honrada, incomodada, inconformada, indignada, injustiçada, inspirada, intrigada, isolada, magoada, mal-humorada, malcriada, malvada, obstinada, ocupada, organizada, ousada, perturbada, partida, traquina, realizada, sagrada, stressada, torturada, zangada e... cansada ...

enfim, hoje não devia ter saido da cama!!!


width=100%>align=center>

face-hot-03 copy.jpg


[ Ora vejam só o que blog encontrei a votos num site brasileiro... isso mesmo o Urban Jungle: http://blogstars.ig.com.br/v2/vote.asp?x=4736

Surpreendidos? Também eu! Ora meninos e meninas toca a votar :) ]

Mas... para comentar é o post abaixo :P

01
Fev06

Memories : " Os amantes com casa"

Cereza

A Vanessa mandou-me este texto, e simplesmente derreti. No mesmo dia pedi o nome de uma musica "sublime" que ouvimos no ginasio, quando fazemos os alongamentos... e subitamente achei que combinava na perfeição.

Se tomarmos atenção até nem tem muito a ver... mas, se pensarmos melhor... até pode ter! o Poema é um relato de uma paixão desmedida... a musica fala em memorias.. Todos temos essas memorias, de paixões, de amores e desamores... memorias de pessoas que nos são queridas outras nem tanto!

Nunca entendi se recordar pode ser bom, sobretudo relacções tempestuosas como a do poema! Por vezes acabam por ser uma desilusão, outras vezes perduram para a eternidade...

Memorias e paixões, afinal quem não as tem?


width=100%>align=center>

within copy.jpg



All of my memories keep you near.
In silent moments,
Imagine you'd be here.
All of my memories keep you near,
Your silent whispers, silent tears


Made me promise I'd try
To find my way back in this life.
I hope there is a way
To give me a sign you're okay.
Reminds me again it's worth it all
So I can go home.


All of my memories keep you near.
In silent moments,
Imagine you'd be here.
All of my memories keep you near,
Your silent whispers, silent tears.



standmyg.jpg


Andavam pela casa amando-se no chao e contra as paredes.

Respiravam exaustos como se tivessem nascido da terra de dentro das sementeiras.

Beijavam-se magoados até se magoarem mais.

Um no outro eram prisinoneiros um do outro e livres libertavam-se para a vida e para o amor.

Voltavam a andar pela casa amando-se entao era a música, como se cada corpo atravessasse o outro corpo e recebesse dele nova presenca, agora serena e mais nobre mas avidamente rica por essa pobreza.

A nudez corria-lhes pelas maos e chegava aonde tudo é branco e firme.

Aquele fogo de carne era a carne do amor, era o fogo do amor, o fogo de arder amando-se e por toda a casa, contra as paredes no chao.

Se mais nao pressentissem bastaria aquela linguagem de falar tocando-se como dormem as aves.

E os olhos gastos por amor de olhar, por olhar o amor.

E no chao contra as paredes se amaram e pela casa andava como se dentro das sementeiras respirassem.

Prisioneiros libertados, um no outro eram livres e para a vida e para o amor se beijarem magoando-se mais, até ficarem magoados.

E uma presenca rica, agora nova e mais serena, avidamente recebeu a musica que atrevessou de um corpo a outro corpo chegando às maos onde toda a nudez é branca e firme.

Com uma carne de fogo incarnado o amor, incarnado o fogo, pressentindo que andando pela casa bastaria tocarem-se para ficarem dormindo como acordam as aves.



Joaquim Pessoa
" Os amantes com casa"

Pág. 3/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2006
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2005
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2004
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D