Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Urban Jungle

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

pensamentos, divagações e tangas da selva urbana

Urban Jungle

04
Jul05

Eu Flyman me confesso!

Cereza

Caros amigos, hoje temos algo de verdadeiramente inédito! Um declaração de amor “em directo” no UJ do nosso “paineleiro” Flyman, á nossa relacções publicas ^Erina^. Nunca tal tinha acontecido neste blog.... Nunca houve, digamos uma troca de afecto tão explicita! Nós desafiamos o Fly a fazer esta declaração, e ele mostrou-se um homem de coragem, sim senhor! É que não é para todos! Estou cansada de dizer que o nosso Fly nunca mais foi o mesmo desde que conheceu a nossa bela Erina.
Ei meninos, mas nada de abusos, ok?


esta copy.jpg


No post “Essas Belas Criaturas” fui desafiado a fazer uma declaração de amor à minha amada em frente desta gente toda, que frequenta a selva mais bonita da net. Apesar de na altura o ter feito de uma forma despachadamente brincalhona eu, emocionalmente desavergonhado me assumo, e aqui vai para a ^Erina^:



Meu Amor:
És o ar que respiro
O Sol do meu dia
A estrela da minha noite
E a Lua que ilumina
A beleza onde me inspiro
És a alegria do meu viver
A tranquilidade do adormecer
A cor dos meus sonhos
Permanência no meu pensamento
Que durará até eu morrer
És o consolo dos dias tristes
O remédio para a minha doença
A fonte que me acalma a sede
O pão que me alimenta
Na minha alma tu persistes
És o prado mais lindo
A montanha mais alta
A planície mais suave
O mar ameno onde mergulho
O regato que corre rindo
És tu quem me aquece
E a brisa que me refresca
A bússola que me orienta
A vela que empurra o meu barco
Ao destino que apetece
És tudo quanto preciso
A flor do meu jardim
O aroma delicado
Que desperta em mim
Sentimento tão conciso
És o cometa que rasga o meu universo
O arco-íris suspenso no meu céu
A estrela cadente
No meu desejo ascendente
Na imaginação em que me disperso
És toda a minha defesa
Quando me encontro frágil
E todo o meu ataque
Quando me encorajas
És a minha chama acesa
És o gosto que gosto de saborear
A suavidade que gosto de tocar
Na nudez que me excita
Furacão de sentimentos
De tudo o que tenho para amar
És a minha razão de ser
Sem ti estaria perdido
E todos os dias o sentido
Deste sentimento de prazer
Eu só sei que nada sei
Mas do pouco que sei
Sei que ainda muito tenho para aprender
Até te amar com todas as forças do meu saber
Que a chama nunca se apague
Amo-te



Flyman, 29.06.05


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2006
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2005
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2004
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D