Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Urban Jungle

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

Urban Jungle

16
Mar06

O meu Segredo: Parte II

Cereza

Resolvi voltar a escrever sobre um tema que me apaixona: Vampiros. Provavelmente numa outra vida fui um ou uma, como queiram. Gosto de imaginar o mundo em que vivem. Poucos saberão que existem clãs de vampiros... grupos que pouco têm em comum, a não ser beber o sangues das vitímas.

 

Inspirei-me neles, e em algumas imagens do filme "Entrevista com um Vampiro" para escrever este mini conto. Este texto vem na sequência de um que escrevi para este blog, no dia 9 de Dezembro de 2004. Se não o leram, era interessante primeiro passarem os olhos por ele, para servir de enquadramento. Espero que gostem.

I want some more!

 

Há muito que sentia esta necessidade, tanta vez oprimida pelos crimes hediondos que já cometi... esta necessidade de revelar a segunda parte deste segredo que me atormenta há séculos. É um tormento perverso, mas tão tão excitante... Sim, eu sou e gosto de ser uma vampira. Gosto do escuro, da luz das velas, do belo, e acima tudo do sangue que as minhas presas me oferecem quase sem resistência.

vampiro1.jpg

É preciso que entendam que não sou uma vampira qualquer... pertenço a uma espécie superior..."creme de lá creme"... que busca a todo o instante o belo e a perfeição. "Impossível direis vós"... Pois eu garanto que é verdade. Sou uma "Toreador". Eu explico... Há 5 clãs de vampiros ... clãs esses que não se misturam. Alias tirando os Toreador os restantes grupos são seres altamente repugnantes. Para que entendam a diferença entre cada um destes clãs, passo a enumerar e explicar as diferenças.

 

Nosferatus : Os primeiros dos vampiros. Trazem o horror e o medo para todos aqueles que os vêem na sua verdadeira forma. Autênticos lobos com pele de cordeiro. Primários, apenas bebem o sangue das vitimas para se alimentarem, nada mais.

Malkavianos São o nómadas e forasteiros dos Vampiros. No sangue corre-lhes a força dos Lobishomens e a astucia dos ciganos. Convivem com eles porque são praticamente como família. Têm um ancestral em comum: Lilith. Foi ela, que depois de deixar o paraíso, os pariu numa floresta.

Tremere Os mais estranhos do vampiros, embora bem organizados e dedicados. São agressivos e manipuladores. Muito inteligentes, e altamente dependentes do sangue. Não apenas para saciarem a fome, mas para adquirirem poderes extraordinários.

 

Assamita Os fundamentalistas. Os predadores nocturnos. Matam elementos do próprio clã. Muitas vezes são contratados para matar... e se for preciso seguem a presa até o fim do mundo para o conseguir. São misteriosos, escuros, assassinos puros.

 

Brujah Os anarquistas. Dependem do caos para sobreviver. São agressivos, egoístas, e vingativos.

 

Giovanni é o clã que mais se preocupa com a família... e é regido com mão de ferro pelo patriarca.São negociantes, comerciantes e especuladores abastados. Não gozam a vida.. ou estão a manipular os vastos bens, ou então estão enfiados em criptas praticando os seus rituais mórbidos.

 

Depois existimos nós... Os belos e perfeitos Toreador...Os amantes da arte, os pervertidos, exuberantes, hedonistas, cativantes, passionais... e ... humanos. Somos os desejados. Todos querem a nossa companhia pela luz que irradiamos. A nossa personalidade é o nosso maior trunfo... um poder subtil, mas altamente perigoso.

 

Fugimos do asqueroso, do feio, do repugnante. Refugiamo-nos nos nossos palacetes faustosos, cheios de obras de arte... vivemos uma vida sem limites, como se não houvesse amanhã. Assim ganhamos o nome de degenerados. Mas que nos importa isso? O que interessa é apreciar, sentir, saborear... Beber o sangue da nossa sublime presa (homem ou mulher é-nos indiferente) é a mais explosiva dos emoções. Aquele néctar, um misto de doce e salgado que nos abrilhanta os lábios e nos entra para as veias... é o nosso êxtase. Acreditem que nada me dá mais prazer, que sentir a minha bela vitima entregar-se incondicionalmente aos meus loucos devaneios... sentir que ela própria afasta a roupa do pescoço para eu cravar sem esforço os meus caninos... senti-la desfalecer de prazer para logo a seguir acordar já faminta de sangue.

 

Já diziam os meu antepassados no "Clanbook Toreador":

"Música, luzes, beleza e sangue! Mergulhe nisso. Agarre-o com essas mãos sufocantes. Segure-o contra seu seio morto. Erga-o até lábios sem vida e beije-o com uma boca que nada conhece além de mentiras obscenas. Isso é a vibração que você não pode sentir. Isso é a excitação raivosa que você esqueceu. Isso é o sedutor canto da sereia que falta em você. Isso é inspiração. Isso é vida."



 

 

Tornei-me uma Toreador há alguns séculos, num palácio renascentista, junto a um qualquer canal que banha a cidade Italiana de Veneza. O vampiro Armand foi o Senhor que me deu vida eterna. Armand um antigo Toreador... oh, não é dos mais antigos, mas guardou consigo o espírito dos antigos, embrenhado no obscurantismo de uma época. Ele foi o primeiro a ver o humano não apenas como uma presa, mas como família, amigo, e amante. O Mestre Armand ensinou-me que a existência dos Toreador não tem o sangue como principal combustível, mas sim a paixão.Talvez por isso nos conseguimos misturar facilmente com os humanos, despertando neles as mais fortes e perversas paixões. Assim é fácil entender que os Toreador são os únicos vampiros a ter sentimentos.

 

Lembro-me da primeira vez que vi Armand. Foi em Paris, tinha eu 13 anos, e apesar de ser ainda uma simples e jovem mortal, já vivia no seio dos Toreador... Numa noite quente de Setembro, assistimos á maior manifestação de paixão e entrega... Num castelo seu, a algumas centenas de quilómetros de Paris, Armand organizou o mais belo ritual de vida eterna. Escolheu uma bela e inocente camponesa, que por muito que tentasse não resistiu aos encantos do Mestre. Ela estava lá por vontade própria. Ela mesmo entregara o seu destino ao mais encantador dos Toreador.

 

Assistimos ao "Ritual-Espectáculo" sentados em poltronas de veludo vermelho, com taças de prata, cheias de sangue novo e morno.... Todo aquele ambiente já me fazia fervilhar por dentro. Imaginava o momento tão ansiado de me tornar numa vampira... numa bela e inatingível Toreador. Sonhava com Armand.... E a verdade é que foi ainda mais apaixonado que aquele momento que presenciava.



vamp2.jpg

 

Entre a plateia, havia centenas de vampiros e mortais... eu era um deles. Subitamente apareceu Armand, que se aproximou da jovem arrancando-lhe a roupa, enquanto lhe sussurrava ao ouvido palavras de paixão e morte...



vamp3.jpg

 

Depois carregou-a nos seus braços até ao centro do teatro... Todos sentiram nas veias aquele momento de pura luxuria...



vamp4.jpg

 

Ao pousa-la, passou as suas finas e delicadas mãos pelo pescoço da presa... olhou-me nos olhos, e num gesto brusco e surpreendente, cravou os dentes e bebeu o seu sangue... Quase senti o sabor dela na minha boca... ah, doce néctar!



vamp6.jpg

 

De seguida deixou-a cair... para que vampiros mais famintos de outros clãs a sugassem até saciarem a sua fome. Como um cordeiro, á mercê de uma matilha de lobos.

 

Quando a cortina caiu... Armand com a boca e as vestes ainda manchadas de sangue, fitou-me de maneira lânguida e obscena, e eu entendi de imediato, que seria ele a dar-me o prazer da vida eterna.



vamp7.jpg

 

Apenas consegui dizer: I want some more! (Quero mais!)



claudia.jpg

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2006
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2005
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2004
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D